Défice de sono tem efeito dramático sobre o corpo humano

brian boulos / Flickr

-

Quantidades insuficientes de sono durante um período prolongado pode ter um efeito profundo sobre o funcionamento do corpo humano, de acordo com investigadores britânicos.

Uma experiência concluiu que a atividade de centenas de genes no organismo foi alterada quando os participantes dormiram menos de seis horas por noite durante uma semana.

Num artigo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), os investigadores afirmam que os resultados do estudo ajudam a explicar como o sono insuficiente prejudica a saúde.

Doenças cardíacas, diabetes, obesidade e mau funcionamento do cérebro estão ligados a dormir pouco. O processo pelo qual o défice de sono altera a saúde, no entanto, ainda não é conhecido.

A equipa da Universidade de Surrey, em Inglaterra, coletou amostras de sangue de 26 pessoas após terem dormido bastante – até dez horas por noite – durante uma semana.

Na segunda fase da experiência, o mesmo grupo foi submetido a uma semana de sono insuficiente – menos de seis horas por noite. Amostras de sangue foram colhidas novamente.

Ao comparar as amostras, os cientistas observaram que a atividade de mais de 700 genes no organismo dos participantes foi alterada após a mudança no seu padrão de sono.

Configuração química

Cada gene contém instruções para a fabricação de uma determinada proteína – assim, os que ficaram mais ativos produziram mais proteínas. Isso alterou completamente a configuração química no corpo dos voluntários.

O relógio natural dos organismos também foi perturbado pela falta de sono. A atividade de alguns genes aumenta e diminui no decorrer do dia, mas esse efeito foi enfraquecido pelo défice de sono.

Colin Smith, da Universidade de Surrey, disse à BBC que “houve uma mudança dramática na atividade de muitos tipos diferentes de genes”.

“Áreas como o sistema imunológico e a forma como o organismo reage a danos e ao stress foram afetadas”, resumiu. “Claramente, dormir é essencial para a reconstrução do corpo e a manutenção de um estado funcional. Caso contrário, vários tipos de danos parecem acontecer, o que pode resultar em doenças. Se não podemos reabastecer ou substituir células, isso leva à formação de doenças degenerativas.”

O especialista disse que muitas pessoas podem estar a viver com défices de sono ainda maiores do que os estudados. Isso significa que essas mudanças nos genes podem ser comuns.

O investigador Akhilesh Reddy, que estuda o relógio biológico humano na Universidade de Cambridge, Inglaterra, disse tratar-se de um estudo “interessante”.

No entanto, as revelações mais importantes são as que apontam os efeitos do sono insuficiente sobre inflamações e o sistema imunológico. Reddy explicou que é possível estabelecer-se um vínculo entre esses efeitos e problemas de saúde como a diabetes.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Imprimiram corais artificiais em 3D que podem salvar recifes

Uma equipa de cientistas inspirou-se na natureza para desenvolver estruturas em forma de coral, impressas em 3D, capazes de produzir grandes quantidades de algas microscópicas. Investigadoras da Universidade de Cambridge e da Universidade da Califórnia desenvolveram …

Avalanches submarinas prendem microplásticos no fundo do oceano

As avalanches de sedimentos submarinos transportam os microplásticos para o fundo do oceano e um projeto de colaboração entre as Universidades de Manchester, Utrecht e Durham e o Centro Nacional de Oceanografia acaba de revelar …

Aos 107 anos, Cornelia Ras conseguiu vencer a covid-19

Cornelia Ras, que contraiu o novo coronavírus em meados de março, pode ser a mulher mais velha do mundo a vencer a covid-19. Nunca se é velho demais para vencer o novo coronavírus e a holandesa …

Coreia do Norte pode estar a usar fábricas de fertilizantes para extrair urânio

Um novo estudo norte-americano mostra que a Coreia do Norte pode estar a utilizar fábricas de fertilizantes para produzir mais material nuclear, extraindo urânio de ácidos fosfóricos. Segundo noticiou o Newsweek, na opinião da investigadora Margaret …

Distância social de 1,5 metros é insuficiente para travar contágio

O estudo realizado por investigadores e engenheiros especializados em dinâmica de fluidos concluiu que a distância deve ser de, pelo menos, quatro metros. Um estudo divulgado esta quinta-feira alerta que a distância social de 1,5 metros …

Estados Unidos registam 9 desempregados por segundo

O desemprego está a atingir números preocupantes nos Estados Unidos: só na última semana, 6,6 milhões de pessoas declararam estar sem emprego para poder receber apoios, um número semelhante ao da semana anterior. De acordo com …

Chineses desistem de comprar o BNI Europa. Está agora em mãos angolanas

O contexto de incerteza, provocado pela pandemia de covid-19, levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. O grupo chinês KWG desistiu de comprar 80,1% da participação do BNI …

Tesla usa peças do Model 3 para construir um ventilador

A Tesla também está a tentar contribuir para colmatar a escassez de ventiladores com um novo protótipo, feito com partes do Model 3. A Tesla construiu um ventilador com recurso a componentes automóveis. A fabricante elétrica …

Há acordo no Eurogrupo: 500 mil milhões de euros "disponíveis imediatamente"

Os ministros das Finanças da Zona Euro chegaram a acordo, esta quinta-feira, sobre os apoios económicos para fazer face à pandemia de covid-19. O Eurogrupo chegou a acordo sobre o pacote de ajuda económica para a …

Se recebeu uma chamada da Tunísia, não devolva. É fraude

Clientes de várias operadoras nacionais têm recebido, nas últimas semanas, um "anormal" volume de chamadas internacionais. As operadoras suspeitam de fraude. Segundo o Jornal de Notícias, várias pessoas têm recebido chamadas de u número internacional que …