Sinéad O’Connor acusa Prince de ter “batido em várias mulheres” e de a ter tentado agredir

A cantora Sinéad O’Connor fez revelações duras sobre Prince no programa da estação televisiva britânica ITV, Good Morning Britain.

Segundo a cantora e compositora irlandesa, o músico Prince, que morreu em 2016 por overdose, terá agredido “várias mulheres” ao longo da vida. Sinéad relatou ainda, de acordo com o jornal britânico The Indepedent, uma tentativa de agressão que terá sofrido por parte do cantor, que a obrigou a fugir e pedir auxílio.

Intérprete do tema “Nothing Compares 2 U”, composto por Prince, Sinéad O’Connor afirmou: “Tentou bater-me. Foi uma experiência assustadora.” A tentativa de agressão terá acontecido numa noite após o autor de “Purple Rain” ter intimado a irlandesa a ir a sua casa, em Los Angeles.

Sinéad, que hoje afirma ter sido “tolo ir sozinha”, garante que Prince estava incomodado por esta não ser uma protegida sua, como o eram outros artistas emergentes para os quais o cantor e músico chegou a compor.

Queria que fosse protegida dele e exigiu-me que não praguejasse nas minhas entrevistas. Disse-lhe onde podia ir e ele atacou-me. Subiu as escadas e voltou com uma almofada. Havia algo duro na almofada. Saí a correr de casa dele e escondi-me atrás de uma árvore”, contou a irlandesa.

Alegadamente em fuga, Sinéad O’Connor garante ter encontrado Prince “na auto-estrada, às cinco da manhã”. “Estava eu a cuspir-lhe e ele a tentar dar-me socos. Tive de ir tocar à campainha de alguém, que foi o que o meu pai me disse sempre para fazer se estivesse numa situação como esta.”

Na altura em que a tentativa de agressão terá acontecido, de acordo com Sinéad O’Connor, Prince andaria “a tomar umas drogas bastante más”.

A irlandesa garante que “não foi a única” que o norte-americano tentou atacar, acusando-o de ter “batido em várias mulheres” e afirmando que “uma das raparigas da sua banda esteve no hospital com costelas partidas naquele tempo”.

O músico, que tinha 57 anos, foi encontrado sem vida a dia 21 de abril de 2016 no elevador de casa, em Paisley Park, Minneapolis (EUA). No decurso da investigação, a polícia efetuou buscas à residência do músico e apreendeu documentos médicos e receitas de analgésicos.

o cantor morreu com uma overdose de fentanil, um analgésico que pode ser usado por pacientes de cancro. Os opiáceos são fármacos derivados do ópio usados como analgésicos para dores crónicas ou como drogas recreativas. O relatório ressalvava que a causa da morte foi acidental, resultado da auto-administração do opiácio sintético, que é 50 a 100 vezes mais poderoso do que a morfina.

A polícia local não encontrou sinais óbvios de trauma no corpo de Prince, e não havia razões para acreditar que a morte tenha sido por suicídio.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Benfica vai apresentar queixa por ameaças de morte a Vieira e vandalismo

O Benfica vai avançar com queixas devido às ameaças de morte ao presidente do clube em tarjas colocadas nas imediações do Estádio da Luz, mas também pela vandalização de várias casas benfiquistas. Segundo o jornal online …

Submarino civil transparente pode levá-lo ao local do naufrágio do Titanic

A Triton, uma empresa com sede na Florida, fabrica submarinos civis de última geração há mais de uma década. Agora, vai fazer nascer o Triton 13000/2 Titanic Explorer, que para além de oferecer aos passageiros …

Catorze detidos nos novos protestos em Barcelona a favor de Pablo Hasél

Pelo menos 14 pessoas foram detidas pela polícia catalã, este sábado, durante os distúrbios que se seguiram a mais uma manifestação em Barcelona a reclamar a libertação do rapper Pablo Hasél. Segundo o jornal Público, pelo …

Procuradores avançam para tribunal contra nomeações de chefias

O Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) está envolvido numa nova polémica, depois do concurso que culminou na indigitação de José Guerra para a Procuradoria Europeia. Segundo avança o Jornal de Notícias, este domingo, um concurso para …

A partir de segunda-feira, eletrodomésticos vão ter novas etiquetas energéticas

As organizações não-governamentais ambientalistas saúdam as novas etiquetas energéticas, que entram em vigor esta segunda-feira, mas pedem “mais atenção” ao consumidor e “maior rapidez” na reclassificação de “mais produtos”. Em comunicado, a cooligação Coolproducts, um grupo …

Depois do balde de água fria da pandemia, Israel vai ficar melhor do que nunca. Tudo pelos turistas

Israel está fechado em casa e viajar para este país não faz parte dos planos de muitas pessoas. No entanto, este período de acalmia pode mesmo ser o melhor momento para planear uma viagem - …

Menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais e menos 151 mil cirurgias em 2020

No ano em que a pandemia chegou a Portugal, houve menos 151 mil cirurgias e menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais públicos. A covid-19, que chegou a Portugal a 2 de março de 2020, obrigou …

Várias escolas de Tóquio pedem "certificados de cabelo real" aos alunos

As escolas japonesas são conhecidas pela sua rigidez relativamente à aparência dos seus alunos, tanto que os estudantes que não seguem o padrão de "cabelo liso e preto" têm de apresentar provas. Dados divulgados, esta semana, …

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …