Sindicato acusa Pingo Doce de violar normas de trabalho

Pingo Doce

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio alertou esta quarta-feira para alegadas violações das normas de trabalho num dos supermercados Pingo Doce no concelho de Sesimbra, com funcionários “intimados” a prolongar o horário, depois de cumpridas as oito horas.

“Estão a tentar forçar os trabalhadores a trabalhar mais horas do que o horário normal”, disse à agência Lusa o presidente do sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), Manuel Guerreiro.

Fonte oficial do Pingo Doce disse à Lusa que “terça-feira é um dia normalmente de pico de trabalho nas lojas, devido à entrada de nova promoção semanal”, admitindo que que esta terça-feira “houve, efetivamente, lugar à realização de trabalho suplementar, devidamente registado e remunerado”.

Na base das alegadas pressões está, segundo o dirigente sindical, a falta de pessoas para o volume de trabalho e a vontade de gestores de algumas unidades locais conseguirem resultados com redução de custos, na tentativa de usufruírem de prémios e avaliações.

“Isso leva as pessoas a serem muito mais agressivas, impondo trabalho não remunerado ou para além do horário normal”, lamentou.

O sindicato emitiu hoje um comunicado dando conta de situações de “trabalho a mais, em violação de todas as regras” e recordando episódios em que os trabalhadores terão sido mesmo impedidos de sair da loja ao final do dia.

“Têm poucas pessoas dentro da loja e muita atividade, então fechavam as pessoas dentro da loja. Quando iam sair tinham a porta fechada, isto é um sequestro”, declarou Manuel Guerreiro.

“Isto foi denunciado. O gerente disse que foi algum engano, mas era sistemático, de tal forma que um dia um dos chefes da loja ficou lá preso. Ainda estava lá uma chefia que queria sair e não podia porque as portas estavam trancadas”, contou, indicando que a situação está relatada num email: “Tinha de entrar às 5 ou às 6 da manhã no dia seguinte”.

Em relação à “à situação de fecho das portas de loja”, o Pingo Doce assegurou que “a mesma observou o protocolo de segurança noturna em vigor na companhia, em nenhum momento se podendo alegar que os colaboradores fiquem ‘trancados’ no interior da loja, já que existe em permanência uma chave ao dispor sendo por todos conhecido o depositário da mesma”.

Na sequência destes episódios houve fiscalizações e o compromisso de que não voltariam a acontecer, referiu o representante dos trabalhadores, garantindo que na terça-feira voltaram a “impor” trabalho aos funcionários.

“Obrigaram pessoas a ir trabalhar a partir das 22h, até às 2h e 3h… Pessoas que hoje às 6h e 7h já estavam novamente a trabalhar. Isto é um regime quase de escravatura, de trabalho forçado, porque depois as pessoas não descansam, para já não falar da vida pessoal”, disse.

De acordo com o sindicato, são invocadas normas de trabalho extraordinário que as pessoas desconhecem, mas não contestam por receio de serem prejudicadas.

“Põe-se a fazer invocações de normas e de leis que não existem ou são mal invocadas para obrigarem as pessoas a trabalhar. As pessoas não são juristas e ficam pressionadas”, relatou.

“Este caso é um dos muitos que detetámos. Além de obrigarem as pessoas a trabalhar mais, ainda as fechavam lá dentro. Esta prática de obrigar as pessoas a trabalhar mais é generalizada na empresa, o não respeito pelos tempos de descanso”, acusou.

No comunicado, o sindicato diz que o Pingo Doce “insiste em forçar os trabalhadores” a trabalhar a mais, “horas e horas”, depois de cumprirem os horários normais, “sem respeitar o intervalo mínimo legal de descanso entre jornadas de trabalho”.

A situação relatada hoje abrangeu, segundo o sindicato, uma dezena de trabalhadores, “intimados a ir trabalhar das 22h às 2h ou 3h, depois de já terem cumprido a sua jornada de oito horas e estarem escalados para retomar o trabalho três, quatro ou cinco horas depois”.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Este alerta seria interessante se fosse transversal e verdadeiro.
    mas infelizmente não passa de uma reação grosseira a uma acusação
    de que os sindicatos se preocupam muito com a politica e pouco com os trabalhadores,
    o que infelizmente até é verdade.

    e já agora seria bom que os sindicatos se actualizassem no discurso porque as ovelhas que abanam a cabeça a tudo o que o pastor diz já vai escasseando, para maleita de muitos, as pessoas lá têm evoluido.

RESPONDER

Renováveis baixaram fatura da luz em 2,4 mil milhões na última década

A produção de eletricidade a partir de fontes renováveis permitiu ao sistema elétrico português acumular uma poupança de 2,4 mil milhões de euros ao longo dos últimos 10 anos. Esta é a principal conclusão de um …

Constitucional chumba barrigas de aluguer pela segunda vez

O Tribunal Constitucional chumbou, esta quarta-feira, pela segunda vez, o diploma do Parlamento sobre gestação de substituição, depois de um chumbo no ano passado. O BE apresentou uma proposta em que se previa "que a gestante …

Furacão Humberto ganha força a caminho das Bermudas

O furacão Humberto aumentou de intensidade nas últimas horas e atingiu a categoria 3 a caminho das Bermudas, informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC) nesta quarta-feira. O terceiro furacão da temporada no Atlântico, …

Brasil é o país lusófono com mais refugiados. Já Portugal tem as maiores remessas dos emigrantes

Um relatório das Nações Unidas (ONU) revelou que o Brasil é o país lusófono que acolhe mais refugiados, Portugal é o que recebe mais remessas dos emigrantes e Moçambique teve o maior aumento de estrangeiros …

Ryanair deixa de voar entre Porto e Lisboa em outubro (mas fica com base mais reduzida em Faro)

A transportadora aérea irlandesa Ryanair vai deixar de voar entre Porto e Lisboa a partir de 25 de outubro devido a “razões comerciais”. A confirmação foi dada pela empresa ao Jornal de Notícias. Em abril, a …

Frente-a-frente entre Costa e Rio teve menos 633 mil espectadores do que o debate entre Costa e Passos em 2015

O frente-a-frente entre António Costa e Rui Rio, os líderes dos dois maiores partidos, teve menos audiência do que o confronto de há quatro anos, entre António Costa e Pedro Passos Coelho. Cerca de de …

EDP condenada a multa de 48 milhões por abuso de posição dominante na produção de energia

A Autoridade da Concorrência (AdC) condenou a EDP por abuso de posição dominante. A coima de 48 milhões de euros foi aplicada à EDP Produção por manipular a oferta de serviços de sistema que regula …

Há sete anos que a média de secundário dos colocados no Ensino Superior não era tão alta

Há sete anos que a média de secundário dos colocados no ensino superior não era tão alta. Relativamente aos alunos de cursos científico-humanísticos, a média dos colocados tem vindo a aumentar desde 2015, tendo atingido …

Futebolistas internacionais russos Kokorin e Mamayev saíram da prisão

Pavel Mamayev e Alexander Kokorin foram detidos depois de atacarem dois homens, um responsável do governo, num estacionamento de um hotel, e um outro num café. Deixam a prisão por "bom comportamento". Os futebolistas internacionais russos …

Praga de baratas fecha refeitório do hospital Amadora-Sintra

Uma praga de baratas está a afetar o Hospital Amadora-Sintra, provocando sérios transtornos às centenas de trabalhadores desta unidade de saúde. O caso foi denunciado ao Correio da Manhã por funcionários e confirmado pelo hospital. A …