Sindicato acusa FNAC de “pressão” e “assédio moral” sobre os trabalhadores

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços (CESP) acusa a FNAC de “assédio moral” sobre os trabalhadores, que estarão a ser pressionados para reduzirem o horário e consequente remuneração, e admite avançar judicialmente contra a empresa.

Em declarações aos jornalistas esta segunda-feira, durante uma ação de protesto frente à loja da FNAC na rua de Santa Catarina, no Porto, a dirigente do CESP Marisa Ribeiro afirmou que “a pressão e o assédio” sobre os trabalhadores acontece “a nível nacional, em todas as lojas” daquela cadeia internacional de produtos culturais e eletrónicos.

A agência Lusa contactou a administração da FNAC em Portugal, que disse não pretender prestar declarações.

Segundo explicou a dirigente do CESP, em causa está a alegada intenção da FNAC em reduzir a carga horária de diversos trabalhadores das 40 para as 30 ou, mesmo, 20 horas semanais, com a consequente diminuição dos salários.

Na região do Porto, disse, estão nesta situação “oito ou nove” trabalhadores, mas o caso está a repetir-se “em catadupa nas outras lojas do país”.

Com cerca de 400 funcionários na região Norte, segundo o CESP, a nível nacional a FNAC emprega mais de um milhar de trabalhadores.

Face à indisponibilidade dos funcionários para aceitar esta situação, diz o sindicato, a empresa tem promovido um clima de “pressão” e “assédio moral”, comunicando aos visados a sua transferência para outras lojas da cadeia mais distantes das respetivas residências.

De acordo com Marisa Ribeiro, a mesma estratégia estará a ser usada junto de “trabalhadores não gratos” para a empresa, como os sindicalizados.

Considerando a situação “inaceitável”, o CESP garante estar “disponível para ir até ao fim” e, “caso a empresa não aceite parar com esta pressão, até a ir para tribunal”.

Questionada pela agência Lusa, a dirigente sindical admitiu tratar-se de uma situação recorrente no setor do comércio e distribuição: “Nos grandes grupos económicos, nomeadamente na Jerónimo Martins (Pingo Doce), na Sonae (Continente), no El Corte Inglês, no Auchan (Jumbo), no Minipreço, no Lidl e no Intermarché, o assédio moral é praticado, seja para trocar ou reduzir horários, seja para tentar que o trabalhador tenha medo e, assim, o fragilizar”.

“Em muitos casos”, garante, “fazem isso para que o trabalhador acabe por ceder e se despeça“, perdendo assim o direito a indemnização.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. É esse o esquema destas empresas e dos hiper reduzir as horas / menos salário mas durante o mês acabam por fazer as mesmas horas mas não remuneradas e é-lhes atribuído em vez de salário horas de descanso.
    Sem falar nos preços de venda na FNAC que são muito superiores a outros locais, mas isso agora não vem ao caso.

RESPONDER

Casal homossexual de pinguins "roubou" um ovo para poder ter a sua família

Um casal homossexual de pinguins de um jardim zoológico na Holanda estava tão ansioso por ter as suas crias que não resistiu à tentação e acabou por roubar um ovo de outro par. De acordo com …

Gabriel renova contrato com o Benfica até 2024

O médio brasileiro renovou contrato por mais uma época com o Benfica, até 2024, anunciou, esta quinta-feira, o clube no seu site oficial. "Estou muito feliz com esta renovação por mais um ano, é uma forma …

Malta Files permitiu ao Fisco recuperar milhões. Rui Pinto diz que foi um dos denunciantes

O pirata informático assumiu, esta quinta-feira, ter sido um dos denunciantes dos Malta Files, que permitiu ao Fisco identificar cidadãos e empresas portugueses que se aproveitaram do regime fiscal maltês para pagar menos impostos. "De acordo …

Há 5 anos que aparecem maços de notas nas ruas de uma aldeia inglesa (e ninguém sabe porquê)

Os residentes de uma aldeia inglesa andam a descobrir maços de notas nas ruas desde 2014. Um mistério que, até agora, ninguém conseguiu explicar. Mas há várias teorias e uma envolve o Pai Natal! O dinheiro …

Em 2018, só nove crianças foram colocadas em famílias de acolhimento

Apenas nove crianças tiveram uma medida de proteção em regime de acolhimento familiar em 2018, sendo que quase todas as crianças sinalizadas pelas comissões de menores ficaram na família, a maioria junto dos pais. De acordo …

Militar da GNR diz que droga apreendida na "casinha" era da Juve Leo

Decorreu, esta quinta-feira, a terceira sessão do julgamento da invasão à academia do Sporting, que decorre no tribunal de Monsanto, em Lisboa. O militar da GNR João Oliveira admitiu hoje, em tribunal, que a posse da …

Continental vai acabar com 5500 empregos em todo o mundo até 2028

A alemã Continental vai suprimir 5.500 empregos no mundo até 2028, num contexto de abrandamento conjuntural e de queda da procura por motores a combustão, anunciou esta quarta-feira o fornecedor automóvel germânico. Com o objetivo de …

Tailândia. Exploração sexual de mulheres e crianças denunciados no primeiro discurso do Papa

O Papa Francisco denunciou esta quinta-feira que "mulheres e crianças estão particularmente vulneráveis, violentados e expostos a toda a forma de exploração, escravatura, violência e abuso", na primeira intervenção proferida na Tailândia, um dos destinos …

Forças de segurança ameaçam com nova manifestação a 21 de janeiro

As associações de profissionais da PSP e da GNR que se concentraram junto ao Parlamento, esta quinta-feira, anunciaram um novo protesto para 21 de janeiro, caso o Governo não atenda às suas reivindicações. O anúncio foi feito …

Mortes por cancro do pâncreas duplicaram em Portugal nos últimos 25 anos

As mortes por cancro do pâncreas mais do que duplicaram em Portugal nos últimos 25 anos, correspondendo a um aumento médio anual de 3%, revela um estudo esta quinta-feira divulgado pela Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia …