Shamima fugiu para se juntar ao Estado Islâmico (mas agora quer regressar a casa)

Sem arrependimentos de ter escapado para a Síria e de se ter casado com um soldado do auto-proclamado califado, Shamima Begum, hoje com 19 anos, vive agora num campo de refugiados, está grávida e quer regressar ao Reino Unido.

Shamima Begum conta que viu cabeças dentro de caixas, mas que não ficou incomodada. A mesma Shamima Begum, que tem agora 19 anos, quer regressar ao Reino Unido de onde fugiu. Quer voltar porque está grávida de nove meses – é a terceira gravidez. Os dois primeiros filhos morreram e não quer perder outro bebé.

“Tinha medo que, ao ficar, a criança que estou prestes a dar à luz morresse tal como os meus outros filhos”, explica Shamima ao jornal britânico The Times. Shamina não quer ficar junto ao campo de batalha, em Baghuz, no leste da Síria. Deixou a região há uns meses, o marido foi detido pelas autoridades governamentais e o seu bebé pode nascer a qualquer momento.

Vive num campo de refugiados no norte do país, mas não quer que o filho nasça ali. “Esta é a verdadeira razão pela qual quero regressar ao Reino Unido, porque sei que, pelo menos no que diz respeito à saúde, vão tomar conta dele.

A criança é a maior preocupação. “Faço tudo o que for preciso para conseguir ir para casa e viver descansada com o meu filho.” É o terceiro parto que vai ter, os dois primeiros filhos morreram: uma menina com um ano e nove meses e um menino que aos oito meses sucumbiu a uma doença provocada pela má nutrição da criança. Levou-os ao hospital, mas “não havia medição disponível nem médicos suficientes”, conta.

Apesar do desejo de voltar ao Reino Unido, porém, não está arrependida de ter deixado o país em 2015. Dentro de dias, a 17, assinala-se o quarto aniversário da sua fuga.

Nesse dia, disse aos pais que ia passar o dia com as amigas Amira Abase, 15 anos, e Kadiza Sultana, de 16 anos. As três dirigiram-se ao aeroporto de Gatwick, em Londres, embarcaram num voo com destino à Turquia.

Quando do desaparecimento, as autoridades já suspeitavam que as jovens tinham fugido com o objetivo de se tornarem noivas da jiad. A teoria foi confirmada por Shamima que, uma vez em Raqqa, “se candidatou para casar com um homem entre os 20 e 25 anos e que falasse inglês”. Dez dias depois estava casada com um holandês de 27 anos e convertido ao Islão.

“Era uma vida normal. O que mostram nos vídeos de propaganda é a vida normal. Uma vez por outra há bombas e essas coisas. Mas nada mais que isso”, disse. O casal viveu na capital do califado, que só seria recuperada no final de 2017 pelas Forças Democráticas Sírias. Fugiu depois para Baghuz, parte do pouco território que ainda resta dominado pelo grupo radical.

Lembra-se que, por várias vezes, viu cabeças em caixas. “Não me incomodou de todo”, refere. “Eram de soldados capturados no campo de batalha, inimigos do Islão. Só pensava no que fariam a uma mulher muçulmana, se tivessem a oportunidade”.

Há duas semanas, o casal deixou a zona de batalha. Ela foi levada para o campo de refugiados e ele entregou-se.

Confrontado com o pedido de Shamima, o ministro da Segurança, Ben Wallace, assegurou numa entrevista à BBC, esta quinta-feira, que “não vai pôr em perigo a vida dos britânicos para ir buscar terroristas ou ex-terroristas de um estado falhado”. “As ações têm consequências”, insistiu.

Para Wallace, quando as jovens fugiram, estavam conscientes “daquilo em que se estavam a meter”. “É um grupo terrorista, um dos piores que alguma vez existiu no mundo, que matou pessoas e é responsável pela morte de dezenas de cidadãos britânicos”, acrescentou.

Atualmente, devido a questões de segurança, não há diplomatas britânicos em território sírio. Quem deseje regressar, tem sempre de o fazer através dos serviços consulares na Turquia ou no Iraque.

ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Voltas ao RU é mas é o camandro. Tu e o teu bebezinho abortícola que fiquem aí na poeira e na desolação que ajudaste a criar e tanto apoiaste. Olha, aproveita uma das caixas de cabeças para lhe fazer um berço. Bem expremido deve caber lá.

    • O bebé infelizmente não tem culpa de ter nascido de gente tão ordinária, mas ela se não está arrependida por tudo o que tem passado nem tão pouco incomodada com o que tem observado, só lhe desejo que uma dessas caixas lhe sirva para armazenar a cabeça dela, espero que o território europeu não lhe sirva mais de refúgio porque caso contrário cada vez perceberemos menos qual o caminho que os políticos nos tentam impingir e isso será muito perigoso.

  2. Quer o melhor para o bébé, é mas é o ultimo refúgio para ela se salvar (hipócrita) para terem pena do bébé e voltar e nada aconteçiae ainda por cima educava o menino(a) a matar os meus filhos amanhã, assassina morre a implorar não quero saber de nada tantos bébés ficaram sem pai e mãe, morreeeeeeeeeeeeeee. EU VI.

  3. Pena de morte! Quem mata tem de morrer da mesma forma…. Assassinos bons, só depois de cremados vivos e as cinzas e almas enviadas pró capeta!!!!

  4. Vai presa e tiram-lhe o filho que vai para adoção, e quanto a mim ainda é o melhor futuro que lhe podem oferecer! O justo seria mesmo pagar com a própria vida (já que a vida dos outros, aos olhos dela, não tem valor algum).

RESPONDER

Estratégia prevê rede de bancos de leite materno e revisão das licenças para amamentar

A ENALCP apresentada esta quarta-feira prevê a criação de uma rede nacional de bancos de leite materno e a revisão dos diretos de parentalidade. Ambientes favoráveis deverão ser também revistos. A Estratégia Nacional para a Alimentação …

DGS aconselha grávidas e bebés vegetarianos a tomarem suplementos

A Direção-geral da Saúde recomenda suplementos de vitaminas e minerais para bebés e grávidas com alimentação vegetariana e lembra que a dieta não omnívora no primeiro ano de vida deve estar sempre sob supervisão médica. "A …

Entre os boletins de voto dos emigrantes, também há cheques e contas da luz

Para exercer o seu direito de voto, os eleitores portugueses residentes no estrangeiro deveriam enviar de volta para Portugal a documentação que receberam em casa – um envelope verde com o boletim de voto, dentro …

Ryanair despede 432 trabalhadores em Espanha

A companhia aérea irlandesa Ryanair confirmou esta quarta-feira a sua intenção de despedir em Espanha 432 trabalhadores das suas bases de Girona e Canárias, 327 tripulantes de cabine e 105 pilotos, informou o sindicato USO. Num …

Eleições em Moçambique. Dados preliminares dão vitória a Nyusi

Segundo as projeções de resultados da Sala da Paz, de acordo com valores “preliminares” baseados na leitura dos editais pelos seus observadores, o atual Presidente moçambicano e candidato da Frelimo, Filipe Nyusi, terá sido reeleito …

"Quem acusou Sócrates tem de provar. Se não provar tem de ser punido"

O ex-Presidente brasileiro, Lula da Silva, defende punição de procuradores da Operação Marquês, caso a acusação contra José Sócrates seja arquivada. Esta terça-feira, em entrevista à RTP, Lula da Silva defendeu a punição dos procuradores que …

Na Saúde, Warren torna-se alvo de ataques. Mas o foco é "derrotar Trump"

O maior debate televisivo para umas eleições primárias na história dos EUA juntou 12 candidatos num só palco. Foi o primeiro debate para o qual o ex-vice-Presidente Joe Biden não partiu com vantagem, tendo a …

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …

Grécia. Incêndio em campo de refugiados deixa 600 pessoas sem alojamento

Um incêndio no campo de identificação e registo de migrantes de Vathy, na ilha grega de Samos, deixou 600 refugiados sem alojamento, alertou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Em Vathy, seis …

Lista candidata à Ordem dos Enfermeiros excluída por ter poucos homens

Uma das listas candidatas às eleições para a Ordem dos Enfermeiros foi excluída por ter poucos homens. A comissão eleitoral nomeada explica que a lista não respeita a lei da paridade, aprovada pela Assembleia da …