Sete mil corpos estão enterrados na Universidade do Mississipi

Os corpos de sete mil pessoas que foram institucionalizadas num centro de tratamento para doentes mentais estão enterrados debaixo da Universidade do Mississipi, nos EUA.

Os primeiros cadáveres foram descobertos em 2013, quando foram realizadas obras para construção de uma estrada, mas só agora é que foi possível perceber a quantidade de corpos ali depositados.

Segundo a BBC, o centro para onde eram enviadas pessoas com perturbações mentais, chamado Insane Asylum, esteve a funcionar entre 1855 a 1935 e os doentes eram mantidos enclausurados em jaulas.

De acordo com registos, em cada cinco doentes hospitalizados entre 1855 e 1877, mais do que um acabava por morrer.

Para exumar e voltar a enterrar todas as pessoas, os responsáveis estimam que sejam necessários até 21 milhões de dólares, cerca de 19 milhões de euros, mas o centro médico da universidade está à procura de uma alternativa mais barata.

Os professores da universidade querem criar um laboratório e um memorial para honrar os mortos e para que os alunos possam estudar os restos mortais dos pacientes.

Ralph Didlake, que supervisiona o Centro de Bioética e Humanidades Médicas, acredita que o laboratório será o primeiro do género nos EUA – dando a possibilidade de investigações sobre a vida no asilo entre 1800 e o início de 1900.

“Seria um recurso único e faria do Mississipi um centro nacional de registos históricos sobre a saúde no período pré-moderno”, afirmou a professora de antropologia, Molly Zuckerman.

Em março, na Irlanda, os investigadores da comissão Mother and Baby Homes registaram um acontecimento semelhante – uma campa com os restos mortais de bebés e crianças foi encontrada num antigo orfanato católico.

Esta descoberta confirma suspeitas com décadas de que uma vasta maioria da crianças que morreram na instituição foram enterradas no local em campas não identificadas, uma prática relativamente comum entre estes orfanatos e num período caracterizado por elevadas taxas de mortalidade.

O Governo irlandês lançou a investigação em 2014, no seguimento do trabalho de uma historiadora de Tuam, Catherine Corless, que descobriu as certidões de óbito de cerca de 800 crianças residentes na instituição, mas apenas o registo do enterro de uma criança.

Katherine Zappone, membro da comissão de investigação, considerou esta revelação  “triste e perturbadora”, fazendo votos de que as famílias das crianças enterradas no antigo orfanato possam proporcionar funerais adequados aos corpos que venham a ser exumados.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …

Itália quer mudar sede da final da Liga dos Campeões

A Itália quer que a final da Liga dos Campeões deste ano, marcada para o Estádio Olímpico Atatürk Olympic, mude de sede. Os últimos dias não têm sido fáceis para a UEFA. Depois dos incidentes racistas …

CNN coloca broa portuguesa entre os 50 melhores pães do mundo

A propósito das celebrações do Dia Mundial do Pão, que se celebra esta quarta-feira, a CNN fez uma lista com os 50 melhores pães do mundo e um deles é a broa portuguesa. A broa conhecida …

CP lança nova campanha: Lisboa-Porto por cinco euros e mais descontos até 80%

Há 10.300 bilhetes a custos muito reduzidos, anunciou a CP – Comboios de Portugal esta terça-feira. A nova campanha garante viagens nos comboios de longo curso Alfa Pendular e Intercidades “com 80% de desconto”, abrangendo …

"Níveis recorde". Glaciares suíços perderam 10% do seu volume nos últimos cinco anos

Os glaciares suíços perderam 10% do volume nos últimos cinco anos, a maior redução em cem anos, alertou esta terça-feira a Academia Suíça das Ciências. A Academia baseia-se nas medições feitas pelos peritos do painel intergovernamental …

Caso BPN. Relação condena dois dos absolvidos e agrava penas a outros dois

O Tribunal da Relação de Lisboa condenou esta quarta-feira dois dos três arguidos absolvidos no processo principal da falência do BPN, Ricardo Oliveira e Filipe Nascimento, e agravou as penas a dois dos 12 arguidos …

Operação Éter. Hermínio Loureiro entre as dezenas de autarcas arguidos

Hermínio Loureiro, ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, está entre as dezenas de atuais e antigos autarcas que foram constituídos arguidos no âmbito da Operação Éter. Este processo levou à prisão preventiva do antigo presidente …

Proteção Civil quer que bombeiros voltem a ser obrigados a usar cinto de segurança

A estrada mata mais bombeiros do que os incêndios. Por isso, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil criou um grupo específico para analisar o problema. Rui Ângelo, chefe da Divisão de Segurança, Saúde e …

Estratégia prevê rede de bancos de leite materno e revisão das licenças para amamentar

A ENALCP apresentada esta quarta-feira prevê a criação de uma rede nacional de bancos de leite materno e a revisão dos diretos de parentalidade. Ambientes favoráveis deverão ser também revistos. A Estratégia Nacional para a Alimentação …