/

Corpos de mães solteiras poderão estar enterrados junto aos filhos no convento na Irlanda

Vários corpos de mães solteiras poderão estar enterrados junto aos seus filhos num convento de freiras na Irlanda, onde se acredita que estejam restos mortais de quase 800 recém-nascidos, noticia hoje o jornal Sunday Times.

A investigação é de uma historiadora irlandesa, que confirmou que poderão estar enterradas 796 crianças não identificadas numa cuba de betão ao lado de um antigo convento católico em Tuam, no condado de Galway, na Irlanda, conhecido como “A Casa”.

Catherine Corless encontrou notas sobre a morte e enterro, sem caixão nem pedra tumular, de 796 recém-nascidos, no edifício que abrigava mães solteiras — conhecidas por “Magdalene Sisters” (Irmãs de Madalena) – recebidas entre 1925 e 1961 no convento de freiras por terem engravidado fora de um casamento ou na sequência de comportamentos considerados imorais, num país de forte tradição católica.

A historiadora acredita que poderão estar também enterrados os corpos de nove mulheres, mães de algumas das crianças também sepultadas, tendo encontrado registos de pelo menos três delas.

De acordo com o Sunday Times, a historiadora fez corresponder os endereços que constam nos certificados de óbito dessas três mulheres com algumas das crianças alegadamente também lá enterradas.

Catherine Corless disse ainda ao jornal que desde que a sua descoberta se tornou pública, na semana passada, tem recebido muitos pedidos por ‘email’ de pessoas que procuram verificar os certificados de morte de familiares.

Limerick1914 / Flickr

Fotos de algumas das crianças da Casa no Connaught Tribune, 21 de Junho 1924

Fotos de algumas das crianças da Casa no Connaught Tribune, 21 de Junho 1924

Para a historiadora, a descoberta dos quase 800 esqueletos é “a ponta do iceberg” pois suspeita que o governo irlandês mantenha em segredo certificados de óbito de perto de 4.000 bebés que foram enterrados em condições semelhantes.

O primeiro-ministro irlandês, o democrata cristão Enda Kenny, admitiu a possibilidade de alargar a pesquisa sobre Tuam a outras casas de acolhimento de ordens religiosas espalhadas pelo país.

A Amnistia Internacional pediu ao Executivo para investigar o caso que chocou o país, onde a Igreja Católica enfrentou décadas de escândalos por milhares de casos de maus tratos com crianças.

No momento, o Governo irlandês pediu à polícia para elaborar um relatório com todas as informações disponíveis, que irá ser remetido para um grupo interministerial, que ficará a cargo desta investigação.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.