Separatistas do Iémen abdicam da autonomia. Acordo de partilha do poder com o Governo mais próximo

A guerra civil no Iémen estende-se desde março de 2015

Os separatistas do sul do Iémen anunciaram esta quarta-feira que abdicam da autonomia, afirmando estarem prontos para implementar o acordo de Riade, que prevê a partilha do poder com o Governo, segundo o porta-voz da fação armada.

O porta-voz do Conselho de Transição do Sul, Nizar Haitham, anunciou no Twitter que o grupo “renuncia à sua declaração de autonomia”, a fim de permitir a aplicação do acordo de Riade, noticiou a agência Lusa.

No final de junho, o Presidente do Iémen, Abd Rabbo Mansour Hadi, exilado na Arábia Saudita, tinha instado os separatistas a “pôr fim ao derramamento de sangue” e a respeitar um acordo de partilha do poder, nas primeiras declarações que fez sobre a declaração de autonomia do Sul, em abril.

O conflito entre o Governo do Iémen, apoiado pela Arábia Saudita, e os separatistas, apoiados por sua vez pelos Emirados Árabes Unidos, representa uma guerra dentro da guerra no Iémen.

O acordo de Riade foi assinado em novembro de 2019 e prevê a partilha do poder no Iémen do Sul entre Governo e separatistas, mas não foi posto em prática. A Arábia Saudita declarou esta quarta-feira que tinha proposto um novo plano para “acelerar” a implementação do acordo, que prevê a criação de um novo Governo no prazo de 30 dias.

De acordo com a agência oficial da Arábia Saudita, a nova proposta saudita prevê compromissos, como a formação de um Governo composto por 24 ministros, com igual representação para o norte e sul, incluindo os separatistas.

Durante a guerra, os dois estados árabes sunitas, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, foram parceiros numa coligação militar que luta para expulsar os rebeldes xiitas houthi, aliados ao Irão, que se apoderaram do norte do Iémen em 2014.

O impasse entre as duas frentes aliadas deu origem a conflitos violentos, ameaçando abalar a coligação liderada pela Arábia Saudita e complicando os esforços para pôr fim ao conflito, que matou mais de 112 mil pessoas.

No final de junho, a coligação militar liderada por Riade tinha destacado observadores sauditas para vigiar a aplicação de um cessar-fogo entre as forças pró-governamentais e os combatentes separatistas, após confrontos no Sul.

O Iémen encontra-se numa profunda crise e mergulhado na guerra, depois de os huthis terem derrubado o Governo de Hadi, em 2014, exilado na Arábia Saudita. Os sauditas envolveram-se na guerra em 2015, comandando a coligação árabe que apoia Hadi.

De acordo com as Nações Unidas, o Iémen enfrenta a maior crise humanitária a nível mundial, com cerca de 80% da população dependente de ajuda de emergência.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Alemanha tem provas materiais de que Maddie está morta

As autoridades alemãs têm provas materiais de que Madeleine McCann está morta, garante o porta-voz da Procuradoria de Braunschweig, Hans Christian Wolters, à RTP. Apenas está por provar o envolvimento de Christian Brueckner no homicídio …

BE quer que direito das grávidas a acompanhante seja respeitado

O Bloco de Esquerda (BE) quer que as normas da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre gravidez e parto no âmbito da covid-19 sejam revistas para que o direito das mulheres grávidas a estarem acompanhadas seja …

Proposta do PCP para passar Novo Banco para esfera pública foi chumbada

A recomendação ao Governo proposta pelo PCP para reverter da venda do Novo Banco, transferindo-o para a esfera pública, foi hoje chumbada no parlamento com os votos contra de PS, PSD, CDS-PP, PAN, Iniciativa Liberal …

Trump ataca voto por correspondência. Resultados podem não ser "determinados de forma precisa"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, reforçou na quinta-feira no Twitter os ataques ao voto por correspondência nas eleições de novembro, ao que a rede social reagiu ligando duas das suas mensagens a informação verificada …

Quatro candidatos disputarão sucessão de Santana no Aliança

O novo líder do Aliança, que sucederá ao fundador do partido, Pedro Santana Lopes, vai ser escolhido entre quatro candidatos no próximo congresso nacional, agendado para 26 e 27 de setembro em Torres Vedras. Segundo noticiou esta …

Recomendação do PS para tarifa social de Internet sem oposição (mas partidos querem mais)

A recomendação do PS ao Governo para que crie uma tarifa social de acesso à Internet não mereceu esta quinta-feira oposição de nenhuma bancada, mas foram vários os partidos que defenderam a necessidade de “ir …

Ex-deputado PS acusado de uso abusivo de viaturas da Câmara de Barcelos

O Ministério Público acusou de peculato e abuso de poderes o ex-deputado socialista Domingos Pereira, pela alegada utilização de viaturas do município de Barcelos para deslocações de e para a Assembleia da República. Segundo nota publicada …

Quim Torra acusa Governo espanhol de tentar "excluir um presidente no meio de uma pandemia"

Um recurso do presidente separatista catalão Quim Torra contra uma condenação por desobediência que pode afastá-lo do exercício de cargos públicos durante ano e meio foi analisado na quinta-feira pelo Supremo Tribunal de Espanha. Antes …

Cinco anos depois, Volkswagen nega reembolso a 125 mil portugueses lesados

A marca alemã Volkswagen respondeu à Deco Proteste, cinco anos após o caso "dieselgate", informando que não irá indemnizar mais consumidores, tendo em vista os processos judiciais em curso. Segundo noticiou esta sexta-feira a Madremedia, em …

Novo recorde em cinco meses. Mais 780 casos por covid-19 em Portugal

Portugal regista mais seis mortos e 780 casos de infeção por covid-19 esta sexta-feira, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Os números revelados no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde …