Seis novos sauditas indiciados na Turquia pela morte de Khashoggi

pomed / Flickr

O Jornalista saudita Jamal Khashoggi

Os seis sauditas, indiciados a alguns dias do segundo aniversário do homicídio, não se encontram na Turquia e devem ser julgados à revelia.

O procurador de Istambul indiciou, esta segunda-feira, seis novos sauditas suspeitos de envolvimento na morte do jornalista dissidente Jamal Khashoggi em 2018.

O procurador pediu uma pena de prisão perpétua para dois dos suspeitos implicados e cinco anos para os restantes quatro arguidos, pelo seu envolvimento no assassínio e desmembramento de Khashoggi no consulado saudita de Istambul a 2 de outubro de 2018, avançaram os meios de comunicação turcos.

Os seis sauditas não se encontram na Turquia e devem ser julgados à revelia.

A 3 de julho um tribunal de Istambul iniciou o julgamento à revelia de 20 outros sauditas, incluindo dois suspeitos próximos do príncipe herdeiro da Arábia Saudita Mohammed ben Salmane, também indiciados pelo seu presumível envolvimento na morte.

Entre estes 20 acusados, dois são identificados pelos investigadores turcos como os mentores do crime: Saoud al-Qahtani, um ex-conselheiro do príncipe herdeiro, e o general général Ahmed al-Assiri, um antigo número dois dos serviços de informações sauditas.

Khashoggi, um colaborador do The Washington Post e crítico do regime saudita após ter estado próximo dos círculos do regime, foi assassinado e o seu corpo desmembrado em outubro de 2018 no consulado da Arábia Saudita em Istambul, onde se deslocou para recuperar um documento. Tinha 59 anos, e os seus restos nunca foram encontrados.

A morte de Khashoggi originou uma das mais graves crises diplomáticas na Arábia Saudita e degradou a imagem do príncipe herdeiro Mohammed ben Salmane, designado “MBS”, apontado por responsáveis turcos e norte-americanos como o principal mandante da morte.

Após ter negado o assassínio e avançado com diversas versões dos factos, Riade afirmou que foi cometido por agentes sauditas que atuaram sem terem recebido ordem dos seus superiores.

Na sequência de um processo opaco na Arábia Saudita, cinco sauditas foram condenados à morte em dezembro e três outros a penas de prisão pelo assassinato, num total de 11 pessoas indiciadas. Não foi emitida qualquer acusação contra al-Qahtani, enquanto al-Assiri foi absolvido.

No início de setembro, um tribunal de Riade anulou o seu veredicto final das penas de morte pronunciadas e condenou os cinco sentenciados a 20 anos de prisão, e três outros a penas de entre sete e 10 anos de prisão.

Este veredicto surgiu após os filhos de Jamal Khashoggi terem decidido em maio conceder o seu perdão aos executores do crime.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Era como se a morte estivesse num copo." No século XVIII, o gin estava a arruinar a Inglaterra

A bebida alcoólica tornou-se tão popular no Reino Unido que os empresários começaram a utilizar todo o tipo de aditivos para enriquecerem. No século XVIII, o gin tornou-se a maior droga que o homem poderia consumir …

Vacinar animais contra a covid-19? Dezenas de zoos nos EUA estão a avançar com a ideia

Cerca de 70 jardins zoológicos e espaços de conservação nos Estados Unidos estão a administrar a vacina da farmcêutica veterinária Zoetis aos seus animais. Não são só os humanos que estão a ser vacinados contra a …

Lewis Hamilton: "Eu não disse que estava a morrer"

Acidente com Max Verstappen originou dores no campeão; Helmut Marko disse que já era "espectáculo" a mais. Troca de palavras entre os dois candidatos ao título. Como se esperava, o acidente que envolveu Lewis Hamilton e …

Autorretrato de Frida Kahlo deverá ser vendido por um valor recorde de 30 milhões de dólares

A Sotheby’s espera ultrapassar os 30 milhões de dólares (mais de 25 milhões de euros) com o autorretrato da pintora mexicana Frida Kahlo, no qual aparece também o seu marido Diego Rivera. O autorretrato Diego y …

David Luiz: "Um dos dias mais especiais da minha vida" - e ainda se fala sobre Jorge Jesus

Flamengo ficou mais próximo de mais uma final da Libertadores, depois de derrotar o Barcelona de Guayaquil. David Luiz estreou-se. O Flamengo venceu o Barcelona de Guayaquil por 2-0, na primeira "mão" das meias-finais da Copa …

Iémen. Escassez de alimentos empurra 16 milhões de pessoas para a fome, revela ONU

Pelo menos 5 milhões de pessoas no Iémen estão à beira da fome e outros 16 milhões estão "a caminhar para a fome", num país dilacerado pela guerra civil. O Programa Mundial de Alimentos (WFP, na …

Presidente da Tunísia governará por decreto, ignorando partes da constituição

O Presidente da Tunísia, Kais Saied, declarou que governará por decreto e ignorará partes da constituição, enquanto se prepara para mudar o sistema político, gerando críticas imediatas da oposição. Desde 25 de julho, dia em que …

Alemanha deixa de pagar quarentena a trabalhadores não vacinados

A Alemanha vai deixar de indemnizar trabalhadores não vacinados que forem forçados a quarentena devido ao coronavírus, por ser "injusto pedir aos contribuintes que subsidiem aqueles que se recusam a ser vacinados", disse na quarta-feira …

Governo acaba com recomendação do teletrabalho

O Conselho de Ministros decidiu acabar com a recomendação da opção pelo teletrabalho e eliminar a testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores. Estas medidas integram a terceira e última fase do plano …

Cansado de denúncias, Betis pede aos seus sócios: "Portem-se bem"

Clube onde jogam dois portugueses quer que os adeptos tenham um "comportamento adequado" durante os jogos no Benito Villamarín. O Betis de Sevilha jogou seis vezes até agora, nesta época. Quatro desses encontros foram disputados em …