SEF deu visto a estrangeiro proibido de entrar na Europa

Tiago Petinga / Lusa

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras terá concedido autorização de residência a um cidadão de nacionalidade paquistanesa que tinha sido alvo de uma medida de segurança de interdição de entrar no espaço Schengen, a pedido das autoridades norueguesas.

O Diário de Notícias avança que um dos casos mais graves identificados na auditoria do Gabinete de Inspeção (GI) do SEF, que provou a existência de centenas de vistos deferidos à margem da lei, entre milhares de que há suspeita terem sido validados, é a de um visto de residência concedido a um paquistanês proibido de entrar no espaço Schengen.

Estas proibições podem ser aplicadas a imigrantes ilegais que foram expulsos ou até a suspeitos ou condenados por crimes graves. Com o visto português, este estrangeiro pode circular livremente na União Europeia (UE).

O mesmo jornal avança também que o Gabinete de Inspeção do SEF apanhou, só numa direção regional, mais de dois mil casos em situação irregular.

A informação surge no seguimento da notícia de que uma auditoria interna, realizada pelo mesmo órgão – o Gabinete de Inspeção do SEF – teria concluído haver suspeitas de corrupção e vistos ilegais sem o requisito obrigatório de prova de entrada legal no nosso país.

O novo diretor desse serviço, Carlos Moreira, optou por arquivar a auditoria que propunha, além do mais, sanções disciplinares a seis funcionário, inclusive Luís Gouveia – ex-diretor nacional adjunto, suspeito de ter permitido a legalização de estrangeiros, sem que fossem cumpridos os requisitos exigidos por lei -, que acabou até por ser promovido.

A autorização de residência do cidadão paquistanês foi concedida em Alverca pela inspetora que coordenava o posto de atendimento. Segundo o jornal, a funcionária em causa terá ignorado a medida de segurança registada no Sistema de Informações Schengen.

Auditoria com suspeitas de corrupção e vistos ilegais

Além do demais, a auditoria detetou também indícios de corrupção de um funcionário e um inspetor.

Em relação a estes dois, terão sido extraídas duas certidões criminais ainda pela anterior direção do SEF e abertos inquéritos posteriormente enviados ao Ministério Público. No entanto, a Procuradora-Geral da República disse “não conseguir localizar” os referidos processos.

A auditoria foi instaurada em 2016, quando quem dirigia esta autoridade ainda era Luísa Maia Gonçalves, para investigar “eventuais irregularidades em procedimentos administrativos na regularização excecional de estrangeiros nos termos do artigo 88, nº 2”.

Esta lei permite que estrangeiros que tenham entrado de forma legal em território nacional e tenham já contrato de trabalho possam requerer a legalização. No entanto, este requisito – a prova de entrada de forma legal no país – foi eliminado de forma irregular em 2015, levando então à abertura desta auditoria.

Ao ex-diretor nacional adjunto, Luís Gouveia, segundo fontes que acompanharam a investigação, os auditores atribuíram a responsabilidade de ter dado aos serviços a orientação irregular e de ter mandado alterar o sistema informático do SEF para que fosse eliminando o campo do “visto administrativo” e permitisse que fossem agendados os pedidos sem este requisito.

As situações mais comuns encontradas como conclusão da auditoria diziam respeito a cidadãos da Índia, Paquistão e Nepal que eram inscritos no sistema como brasileiros. Com essa cidadania ficavam isentos do visto de entrada e eram agendados.

A auditoria encontrou também autorizações de residência concedidas a estrangeiros que tinham dado informações falsas, como contratos de trabalho que não correspondiam à entidade empregadora, ou bilhetes de avião que não coincidiam com a declarada data de entrada.

Nas conclusões da auditoria era proposto como sanção disciplinar para Luís Gouveia uma multa, devido à violação de prossecução de interesse público, de zelo, de imparcialidade e de lealdade.

Após o arquivamento do processo, o ex-diretor nacional adjunto foi destacado como oficial de ligação na Representação Portuguesa em Bruxelas – passando ainda a auferir mais de 10 mil euros por mês.

O coordenador do Gabinete de Inspeção, o coronel Rui Baleizão, demitiu-se esta semana, um ano após a renovação da sua comissão de serviço, no final de 2016, por mais três anos.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. É sempre a mesma coisa, descobrem-se as verdades mas responsabilizar esses diretores / funcionários / inspetores, etc. pois em caso de alguma desgraça / atentados ou outro, mais uma vez a culpa morre solteira e o Estado é que tem de pagar tudo. Há que chamar à responsabilidade esses elementos ao serviço do Estado (são eles os olhos e os ouvidos do Estado) e que os mesmos respondam civil e criminalmente às suas responsabilidades, e cujo ordenado não é certamente o SMN.

  2. No dia em que tivermos o azar de algum ataque suicida tal como já aconteceu aos nossos parceiros europeus ninguém será culpado neste país a começar pelos governantes e acabando nas autoridades, a segurança dos cidadãos para eles pouco importa sobretudo para os políticos.

  3. Isto foi negócios de somas grandes de milhares de euros para darem autorização de residência e mais grave ninguém e responsabilizado por nada.
    A pena é que a muita gente a que em Portugal a trabalhar e fager descontos em dia a muitos anos e o SEF não os legaliza ate hoje ligas para lá é senpre mesma coisa esperar e outros com dinheiro pagam somas grandes de euro só seis meses já têm autorização de residência o mas pior nen sabem falar português e nen são dos países lusófonos e a muitos que são em sima disso doa países de CPLP sem documentos é muita pena falta de justiça e sinceridade.

  4. Isto é entrar vilanagem, isto é um paraíso para os terroristas, mesmo procurados se passarem alguns euros para as mãos de algum funcionário(s) têm as portas abertas da Europa e de vez em quando lê-se que num país europeu houve uma explosão em que morreram x pessoas.
    Mas quando se lê “Após o arquivamento do processo, o ex-diretor nacional adjunto foi destacado como oficial de ligação na Representação Portuguesa em Bruxelas – passando ainda a auferir mais de 10 mil euros por mês.” Quer dizer um director nacional com um processo em cima ainda é agraciado com um lugar fora do país e aumento de vencimento. Realmente neste país os prevaricadores é que vencem, quem trabalha e é bom cidadão contribui para por exemplo ir ganhar mais 10 mil euros.
    Acho que um dia ainda vou começar a portar-me mal, basta eu ter as connections corretas nos lugares certos para não sofrer nada.

RESPONDER

TAP com novo voo do Brasil para Portugal a 11 de março

A Embaixada de Portugal em Brasília anunciou, esta quarta-feira, que se irá realizar, a 11 de março, um novo voo entre São Paulo e Lisboa, em "condições inteiramente idênticas" às da viagem de repatriamento ocorrida …

Campos de reeducação servem para reduzir o número de uigures, diz estudo chinês

Um relatório chinês confirma que os campos de reeducação para onde o Governo envia os uigures da província de Xinjiang têm como objetivo diminuir a população uigur. O documento foi publicado acidentalmente online Depois de uma …

Merkel cede e aceita levantamento progressivo das medidas. França estima que situação melhore em abril

A chanceler alemã, Angela Merkel, aceitou na quarta-feira um levantamento progressivo das restrições contra a pandemia na Alemanha, cedendo a um descontentamento crescente na opinião e no próprio governo a sete meses das eleições legislativas. Ao …

Não tem de "haver culpados" no incêndio que matou cães em Santo Tirso, diz Governo

A secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, defendeu ontem que “não tem de haver culpados” no incêndio de julho de 2020 que vitimou mais de 70 animais em dois abrigos ilegais em Santo …

Diagnóstico de grupo de peritos confirma cenário negro na Saúde Pública

A Comissão para a Elaboração da Proposta de Reforma da Saúde Pública e Sua Implementação pinta um retrato negro do estado da Saúde Pública em Portugal. Em fevereiro do ano passado, a ministra Marta Temido nomeou …

"Raciocínio Neandertal". Biden critica fim das máscaras obrigatórias no Texas

O Presidente norte-americano criticou, esta quarta-feira, a decisão do governador do Texas de acabar com a obrigatoriedade de utilização de máscara, classificando-a de "raciocínio Neanderthal". "Estamos à beira de ser capazes de mudar fundamentalmente a natureza …

Joacine já exonerou quatro assessores desde que saiu do Livre

Silavnia de Barros e Inês Beleza Barreiros saíram do gabinete de Joacine Katar Moreira. A deputada não-inscrita já exonerou quatro assessores desde que se desvinculou do Livre. Esta quarta-feira, um despacho publicado em Diário da República …

Redução da renda, mais apoio e menos burocracia. As propostas do PCP para ajudar pequenos empresários

O PCP vai entregar quatro propostas e um projeto de lei para que o Governo adote medidas para auxiliar as pequenas e médias empresas após ouvir as queixas dos pequenos e médios empresários. De acordo com …

Lista do PSD faz estalar o verniz: há candidatos que não o são e autarcas que não foram contactados

O PSD anunciou, esta quarta-feira, uma lista com 100 nomes para concorrerem às eleições autárquicas, mas há autarcas a demarcarem-se da decisão anunciada pela direção. O nome de Paulo Manuel Santos, atual presidente da Câmara de …

Catarina Martins diz que "PS é muito permeável ao poder económico"

Apesar de afastar uma coligação pré-eleitoral com o PS em Lisboa, Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, admite que o partido está disponível para dialogar com António Costa, mas sem "chantagens". Em entrevista ao Público …