Santander encerrou 60 balcões em 2020 e prevê fechar mais 30 até março

Mário Cruz / Lusa

O Santander encerrou 60 balcões em 2020 e estima fechar mais cerca de 30 este trimestre, numa adaptação ao modelo de negócio que diz obrigatória para sobreviver.

A Comissão Executiva do Santander, que assina a carta enviada aos colaboradores a que a Lusa teve acesso, começa por justificar o envio da nota “face a notícias recentes que envolvem o banco”, numa alusão aos apelos dos sindicatos para que suspenda o processo em curso dado o agravamento da pandemia, e que, em 19 de janeiro, já a tinha levado a esclarecer não vigorar “qualquer processo de rescisões por mútuo acordo”, mas sim propostas de pré-reforma ou da revogação de contratos de trabalho.

“O Banco Santander é reconhecido desde há vários anos como o mais sólido Banco de Portugal. Nos últimos cinco anos, integrámos o Banif e o Banco Popular, o que provocou uma sobreposição de balcões e de serviços, quer na rede comercial, quer nos serviços centrais”, lembram de seguida.

Para além destas integrações, o banco diz que tem concentrado “os esforços e investimento em acompanhar a era da digitalização” que se vive, “com uma redução progressiva de balcões, redefinição funcional de outros, e a automação crescente de processos e funções ao nível dos serviços centrais”.

Ao mesmo tempo “tem adaptado” o modelo de negócio “a novas variantes da atividade bancária e às diferentes exigências e níveis de concorrência”, sublinhando tratar-se de um contexto de transformação “obrigatório para todos os bancos que queiram sobreviver no futuro, especialmente no contexto de forte compressão de receitas” que se vive e “tendo presente o aumento da concorrência com a entrada de novos agentes (Fintechs e BigTechs) e a alteração radical do comportamento dos clientes” bancários.

“Nos últimos anos, a rentabilidade dos bancos foi constrangida por diversos fatores que são por todos conhecidos, com destaque para a exigência de níveis de capital mais elevados (de 2008 para hoje, o aumento do capital regulatório mínimo de 8% para 12,5% implicou, no caso do Santander Totta, a necessidade de mais 750 milhões de euros de capital para simplesmente poder operar), a existência e persistência de taxas de juro negativas, e generalizadas limitações a comissões”, explica a Comissão Executiva.

Em termos nacionais, a gestão aponta condicionantes “como o custo que o banco tem com a resolução de outros bancos e outras taxas setoriais, que ascende hoje a mais de 74 milhões de euros/ano”.

O Santander adiciona a estas explicações “as atuais exigências dos clientes” com os serviços digitais e níveis de disponibilidade permanentes dos serviços bancários.

“No último ano, as vendas em canais digitais por cliente ativo aumentaram significativamente; tem vindo a descer sucessivamente, ano após ano, o número de clientes que visitam um balcão (29% em dois anos), bem como os novos clientes captados por este canal (22% em dois anos), num movimento que se manterá crescente nos próximos anos”, acrescentam.

E é neste quadro que o banco, reafirma, que tem vindo a fazer “desde há vários anos”, propostas de “acordos de saída (reforma ou revogação de contrato) a muitos colaboradores dos serviços centrais e da área comercial, diretivos e não diretivos”.

Um fenómeno que, reforça, é “comum a todo o setor bancário”. O grupo, tal como os “internacionais, tem vindo a concretizar a transformação do modelo de negócio nos países europeus em que opera”, nomeadamente “com redimensionamentos” nas suas filiais de Espanha, Polónia, Portugal e Reino Unido.

“Como anteriormente, durante o ano de 2020, o contacto com os colaboradores manteve-se, agora com necessária predominância de propostas de acordos de revogação, apresentando o banco a cada colaborador as melhores condições do setor e ímpares na nossa economia, assegurando ainda uma rede de acompanhamento futuro a cada colaborador que saia do banco, que incluirá, entre outras, assessoria à recolocação profissional, apoio social, garantias de saúde, a par de manutenção de muitas das condições de que beneficiam os colaboradores do Banco”, garante.

A Comissão Executiva admite que este ajustamento vai continuar durante 2021, “em linha com o encerramento de balcões e redimensionamento de serviços centrais”, referindo que o banco “fechou mais de 60 balcões em 2020, e tem estimado encerrar cerca de 30 agências durante este trimestre, estando previsto implementar durante este ano diversas automações e alterações de processos nos serviços centrais, de forma crescente”.

E é neste contexto que diz que procurará que as saídas de colaboradores “sejam feitas de comum acordo”, “privilegiará sempre que possível as aceitações voluntárias a processos unilaterais e formais”, tendo “sempre em consideração o contexto individual de cada colaborador e o contexto coletivo dos tempos atuais”.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Já há uma explicação científica para as "dunas" do céu do Norte

Um ano depois da sua observação, as auroras de dunas, ou auroras boreais em forma de duna, já possuem confirmação e explicação científica. A aurora boreal nasce quando as partículas carregadas expelidas pelo Sol, como eletrões, …

Parker Solar Probe deteta sinal de rádio na atmosfera de Vénus

Para se aproximar do Sol, a sonda Parker Solar Probe, da NASA, usa o impulso de Vénus para mudar a sua órbita e reduzir o seu periélio em cada uma das passagens ao redor da …

Cartas de amor entre Saint-Exupéry e a mulher publicadas em França

Antoine e Consuelo de Saint-Exupéry deixaram para trás a lembrança de uma relação tempestuosa, uma obra-prima que ele escreveu e ela inspirou, "O Principezinho", e um conflito entre herdeiros, mas a publicação em França de …

Luva sensorial pode ajudar pessoas com tricotilomania

A tricotilomania é um problema que afeta milhares de pessoas em todo o mundo, sendo que consiste em puxar o cabelo compulsivamente. Agora, um novo dispositivo pode trazer uma solução viável à vida destes indivíduos. O …

Menu de 1913 é encontrado em restaurante britânico durante obras de recuperação

Um grupo de construtores de Liverpool descobriu, de forma acidental, um menu intacto que data de 1913. A relíquia caiu do teto durante um projeto de recuperação do atual espaço. O menu, datado de 15 de …

No primeiro complô da CIA contra os Castros, Fidel não era o alvo

A CIA tentou por várias vezes matar Fidel Castro. No entanto, no primeiro complô americano contra a família Castro, Raúl, irmão de Fidel, era o alvo. Fidel Castro foi um político e revolucionário cubano que governou …

Merkel opõe-se a proposta dos EUA de levantar patentes de vacinas

O Governo alemão mostrou oposição à proposta dos EUA para o levantamento de patentes de vacinas contra a covid-19, descolando da posição de vários países e da própria União Europeia (UE). "A proteção à propriedade intelectual …

Perdeu-se há 176 anos. Identificado o primeiro membro da expedição de Franklin ao Ártico

Pela primeira vez, a identidade dos restos mortais de um membro da expedição Franklin de 1845 foi confirmada com ADN e análises genealógicas por uma equipa de investigadores. A última notícia que a família de John …

Benfica 1 - 1 FC Porto | Empate com sabor a derrota para rivais

Um empate com sabor a derrota para Benfica e FC Porto, no “clássico” da 31ª jornada da Liga NOS. Na tarde desta quinta-feira, “águias” e “dragões” anularam-se e não foram além de um 1-1, que …

Seychelles, o país mais vacinado do mundo, regressa ao confinamento após subida de casos

As Seychelles, o país que já imunizou 62,2% da população com as duas doses da vacina, fechou escolas e cancelou atividades desportivas durante duas semanas devido à subida de casos de covid-19. Além disso, proibiu encontros …