Santana vem para governar de forma diferente (e acabar com a opressão fiscal)

Mário Cruz / Lusa

Ex-primeiro ministro, ex-presidente de câmara, do PSD e do Sporting, ex-provedor da SCML, fundador do partido Aliança: Pedro Santana Lopes

O fundador da Aliança acusou o Primeiro-ministro de insistir num caminho de “opressão fiscal”, oposto aos interesses do país. Santana Lopes diz ainda que veio para “governar Portugal de forma diferente”.

Num documento da comissão instaladora da Aliança, analisado pelo Expresso, Santana Lopes apontou várias críticas ao caminho que Portugal tem percorrido com António Costa.

As primeiras críticas surgem relativamente à excessiva carga fiscal sobre o trabalho – medida que segundo a Aliança compromete três áreas vitais na economia: o investimento, a poupança e o consumo.

“A Aliança entende como regra cimeira de um sistema fiscal que ninguém seja obrigado a pagar ao Estado mais de metade do que recebe como remuneração pelo seu trabalho”, defende Santana Lopes.

Para o partido criado pelo ex-social democrata, o Governo de António Costa devia aproveitar “toda a folga orçamental existente para aliviar o peso dos impostos sobre o trabalho e sobre as empresas”.

O novo partido de Santana tem o combate à “opressão fiscal” como a grande bandeira do partido e defende a “redução da taxa máxima para a taxa intermédia do IVA, quer da eletricidade, quer da construção nova”.

Os “sete pecados fiscais”

Segundo o documento do partido, “as erradas opções orçamentais e, principalmente, a falta de ambição pelo crescimento” anularam as hipóteses de existir as margens orçamentais para as medidas equacionadas por Santana Lopes.

Santana Lopes concorda ainda com a crítica generalizada de que António Costa é pouco amigo das empresas e de nada fazer para garantir a fixação de capital.

Este OE poderia e deveria ser mais ambicioso. O clima que se cria tem muita influência. A palavra que mais se ouve é devolver. Devia ser crescer. Estamos a perder uma oportunidade histórica”, afirmou o partido.

De acordo com a Aliança, as medidas do governo estão a perpetuar a condição de Portugal como membro justificável da “cauda da União Europeia no que respeita ao rendimento per capita, indicador fundamental para aferir da qualidade de vida das pessoas”.

A alternativa

Apesar do combate à “opressão fiscal”, a Aliança refere ainda que a preferência deve ser dada à fiscalidade indireta em detrimento da fiscalidade direta, defendendo uma “maior tributação sobre o tabaco, as bebidas alcoólicas e a alimentação prejudicial para a saúde”.

Redução nos impostos sobre o trabalho, maior estabilidade fiscal, redução do IRC e mais apoio para as empresas, mais benefícios para jovens famílias à procura de habitação, incentivos fiscais à poupança e maior tributação sobre o tabaco e sobre o álcool.

Caso tivesse lugar no parlamento, estas seriam as propostas da Aliança para combater os erros da governação de António Costa a que chama de “sete pecados fiscais”.

O mais recente partido português impõe ainda “como desígnio nacional”, garantir “um contexto de estabilidade fiscal que ofereça aos agentes económicos horizontes temporais de confiança e previsibilidade”, através de um “pacto de estabilidade fiscal” que permaneça intacto durante, pelo menos, “duas legislaturas”.

Para as empresas, Santana Lopes quer juntar à redução do IRC o alargamento do período de isenção de pagamento desse imposto para novas empresas que se estabeleçam em Portugal.

Na mesma perspetiva, a Aliança defende ainda a redução da carga fiscal sobre os combustíveis para diminuir os custos com os transportes e uma maior capitalização das empresas “aumentando ainda mais a possibilidade de dedução à coleta dos dividendos que as empresas reinvistam no seu capital social e nos seus ativos”.

Santana Lopes quer ainda proteger e defender as famílias, sobretudo as mais jovens que procuram comprar casa.

Nessa perspetiva, Santana propõe a isenção de IMT na aquisição de casa própria para habitação permanente de casais com média de idades até 35 anos e que o número de filhos seja considerado no cálculo do IMI a pagar.

Na carta, a Aliança insiste ainda num último ponto: a necessidade de “estimular a poupança”, através de “medidas que testemunhem a importância que o Estado dá à capacidade aforradora dos seus cidadãos”, propondo “a revisão da taxa liberatória dos depósitos, hoje em 28%”

Ambição de governar

Apesar de a Aliança ter pouco tempo de vida e de não ter qualquer assento Parlamentar, Santana Lopes assume que o partido deve assumir-se desde já “como uma alternativa política que pretende governar Portugal“.

Para isso, a Aliança pretende combater um Governo que, segundo afirma o partido, “desistiu da sua identidade e das suas convicções” a troco do “silêncio e voto das esquerdas parlamentares”, escolhendo um caminho oposto aos interesses do país.

“Nós não tomámos a decisão de nos constituirmos em força política para sermos mais uma, igual a muitas outras. Viemos, com humildade mas com entusiasmo, para fazer diferente”, avisaram os fundadores do novo partido.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. É Fundamental reduzir a enorme carga fiscal em Portugal. O governo que temos chama reposição de rendimentos às migalhas que vai distribuindo, para enganar os tolos que o aguentam no Parlamento. Esta solução só esta a dar cabo do país. É urgente que se promova o crescimento do país em vez de um exercício calculista de ludíbrios. Este novo partido, talvez possa vir a ser útil, para ser um contraponto a um caminho de amorfia que se vai trilhando neste cantinho da Europa, cujo objetivo primeiro, e ainda é, a sobrevivência de alguém.

  2. A “forma diferente” deste artolas governar deu um bonito resultado em todos os cargos onde passou!…
    Foi mesmo exemplar/recomendável… ou não!!

RESPONDER

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …