/

Sánchez e Costa confortam-se em Cimeira Ibérica relâmpago (com dois elefantes na sala)

1

JuanJo Martín / EPA

Os primeiros-ministros de Portugal e Espanha, António Costa e Pedro Sánchez, na Cimeira Ibérica na Guarda.

Os primeiros-ministros de Portugal e Espanha, António Costa e Pedro Sánchez, encontram-se, nesta quinta-feira, em Trujillo, para uma Cimeira Ibérica de curta duração, numa altura em que os seus Governos socialistas enfrentam dias difíceis.

Os Orçamentos de Portugal e Espanha são os “elefantes na sala” desta Cimeira Ibérica que tem como pano de fundo a cidade espanhola de Trujillo que serviu de cenário para a série televisiva “Guerra dos Tronos”.

E, por esta altura, António Costa tem o seu trono de primeiro-ministro português ameaçado depois do chumbo ao Orçamento de Estado para 2022. O seu Governo deve cair, com a marcação de eleições antecipadas.

Do outro lado, Pedro Sánchez também tem pela frente uma negociação difícil do Orçamento espanhol, os chamados “Pressupuestos”.

Enquanto isso, os dois lideres socialistas têm a direita à perna, à espreita do regresso ao poder.

Assim, a Cimeira Ibérica será um espaço de conforto mútuo para os dois políticos que esperam chegar a entendimentos fáceis, para variar das negociações complicadas dos últimos tempos.

Novo Tratado de Amizade, PRR e transportes

A 32.ª Cimeira Luso-Espanhola vai ficar marcada pela assinatura de um novo Tratado de Amizade e Cooperação, 44 anos depois do primeiro.

O objetivo é reforçar os laços de amizade e solidariedade entre os dois países europeus, mas também actualizar um acordo que tem mais de 40 anos, para incluir os temas colocados pelos desafios da globalização, como a igualdade de género, a luta contra a delinquência organizada e o terrorismo internacional, entre outros.

Os dois países vão-se comprometer a cooperar em matérias do âmbito das instituições europeias.

A reunião terá como lema a “mobilidade sustentável” e permitirá “aprofundar as discussões mantidas com o governo de Espanha sobre a interligação entre dois processos importantes: a implementação da Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço e a execução dos Planos de Recuperação e Resiliência“, de acordo com comunicações oficiais.

A questão dos transportes é um dos pontos essenciais da Cimeira Ibérica e devem ser discutidos alguns troços ferroviários transfronteiriços, como as linhas Sines-Madrid, Aveiro-Salamanca e a nova ligação Porto-Vigo.

Outro assunto de relevo passa pela aprovação de um novo estatuto do trabalhador transfronteiriço, com vista a facilitar a vida a quem cruza a fronteira entre os dois países diariamente, para ir trabalhar.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Os trabalhos incluem reuniões bilaterais sectoriais, em que cada ministro se reúne com o seu homólogo do outro país, sendo uma delas entre os dois chefes de Governo, havendo em seguida um encontro entre todos os membros das duas delegações.

No final da cimeira, decorre o encontro “O futuro da Europa”, com 20 alunos do Instituto Politécnico de Portalegre e outros tantos estudantes da Universidade da Extremadura, a partir das 17 horas em Espanha, em que estarão presentes António Costa e Pedro Sánchez.

  ZAP // Lusa

1 Comment

  1. E a questão de Olivença ? Quando é que teremos políticos com tomates para confrontar a Espanha e exigir a devolução desse território a Portugal ?

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.