Salvini prepara-se para lançar a liga dos eurocéticos para as eleições europeias

Angelo Carconi / EPA

Matteo Salvini

Matteo Salvini quer ser o chefe de um movimento de conquista da União Europeia. A Polónia parece esperar pelos resultados eleitorais para decidir se participa ou não.

O vice-primeiro-ministro italiano convidou vários partidos populistas e anti-imigração para um encontro em Milão, na próxima segunda-feira. O objetivo é criar uma aliança para as eleições europeias de 26 de maio.

Salvini entrou em conversações diretas com Jaroslaw Kaczynski, do Partido Direito e Justiça (PiS) polaco, que está a pôr em prática uma revolução conservadora e eurocética de tom semelhante à que Viktor Orbán lançou na Hungria em 2010. No entanto, o partido de Governo na Polónia só aceita dar apoio a esta frente após as eleições.

Segundo a imprensa italiana, além de aliados tradicionais como a francesa União Nacional (RN), de Marine Le Pen, e o Partido da Liberdade da Áustria (FPÖ), juntaram-se recentemente a Salvini a Alternativa para a Alemanha (AfD), os Verdadeiros Finlandeses e o Partido do Povo Dinamarquês.

O lançamento do “manifesto soberanista” de Salvini, marcado para segunda-feira num hotel de luxo de Milão, ocorre depois de o líder da Liga ter visto frustrado um compromisso com Jaroslaw Kaczynski, que chegou a levá-lo a Varsóvia, em janeiro, para propor um “eixo anti-imigração”.

Kaczynski preferiu contudo, para já, manter-se no grupo político europeu Aliança de Conservadores e Reformistas (ECR), de que fazem parte os Irmãos de Itália (Fratelli d’Italia), e qualquer possibilidade de uma aliança fica adiada para depois das eleições europeias.

O “plano B” de Matteo Salvini passa por ampliar a Europa das Nações e das Liberdades (ENF), grupo político no Parlamento Europeu (PE) de que a Liga faz parte. O político italiano tem dado por outro lado mostras de grande proximidade com o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, que em janeiro disse ver em Salvini “um herói”.

Mas o Fidesz, o partido de Orbán, mantém-se na principal família política europeia, o Partido Popular Europeu (PPE, centro-direita), apesar de ter sido suspenso em março por uma campanha contra Bruxelas.

Na segunda-feira, em Milão, Matteo Salvini lança o seu “manifesto soberanista”, assente na defesa das raízes cristãs e da identidade nacional, na luta contra a imigração e proteção das fronteiras externas, no primado das leis nacionais sobre as diretrizes europeias, algo que o político nacionalista define como “senso comum”.

“A diferença entre nós e os outros é que os outros precisam de ir ao estrangeiro à procura de alianças”, disse Salvini, citado pelo diário Stampa, numa indireta à líder dos Fratelli, Giorgia Meloni, que esta semana esteve na Polónia, e ao seu parceiro de coligação Movimento 5 Estrelas (M5S), de Luigi di Maio, que foi a França encontrar-se com representantes do movimento de protesto dos “coletes amarelos”.

“A Liga convida outros movimentos europeus para Itália. Tornámo-nos centrais, como país, graças a este governo”, acrescentou.

Depois do encontro de segunda-feira, a Liga volta a Milão, onde o partido nasceu como Liga do Norte, para o encerramento da campanha eleitoral na central Piazza Duomo, a 18 de maio.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A União Europeia deveria repensar rapidamente o regresso à CEE.
    Depois da saída do UK, outros países se seguirão.
    As regras e quotas da UE, são um impedimento ao crescimento económico da cada membro.

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …