Salvini acusa o “hipócrita” Macron de já ter recusado 48 mil imigrantes

european_parliament / Flickr

Matteo Salvini, líder da Liga e novo ministro do Interior italiano

O ministro do Interior italiano acusou o Presidente francês de querer dar lições de solidariedade a Itália e assegura que França já recusou 48 mil imigrantes, desde 2017, na fronteira italo-francesa.

“Desde o início de 2017 até hoje, a França do bom Emmanuel Macron recusou mais de 48 mil imigrantes na fronteira com Itália, incluindo mulheres e crianças”, criticou o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, nas redes sociais.

O político italiano acrescentou: “É esta a Europa solidária e que acolhe de que fala Macron e os benfeitores? Antes de dar lições aos outros, convidaria o hipócrita Presidente francês a reabrir as suas fronteiras e acolher os milhares de refugiados que prometeu receber”.

Segundo um documento enviado por fontes do Ministério do Interior, desde o início do ano foram recusados na fronteira 6.561 imigrantes com documentos de residência válidos em Itália e outros 10.915 estrangeiros sem documentos.

Organizações humanitárias têm denunciado em várias ocasiões as “múltiplas violações de direitos” que sofrem os imigrantes na fronteira de Ventimiglia, em Itália, ao serem recusados pelas autoridades francesas.

Macron respondeu na quarta-feira ao primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, e a Salvini, que se reuniram em Milão, que o consideraram o seu “principal opositor” na Europa, em matéria de migração.

“Neste momento, na União Europeia, há dois blocos, um liderado por Macron (…), que é o chefe dos partidos que apoiam a imigração, e do outro lado estamos nós, que queremos travar a imigração ilegal. Esta é a situação atual”, disse Orban numa conferência de imprensa conjunta realizada após o encontro.

Confrontado com estas declarações, Macron respondeu: “Se eles queriam apontar-me como o seu principal adversário, têm razão“. “Não cederei nada aos nacionalistas e àqueles que defendem esse discurso de ódio”, acrescentou o chefe de Estado francês em Copenhaga, no segundo dia da sua visita à Dinamarca. Segundo Macron, “está a estruturar-se uma oposição forte entre nacionalistas e progressistas” na Europa.

As duas partes têm, no entanto, um ponto em comum: querem fazer desta questão um marco nas eleições europeias, agendadas para maio de 2019.

O Presidente francês enfrentará a intenção de um dos seus principais opositores, o líder da França Insubmissa (extrema-esquerda), Jean-Luc Mélenchon, de transformar o escrutínio num “referendo anti-Macron”.

Ludovic Marin / EPA

O Presidente francês, Emmanuel Macron

O ministro do Interior italiano, insistindo em que o seu país não será “o campo de refugiados da Europa”, forma uma frente comum com Orban. “Estamos a concentrar-nos num eixo, veremos o que será possível fazer em conjunto. Estamos todos a trabalhar para a construção de uma outra Europa“, declarou.

Ao mesmo tempo, Emmanuel Macron procura aliados dentro da União Europeia (UE) para constituir um “arco progressista”, um dos objetivos da sua visita à Dinamarca e à Finlândia até quinta-feira.

“Os extremos cresceram e os nacionalismos despertaram. É uma razão para desistir? Com certeza que não. De facto, é preciso redobrar os esforços“, sustentou Macron na segunda-feira, ao apresentar o seu programa diplomático aos embaixadores franceses, advertindo de que esse combate, que “acabou de começou”, será “longo e difícil”.

Em Copenhaga, o chefe de Estado francês insistiu na “seriedade” e no “espírito de responsabilidade” que são necessários “para lidar com” a questão das migrações “em profundidade” e “permanecendo fiéis aos valores” europeus.

“Ora, não é isso que Orban e Salvini propõem”, observou. Para Macron, estes últimos são “oportunistas” da Europa que beneficiam dos seus subsídios mas rejeitam as obrigações. “Os “xenófobos não trazem qualquer solução para o mal que denunciam”.

O diálogo anuncia-se tenso no próximo encontro dos dirigentes europeus, que se reunirão a 20 de setembro em Salzburgo para um conselho informal parcialmente dedicado à questão dos migrantes.

Na sua última cimeira, em junho, chegaram a acordo para promover a criação de “centros controlados” em território da UE e “plataformas regionais de desembarque” na bacia mediterrânica.

Roma subiu de tom na semana passada ameaçando parar de contribuir para o orçamento da UE se não for encontrada uma solução para resolver a situação do “Diciotti”, um navio retido no porto de Catânia, na Sicília, com cerca de 150 pessoas a bordo.

Os migrantes acabaram por desembarcar na madrugada de domingo, na sequência de um acordo entre a Igreja italiana, a da Albânia e a da Irlanda para dividirem entre si o apoio a dar-lhes.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Salvini talvez esteja a tentar salvar a Itália de uma invasão muçulmana como aquela que já existe em França e para a qual os franceses já não têm solução, estão condenados culturalmente, economicamente e civilizacional mente, daí haver cada vez mais vozes a levantarem-se contra esta forma de governar na Europa a qual até tem tido algumas culpas na desgraça de muitos destes refugiados ao meter o nariz onde não são chamados, recordo as Primaveras árabes e o resultado daí tirado sobretudo na Síria.

RESPONDER

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …

Abel Ferreira tentou levar jogador do Benfica para o Palmeiras

O treinador português Abel Ferreira, no comando técnico dos brasileiros do Palmeiras, pediu a contratação de Franco Cervi, que alinha pelo Benfica, mas acabou por ver a sua proposta recusada pelo jogador argentino. A notícia …