Salários de funcionários da ONU estão em risco

António Guterres, secretário-geral da ONU, alertou os funcionários que pode não haver verbas para pagar salários ao fim do mês devido ao défice financeiro da organização que já atingiu cerca de 210 milhões de euros.

Numa carta enviada aos 37 mil funcionários do secretariado da ONU, citada pela Agência France Press (AFP), António Guterres afirmou que tinham de ser tomadas “medidas adicionais não especificadas” para garantir que os salários e os direitos fossem pagos.

Os Estados-membros pagaram apenas 70% do valor total necessário para as nossas operações regulares em 2019. Isso traduziu-se numa escassez da caixa de 230 milhões de dólares (209,2 milhões de euros) no final de setembro. Corremos o risco de esgotar as nossas reservas de liquidez de backup até ao final do mês”, escreveu o secretário-geral da ONU, citado pelo Diário de Notícias.

Para reduzir os custos, Guterres referiu o adiamento de conferências e reuniões, a redução de serviços, restrição de viagens oficiais apenas a atividades essenciais e tomada de medidas para economizar energia.

Guterres já tinha pedido no início do ano aos Estados-membros que aumentassem as contribuições ao organismo mundial para evitar problemas de fluxo de caixa, mas estes recusaram, de acordo com um funcionário da ONU, que falou sob anonimato. “A responsabilidade final pela nossa saúde financeira cabe aos Estados-Membros”, afirmou Guterres.

A organização é financiada de duas maneiras: pagamentos obrigatórios e contribuições voluntárias. Cada um dos 193 membros da organização deve pagar uma percentagem do orçamento operacional regular da ONU e do orçamento de manutenção da paz. Mais de metade do orçamento da ONU é dirigido para ajuda humanitária e programas de apoio ao desenvolvimento. As missões de manutenção de paz absorvem 20% do orçamento.

Excluindo o que se paga pelas operações de manutenção da paz, o orçamento operacional da ONU para 2018/2019 é de quase 4,55 mil milhões de euros, com os Estados Unidos a contribuir com 22%.

O presidente norte-americano, Donald Trump tem exigido que as decisões da organização não contrariem as suas próprias linha políticas, uma vez que é um dos maiores “patrocinadores” da ONU. No ano passado, Trump ameaçou cortar os fundos para o programa da ONU que presta assistência a refugiados palestinianos, o que teria consequências graves para milhões de pessoas.

Em 2017, os EUA chegaram mesmo a cortar 240 milhões de euros na sua contribuição,  menos de uma semana depois de as Nações Unidas terem condenado a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel. Na altura, a representante dos EUA, Nikki Haley, disse que a posição das Nações Unidas foi “uma vergonha” e sublinhou que a ONU se tornou “um lugar hostil para Israel”.

A seguir aos EUA, quem paga maiores contribuições são o Reino Unido, Alemanha, o Japão e a União Europeia. Além dos países há outros grandes contribuidores, como a Fundação Bill e Melinda Gates, que nos últimos três anos contribuiu com quase 280 milhões de euros anualmente, colocando-a na 25ª posição na lista dos maiores financiadores, logo após a Argentina.

Por outro lado, existem ainda mais de 30 agências da ONU especializadas, programas e fundos, como a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Fundo Monetário Internacional (FMI). A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), por exemplo, são financiadas em parte por pagamentos obrigatórios.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Talvez a falta de verbas não seja algo assim tão mau. Isto obrigará a ONU a repensar a sua atividade e a concentrar-se nas questões que são realmente importantes, deixando de lado algumas demagogias e ideologias sociais.

  2. Olha-me este a fazer por lá o que fez por cá. Não esquecer que saiu de Portugal depois de ter realizado o maior aumento de sempre dos funcionários públicos em Portugal. Alguns quase que dobraram o salário em apenas um ano. À boa maneira socialista

  3. Há portugueses que não suportam ver compatriotas seus a destacarem-se no mundo. Será inveja ou apenas obter prazer com a maledicência? A prova está no facto de não fazerem o mesmo quando esses cargos estão ocupados por pessoas de outras nacionalidades. O pequeno sempre quer destruir o grande por pressentir que pode ser comido. Instintos remanescentes de tempos primitivos.

RESPONDER

Arquitetura óssea pode inspirar asas de aeronaves mais fortes

Uma nova descoberta na estrutura interna do osso pode levar a um melhor tratamento da osteoporose e a componentes de aeronaves mais duráveis. A densidade tem sido a referência para medir a força óssea. No entanto, …

Até as estrelas têm auroras (e já as podemos ver)

Uma equipa internacional de astrónomos observou sinais de rádio estranhos vindos de uma anã vermelha. Estas ondas bizarras estavam a ser produzidas pela interação com um exoplaneta que orbitava a estrela, criando uma aurora. Apesar de …

Tiroteios em dois bares fazem oito mortos na Alemanha

Pelo menos oito pessoas morreram hoje em dois tiroteios em dois bares na cidade alemã de Hanau, no centro do país, indicou a polícia local, sem precisar o número. O primeiro tiroteio ocorreu num bar de …

Descobertos sarcófago e altar dedicado ao fundador de Roma do século VI a.C.

Os dois objetos foram descobertos numa área subterrânea perto da Cúria, foi anunciado esta terça-feira. Um sarcófago considerado "excecional" e um altar do século VI a.C., que poderá ter sido dedicado a Rómulo, fundador de Roma, …

40 anos depois, cientistas identificam falha fundamental na eficiência dos painéis solares

Os painéis solares são uma das invenções mais impressionantes, mas é emergente descobrir como torná-los ainda mais eficientes. Recentemente, uma equipa de cientistas resolveu um mistério de 40 anos em torno de um dos principais …

SIC vai lançar serviço de streaming e canal de e-sports este ano

A SIC vai avançar para uma plataforma de streaming ainda em 2020. A "Netflix à portuguesa" ainda não tem nome, mas tem como objetivo "encontrar mais e novas audiências". Em entrevista ao jornal Público, o CEO …

Dagmar Turner tocou violino enquanto lhe era removido um tumor do cérebro

Uma paciente do King's College Hospital, no Reino Unido, tocou violino enquanto os médicos lhe removiam um tumor do cérebro. Desta forma, foi possível preservar a sua capacidade de tocar e a sua paixão de 40 …

"Não é aceitável". Tribunal de Contas refuta acusações de Manuel Heitor

O Tribunal de Contas (TdC) refutou as acusações do ministro do Ensino Superior sobre a auditoria ao modelo de financiamento do setor, considerando-as inaceitáveis e infundadas. "O tribunal tem o máximo respeito pela opinião dos auditados, …

"Lava que se farta". Isabel dos Santos recorre da absolvição de Ana Gomes

A empresária angolana recorreu para o Tribunal da Relação de Lisboa por causa das publicações no Twitter nas quais a antiga eurodeputada acusa a empresária, por exemplo, de "lavar que se farta". Em janeiro, o Tribunal …

Ministro considera "inaceitável" que TAP pague prémios em ano de prejuízos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação considerou "inaceitável" que a TAP, empresa que "tem 100 milhões de euros de prejuízos" em 2019, atribua prémios a uma minoria de trabalhadores. "É uma falta de respeito para …