Saladas prontas a comer: um paraíso para os patógenos

O setor de saladas prontas para consumo é um excelente exemplo de inovação, mas também um grande veículo de novas doenças.

As saladas prontas a comer ganharam popularidade desde a sua introdução na Europa, no início dos anos 80, e ainda hoje são uma presença assídua nas nossas cozinhas. Aliás, segundo o EurekAlert, espera-se que a popularidade destas saladas aumente.

À medida que esta indústria cresce, aumenta também o número de novas doenças. Há muitas razões que explicam este aumento, de acordo com um novo artigo científico publicado recentemente na Plant Disease.

O primeiro fator relaciona-se com o facto de estes produtos sazonais serem cultivados sob alta densidade de culturas, em cinco ou seis ciclos por ano nas mesmas quintas especializadas, com falta de rotação adequada das culturas e carência de fungicidas.

Além disso, o comércio internacional afastou as culturas dos seus ambientes originais para solos estrangeiros, onde podem encontrar novas doenças.

Em alguns casos, níveis muito baixos de contaminação de sementes podem levar ao rápido surgimento de novas doenças em novas áreas geográficas, resultando em graves perdas, rompendo o equilíbrio biológico do ambiente e, por vezes, provocando uma epidemia devastadora.

As alterações climáticas são – e sem surpresa – um fator preocupante. As mudanças do clima interagem com a globalização e influenciam o desenvolvimento e a disseminação de patógenos vegetais.

O aumento da temperatura também reduz a resistência da planta aos patógenos. Isto significa que as estratégias de controlo de doenças devem ser reavaliadas para lidar com novas temperaturas mais quentes. Os cientistas adiantam ainda que estes novos patógenos são frequentemente caracterizados por uma preferência por altas temperaturas.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. “As alterações climáticas são – e sem surpresa – um fator preocupante. As mudanças do clima interagem com a globalização e influenciam o desenvolvimento e a disseminação de patógenos vegetais.” – lol

  2. Esperem lá um pouco.
    Admitindo que as “saladas prontas para consumo” são preparadas com cuidados de higiene e limpeza adequados ao consumo humano, que diferença há em comprar os produtos vegetais base numa superfície comercial usual e depois prepará-los em casa?
    A fonte não será a mesma -produção intensiva em zonas afastadas- para aqueles que não adquirem em mercados locais ou fazem o seu próprio cultivo?
    E o nível de lavagem/limpeza na casa de cada um não é um factor deteminante para a sobrevivência desses patogénicos?
    No caso da compra desses elelemntos já embalados o que também não é desprezável são as próprias embalagens, todas descartáveis.

Sporting CP 1-0 Marítimo | Borja dispara rumo ao pódio

O Sporting sofreu, mas levou a “água ao seu moinho”. Na recepção ao um Marítimo consistente, mas pouco perigoso, o “leão” venceu por 1-0, numa partida com poucas ocasiões de golo, mas com domínio claro …

Reino Unido vai tornar públicos registos de avistamentos de OVNIs

A Força Aérea britânica vai disponibilizar todos os documentos sobre os avistamentos de OVNIs online. Até então, os registos eram mantido sob segredo. A Força Aérea Real do Reino Unido decidiu tornar públicos os registos de …

Sobreviventes a um cancro na infância têm maior probabilidade de vir a ter outro

Sobreviventes a um cancro têm uma maior probabilidade cinco vezes maior de vir a ter outro em comparação com a população em geral. O risco vai diminuindo ao longo do tempo desde o primeiro diagnóstico. Pessoas …

Lineker: "Se pusessem a minha equipa de 1990 a jogar contra uma moderna, seríamos assassinados"

"Se pusessem a minha equipa de 1990 a jogar contra uma moderna, seríamos assassinados", disse Gary Lineker, antigo internacional inglês, que agora é comentador da BBC. Em entrevista ao The Guardian, o antigo avançado da seleção …

Bater com um cutelo e espezinhar. A massagem que promete livrar de todas as dores

Santiago Terrases oferece uma massagem única, na qual calca as pessoas com os pés e bate-lhes com um cutelo. O norte-americano garante que consegue tirar todas as dores. No estado de Nevada, nos Estados Unidos, está …

"Choveram" propostas de empréstimo por Marega

O emblema portista recebeu vários proposta de empréstimo por Moussa Marega, mas acabou por as rejeitar. O FC Porto apenas abre mão do jogador caso seja paga a cláusula de rescisão. A imprensa francesa avança esta …

Crise de saúde mental nos jovens. Há um sexo mais em risco do que o outro

O uso regular de redes sociais pode afetar a saúde mental dos jovens. No entanto, os seus efeitos podem-se manifestar mais drasticamente em raparigas do que em rapazes. Desde 2010, as taxas de depressão, automutilação e …

PS quer limitar "vistos Gold" aos municípios do interior e às regiões autónomas

O PS entregou hoje uma proposta de alteração ao Orçamento em que limita a concessão dos "vistos Gold" a investimentos feitos por estrangeiros em municípios do interior ou nas regiões autónomas dos Açores e da …

Mais acidentes, afogamentos e suicídios num mundo mais quente

As temperaturas mais elevadas vão provocar mais acidentes rodoviários, afogamentos, agressões e suicídios, revelou uma nova investigação. Até ao momento, a grande parte das pesquisas em torno das alterações climáticas centrou-se nas mortes por doenças transmitidas …

Jóias de ouro e prata com plástico. Justiça não vê mal nenhum e iliba marca Tous

O processo de investigação aberto à marca TOUS por alegada fraude com jóias de ouro e plástico contendo plástico no seu interior, foi arquivado. A Justiça espanhola entende que, apesar de as jóias conterem plástico, …