Rússia apoia candidata de Leste à ONU

EU2016NL / Flickr

Kristalina Georgieva, comissária europeia para o Orçamento e Recursos Humanos

Kristalina Georgieva, comissária europeia para o Orçamento e Recursos Humanos

A Rússia afirmou esta segunda-feira que gostaria de ver uma mulher no cargo de secretário-geral da ONU e anunciou que irá apoiar um candidato da Europa de Leste, dias depois da búlgara Kristalina Georgieva entrar na corrida.

“Acreditamos que é a vez da Europa do Leste de fornecer o próximo secretário-geral. Gostaríamos muito de ver uma mulher”, disse o embaixador russo nas Nações Unidas, Vitaly Churkin, em conferência de imprensa.

O embaixador disse ainda que deverá haver em breve um voto formal para decidir sobre o sucessor de Ban Ki-moon.

A Rússia ocupa este mês a presidência do Conselho de Segurança da ONU e é um dos seus membros permanentes, os quais têm poder de veto em relação aos candidatos a secretário-geral.

Na semana passada a Bulgária substituiu o seu candidato ao cargo, apresentando Kristalina Georgieva, que passou pelo Banco Mundial e está agora na Comissão Europeia.

A economista búlgara respondeu na segunda-feira a duas horas de perguntas de todo o tipo, incluindo a guerra na Síria, a crise dos refugiados e as alterações climáticas, perante a Assembleia Geral da ONU.

O embaixador russo nas Nações Unidas indicou haver uma “boa possibilidade de poucos dias após” a votação informal de quarta-feira, o conselho votar formalmente para escolher o nome que será depois apresentado à Assembleia Geral para aprovação.

Georgieva seria a primeira mulher a liderar a ONU. A búlgara de 63 anos enfrenta outros nove candidatos, incluindo o ex-primeiro-ministro português António Guterres, considerado o favorito, já que venceu todas as cinco votações informais do Conselho de Segurança realizadas até agora.

“Absolutamente normal”, diz Governo

O ministro dos Negócios Estrangeiros português disse hoje ver como “absolutamente normal” o apoio da Rússia a uma candidata da Europa do Leste às Nações Unidas, reiterando o “mérito” de António Guterres, também na corrida.

Em declarações à Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse ver a declaração do embaixador russo nas Nações Unidas como “absolutamente normal”.

O governante comentou que a Rússia “sempre disse que a sua primeira escolha era de uma candidatura da Europa de Leste”, um dado que é “conhecido há muito”.

“Também notamos a posição russa segundo a qual as qualidades da candidatura do engenheiro António Guterres são conhecidas e são óbvias”, sublinhou.

Na declaração feita nas últimas horas por Moscovo, foi acrescentada a referência ao género, “uma preferência que a Rússia nunca tinha manifestado”, assinalou o ministro.

Dois dos requisitos mais apontados para o próximo secretário-geral são a preferência por uma mulher – posição manifestada pelo próprio Ban Ki-moon – e uma candidatura da Europa do Leste, numa lógica de rotatividade geográfica.

Nova fase esta quarta-feira

A corrida ao cargo de secretário-geral da ONU entra numa nova fase na quarta-feira, com uma nova votação no Conselho de Segurança sobre os agora dez candidatos ao cargo de secretário-geral.

Os membros permanentes – Reino Unido, França, China, Rússia e Estados Unidos – vão usar boletins de voto coloridos para indicar se os candidatos vão enfrentar um veto quando o conselho efetuar uma votação formal.

Nas cinco votações informais já realizadas – em que não participou Kristalina Georgieva – o ex-primeiro-ministro português António Guterres ficou sempre à frente e obteve, nas duas últimas, 12 votos de encorajamento, mais do que os nove votos necessários para ser recomendado à Assembleia-Geral, mas ainda com dois votos de desencorajamento.

Questionado sobre as expectativas do Governo português sobre a votação de quarta-feira, Santos Silva reiterou que o executivo encara “com serenidade o desenvolvimento deste processo”.

“Fizemos o que era nosso dever: tendo um candidato com a qualidade do engenheiro António Guterres, era nosso dever apresentar a candidatura ao cargo de secretário-geral das Nações Unidas. Apresentámos a candidatura em devido tempo, o engenheiro António Guterres apresentou as suas ideias, foi ouvido pela Assembleia-Geral, participou nos debates, participou em todas as votações e em todas teve os melhores resultados”, sustentou Santos Silva.

Instado a comentar a audição de Georgieva, que decorreu esta segunda-feira ao longo de duas horas, o ministro português afirmou apenas: “Saudamos todos os candidatos e candidatas, porque a qualidade das candidaturas até agora apresentadas só reforça o mérito do engenheiro António Guterres“.

O novo secretário-geral da ONU deve iniciar funções a 1 de janeiro.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. São os interesses a funcionar.
    Para mim, entrar numa “corrida” passando por cima de etapas que deveria ter cumprido tal como outros concorrentes, é viciar as regras. Não me parece crível que, em nome da transparência e respeito que candidatos e instituição merecem, situações destas possam ser permitidas.

RESPONDER

Merkel fará a sua primeira visita ao antigo campo de concentração de Auschwitz

A chanceler alemã, Angela Merkel, pretende visitar o antigo campo de concentração nazi de Auschwitz na Polónia, pela primeira vez nos seus 14 anos no cargo, anunciou na quinta-feira um jornal de Munique. Segundo Sueddeutsche Zeitung, …

Bebé encontrado no lixo já está com uma família de acolhimento

O bebé encontrado num ecoponto, no início do mês, e que esteve até quinta-feira hospitalizado, já está com uma família de acolhimento, informou a Santa da Misericórdia de Lisboa esta sexta-feira. A instituição refere numa nota …

Fisco vai controlar declarações de IRS de beneficiários do programa "Regressar"

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai desenvolver mecanismos para verificar se os contribuintes abrangidos pelo regime fiscal do programa "Regressar" reúnem as condições exigidas, prevendo-se que parte desse controlo ocorra com a entrega da declaração …

Greta Thunberg vai de Lisboa a Madrid num carro elétrico emprestado por Espanha

A Junta da Extremadura, região espanhola, disponibilizou um carro elétrico à jovem ativista sueca Greta Thunberg para que possa viajar de Lisboa para Madrid para assistir à Cimeira do Clima respeitando o meio ambiente, adiantou …

Enfermeiros garantem voltar à luta com os 200 mil que sobraram do crowdfunding

Os enfermeiros, que no ano passado iniciaram o "Movimento Greve Cirúrgica", pretendem voltar às ações de protestos com os cerca de 200 mil euros que restaram da campanha de crowdfunding. A intenção é revelada por …

OCDE: Nova crise pode tirar metade do rendimento às famílias portuguesas

Uma nova crise económica e financeira a nível global pode ter efeitos dramáticos para as famílias portuguesas, levando à perda de metade dos seus rendimentos. Esta é a previsão da Organização para a Cooperação e …

O cofre da rica mãe, heranças às dúzias e a vida "sem luxos". O que Sócrates disse a Ivo Rosa

Foram cerca de 20 horas de interrogatório no âmbito da Operação Marquês, em que José Sócrates manteve, perante o juiz Ivo Rosa, a versão de que as avultadas quantias de dinheiro que gastou nos últimos …

Associados podem ser chamados a resolver "buraco" do Montepio

Os cerca de 630 mil associados e pensionistas da Associação Mutualista Montepio Geral correm o risco de virem a ser chamados para resolver as perdas da instituição financeira, escreve o jornal Público. De acordo com o …

Bolívia divulga vídeo que sugere que Morales incitou bloqueios à entrada de alimentos

Arturo Murillo, ministro do Governo da Bolívia, divulgou na manhã de quarta-feira um vídeo que sugere que o antigo presidente do país, Evo Morales, incitou os bloqueios à entrada de alimentos que fragiliza o país. Os …

Christine Lagarde foi conselheira de duas empresas sediadas em paraísos fiscais

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE) desde outubro, foi conselheira de duas filiais da empresa de advocacia Baker & McKenzie (BM) entre 2003 e 2005, ambas sediadas em países considerados à data paraísos …