Rússia. 5 funcionários morrem num teste de explosão de mísseis

A agência nuclear russa Rosatom anunciou que uma explosão num local de testes de mísseis matou cinco funcionários. Numa cidade próxima, o ensaio deixou os níveis de radiação em valores 20 vezes mais elevados do que o normal.

Em comunicado, a agência nuclear disse que o acidente de quinta-feira, numa instalação militar secreta, também deixou três funcionários com queimaduras e outros ferimentos.

O acidente ocorreu no extremo norte da região de Arkhangelsk, durante o teste a um motor a jato de propelente líquido. Segundo o comunicado do Ministério da Defesa, uma explosão provocou um incêndio.

De acordo com a nota, a equipa da agência Rosatom estava a fornecer suporte técnico e engenharia para a “fonte de energia isotópica” do motor que estava a ser testado.

As primeiras informações fornecidas por fontes militares não faziam qualquer referência à presença de combustível nuclear e descreviam os níveis de radiação como “normais”. Mas as autoridades da cidade vizinha de Severodvinsk relataram que os níveis de radiação subiram após a ocorrência, avança a France-Presse (AFP), citada pela Raw Story.

As autoridades da cidade, que se encontra a 30 quilómetros do local de testes, disseram na quinta-feira que os sensores automáticos de deteção de radiação na cidade “registaram um ligeiro aumento nos níveis de radiação” por volta do meio-dia.

Valentin Magomedov, um representante da defesa civil, disse à agência de notícias TASS, que na quinta feira os níveis de radiação subiram para 2,0 microsieverts por hora — o que excede o limite permitido de 0,6 microsieverts. As autoridades acabariam por esclarecer que este valor não apresentava riscos para a saúde pública.

Durante a quinta-feira, a cobertura mediática do acidente levou a que moradores de Severodvinsk acorressem às farmácias para comprar iodo, que pode ser usado para limitar os efeitos da exposição à radiação.

“As pessoas começaram a entrar em pânico; numa hora, todos os medicamentos de iodo ou que tivessem iodo estavam esgotados”, contou a farmacêutica Yelena Varinskaya à AFP.

A Administração de Portos do Ártico Ocidental — autoridade marítima russa —, anunciou na quinta-feira que seriam proibidos navios em Dvina Bay durante um mês. A baía situa-se no Mar Branco, perto da área militar onde ocorreu a explosão, avança o The New York Times.

De acordo com o The Guardian, a medida levanta especulações de que a água estava contaminada ou que uma trabalho de investigação ia ser lançado. Contudo, na sexta-feira, os media russos noticiaram que um navio especializado para recolha e armazenamento de resíduos nucleares líquidos tinha navegado na área.

O local de testes de Nyonoksa, no Mar Branco, é usado para testar mísseis instalados em submarinos e navios nucleares desde a era soviética.

A União Soviética viu o pior acidente nuclear do mundo acontecer no seu território, em Chernobyl na data de 1986. Na altura as autoridades competentes tentaram encobrir a gravidade do desastre.

DR, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Estudo estima 471 mortes em Portugal até agosto (e que o pico foi atingido a 3 de abril)

De acordo com as estimativas do estudo, cerca de 151.680 pessoas vão morrer na Europa durante a "primeira vaga" da doença. Um estudo divulgado esta terça-feira nos Estados Unidos estima que a covid-19 venha a provocar …

Mais de metade da população mundial está fechada em casa

Mais de metade da população mundial (52%) está atualmente confinada nas suas casas por ordem das autoridades para combater a propagação da doença covid-19. Segundo um balanço feito pela agência France Fresse (AFP), mais de quatro …

Documentário da Netflix reacende debate sobre os milhares de tigres em cativeiro nos Estados Unidos

A minissérie documental da Netflix "Tiger King: Morte, Caos e Loucura" veio reacender o debate sobre os grandes felinos que estão em cativeiro, frisando que há cerca de 10.000 espécimes nestas condições nos Estados Unidos. …

Luciano venceu a covid-19 aos 100 anos. Teve direito a bolo, a um desenho e a uma alta hospitalar

Luciano Marques da Silva completou 100 anos no hospital de São João, no Porto, onde se encontrava hospitalizado devido à infeção por covid-19. Depois de dez dias de internamento, conseguiu vencer e recebeu alta. No dia …

Geneinno S2, a scooter subaquática que o impulsiona entre as ondas

Há dois anos, foi anunciada a Trident, uma scooter subaquática fabricada pela startup chinesa Geneinno. Agora, a empresa lançou um modelo mais barato e portátil, conhecido como Geneinno S2. O Trident - ou Geneinno S1 - …

WhatsApp restringe opção de reencaminhar mensagens para evitar desinformação

A rede social anunciou que vai passar a restringir o reencaminhamento de mensagens para tentar diminuir a disseminação de informação falsa sobre a pandemia de covid-19. De acordo com a revista Newsweek, a partir desta terça-feira, …

"Mostre-me a sua identificação." Na Tunísia, um robô pergunta às pessoas por que não estão em casa

Nas ruas de Túnis, a capital da Tunísia, um robô não pilotado aborda as pessoas na rua e pergunta-lhes por que não estão em casa, exigindo-lhes um documento de identificação. A Tunísia está em confinamento obrigatório …

Putin não quer repetir os erros dos outros países

Vladimir Putin diz que "o pico da epidemia ainda não foi superado", mas garante que tem "em consideração as experiências positivas e negativas de outros países". O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou esta terça-feira para …

É possível fazer uma máscara de tecido em apenas alguns segundos

O cirurgião-geral norte-americano Jerome Adams disse que as máscaras faciais de pano podem ser feitas a partir de utensílios domésticos comuns. No início do mês, Jerome Adams, cirurgião-geral dos Estados Unidos, deixou um aviso ao público …

Há dois mil enfermeiros em casa em vigilância ativa (e 363 infetados)

De acordo com o comunicado da Ordem dos Enfermeiros, que sublinha a necessidade de testar estes profissionais, "já não há nenhum distrito sem enfermeiros infetados". Quase dois mil enfermeiros estão, atualmente, em casa em situação de …