RTP, SIC e TVI garantem que vão alterar práticas para prevenir assédio sexual no trabalho

As declarações da atriz Sofia Arruda e as denúncias de outras figuras públicas que se lhe seguiram, com casos idênticos, vieram expor o assédio sexual sofrido pelas mulheres em Portugal, sobretudo, no meio televisivo. Agora, canais e produtores vão alterar práticas para prevenir abusos no trabalho.

As últimas semanas têm sido marcadas por denúncias de casos de assédio sexual sofridos pelas mulheres em Portugal. Um movimento inédito na sociedade portuguesa, semelhante ao #Metoo norte-americano.

Atrizes, artistas, jornalistas e produtoras, por exemplo, vieram denunciar publicamente ou relembrar episódios de assédio sexual que sofreram e que tiveram como consequência um travão nas suas carreiras ou as portas fechadas na profissão.

Perante os desabafos, os três grandes canais televisivos, que dão emprego à maior parte das figuras públicas que fizeram as denúncias, mostram-se empenhados em dar resposta à alteração de práticas para prevenir assédio sexual no trabalho.

Segundo o Público, a RTP está a ultimar um código laboral anti-assédio sexual, que deverá ser aprovado assim que a nova administração da estação pública tomar posse.

Na MediaCapital, detentora da TVI e da produtora Plural Entertainment, a nova administração promete incluir na revisão do seu código de conduta um novo plano de acção sobre o assédio.

Por sua vez, a SIC compromete-se a coordenar-se com as produtoras com que trabalha para prevenir, denunciar e punir o assédio sexual.

Televisões querem evitar casos

As mudanças que se avizinham nos canais e produtoras não são, para já, resultantes da nova vaga #MeToo, mas processos mais ou menos recentes que estão em curso.

Fonte oficial da RTP disse ao Público que “está a ser trabalhado há algum tempo um código específico anti-assédio, que já foi objeto de interação com algumas áreas da RTP. Este novo código está em fase de finalização e deverá ser uma das primeiras medidas a serem aprovadas pela nova administração da RTP”.

A mesma fonte afasta a possibilidade de ser uma resposta à vaga recente de denúncias, mediaticamente mais centrada no audiovisual. “A abordagem da RTP não muda nada com o caso Sofia Arruda, havia um trabalho que vinha a ser feito.”

Na secção “onde pedir ajuda”, a estação pública indica que os interlocutores devem ser os diretores de recursos humanos ou jurídico ou até o presidente do conselho de administração.

A empresa junta-se assim à SIC e ao grupo Impresa, que desde Março de 2016 diz já ter na sua rede interna um Código de Conduta para a Prevenção do Assédio e procedimentos formais para denúncias de assédio sexual ou moral.

A estação privada também identifica como recetores das potenciais queixas os superiores hierárquicos dos visados – que têm cinco dias para a reportar por escrito à pessoa responsável pelos recursos humanos do canal ou do grupo, sendo que todos os envolvidos “ficam obrigados/as a sigilo”, detalha fonte oficial da SIC ao jornal.

Já o Grupo Media Capital (GMC), que detém os canais TVI e a Plural Entertainment, outra das grandes produtoras do mercado, indica que na renovação em curso do Código de Conduta do grupo “está definido um novo plano de acção consistente e eficaz para lidar com estas situações [de assédio]”.

O GMC frisa que a sua nova administração, presidida desde Novembro por Mário Ferreira e com a também diretora para o entretenimento e ficção Cristina Ferreira como vogal, traz consigo uma “nova política de atuação”. Em particular, “um dos valores do grupo é a intolerância ao assédio e o seu combate um dos princípios de conduta”.

O grupo afirma-se defensor de “uma política afirmativa, que deixa claro o que não é aceite pela empresa, mesmo que não seja algo enquadrado como ilegal”, e é nesse contexto que criou um programa para proteger a sua imagem empresarial.

  Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ai sim?? Vão alterar as práticas… Então existe, mesmo, assédio sexual nas RTP’s, SIC’s e TVI’s!!! Boa Melga!!

RESPONDER

Máquina de venda automática de brindes

Máquina das bolas japonesa. As pequenas esferas de plástico guardam os detalhes de uma viagem surpresa

As máquinas de venda automática de brindes, conhecidas como gachapon no Japão, têm inovado nos últimos anos. Agora, são os detalhes de uma viagem que estão guardados nas pequenas bolas de plástico. O valor das bolas …

O Supremo dos EUA mudou as suas regras para que as juízas não fossem constantemente interrompidas

Revelação foi feita por Sonia Sotomayor, uma das três mulheres que compõe o coletivo de nove juízes e a primeira latina a chegar ao cargo. O facto de serem constantemente interrompidas em reuniões ou outros …

A candidata a primeira-ministra da Hungria, Klára Dobrev.

Num futuro sem Orbán, a oposição escolhe entre um novo conservador ou uma liberal divisiva

Os opositores de Viktor Orbán estão na dúvida quanto ao candidato para enfrentar o atual primeiro-ministro nas próxima eleições. Esta indecisão pode custar-lhes o assalto ao cargo. Viktor Orbán é um nome recorrente na política húngara. …

Nuno Melo, do CDS/PP

Nuno Melo ataca líder do CDS por anunciar sentido de voto sem consultar deputados

O candidato à liderança do CDS-PP criticou, este sábado, o atual líder do partido por ter comunicado publicamente a intenção de votar contra a proposta de Orçamento do Estado sem se ter reunido com os …

Vaticano tem três celas e um só prisioneiro. Uma onda de julgamentos pode mudar isso

Dez pessoas vão ser julgadas no Vaticano por crimes relacionados com a venda de um edifício em Londres. Visto como limitado e sombrio, o sistema judicial da cidade-estado está a mudar. Carlo Capella é o único prisioneiro …

Alexandra Leitão diz que "não há trabalhadores a mais na Administração Pública"

A ministra da Modernização do Estado assegura que não há trabalhadores a mais na Administração Pública e assume toda a abertura do Governo para negociar, "com humildade e responsabilidade", medidas adicionais às inscritas no OE2022. Em …

Start-up israelita quer fazer roupa a partir de algas

A Algaeing, criada em 2016, é uma empresa que converte as algas numa fórmula líquida, que depois pode ser usada como corante ou transformada num tecido. A indústria da moda é uma das responsáveis pelas emissões …

O antigo Presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton

Bill Clinton já teve alta hospitalar e deve regressar a Nova Iorque

O ex-Presidente dos Estados Unidos deixou, neste domingo de manhã, o hospital da Califórnia onde foi internado com uma infeção, informou o chefe da equipa de médicos que o tratou. "O Presidente Clinton teve alta do …

Acordo escrito. Bloco diz que Governo "conhece bem" os pontos negociais

O Bloco de Esquerda anunciou, este domingo, que vai enviar ao Governo propostas de articulado de nove pontos negociais colocados em cima da mesa no início de setembro, aos quais declara não ter obtido resposta …

Mais de 1,6 milhões de portugueses vivem com menos de 540 euros por mês

Mais de 1,6 milhões de portugueses vivem abaixo do limiar da pobreza, ou seja, com menos de 540 euros por mês, uma realidade que afeta famílias numerosas, mas também quem vive sozinho, idosos, crianças, estudantes …