Este robô quer acabar com a solidão dos jovens sul-coreanos

O número de pessoas a viver sozinhas na Coreia do Sul, assim como em muitos países ocidentais, está a aumentar exponencialmente. Enquanto muitos o fazem por escolha própria, para outros o fardo da solidão é demasiado pesado.

Um grupo de investigadores da Coreia do Sul desenvolveu uma possível resposta robótica para o problema do isolamento. O robô em questão chama-se Fribo e foi desenvolvido tendo em mente jovens que vivem sozinhos.

A ideia do design do Fribo é muito diferente da de outros produtos deste género como, por exemplo, a Alexa da Amazon. Enquanto esta assistente virtual estabelece contacto direto com o utilizador, a ideia do Fribo é mais incentivar que o utilizador estabeleça contacto com outros utilizadores através de um “espaço de vivência virtual”.

A ideia deste espaço de vivência é criar uma espécie de rede social de amigos que estão isolados fisicamente mas que poderão estar em permanente contacto neste espaço.

A ideia por trás deste robô acaba por ser um pouco “orwelliana”. O conceito passa por observar e reconhecer atividade nas casas de cada um dos utilizadores. Microfones e sensores espalhados e ligados ao Fribo procuram atividades domésticas, como um simples abrir a porta e entrar em casa, o desligar a luz de uma divisão ou o abrir o frigorífico.

O Fribo envia este tipo de informação anonimamente para o resto do grupo que está ligado ao utilizador: “O vosso amigo abriu a porta de entrada. Alguém entrou em casa?” é um dos exemplos.

Quem receber estas mensagens pode responder com mensagens de texto ou de voz para o grupo através do Fribo, ou com mensagens pré-definidas, que podem ser ativadas por palmas. Bater palmas três vezes ativa um tipo de mensagem, bater palmas duas vezes outro tipo de palmas e assim por diante.

Em certa medida, o conceito é semelhante ao feed das redes sociais, mas é muito diferente em dois pontos essenciais. Em primeiro lugar, os indivíduos não partilham a informação voluntariamente. O Fribo recolhe a informação e partilha-a automaticamente.

Além disso, as partilhas são feitas apenas com um grupo restrito de amigos, que serão os únicos a aceder à informação. Ainda assim, muitas vozes críticas na Coreia se têm feito ouvir contras as implicações deste robô para a privacidade dos utilizadores.

O Fribo foi apresentado, no mês passado, na Conferência Internacional de Interação entre Humanos e Robôs e, desde então, quatro grupos estão a testar esta tecnologia pioneira. Até agora, as reações dos participantes estão a ser extremamente positivas.

Para já, não está prevista data de lançamento ao público.

PARTILHAR

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …