Relatório de Mueller não encontrou provas sólidas que liguem Trump à Rússia

Oliver Contreras / EPA

O Presidente dos EUA, Donald J. Trump

O Presidente norte-americano, Donald Trump, declarou-se “totalmente ilibado” após a divulgação pelo secretário da Justiça das conclusões da investigação do procurador especial Robert Mueller sobre uma eventual conspiração com Moscovo, à qual considerou “vergonhoso” ter sido sujeito.

“Não houve conluio, não houve obstrução, EXONERAÇÃO total e completa. MANTENHAMOS A AMÉRICA GRANDE!”, escreveu Trump na sua conta da rede social Twitter, depois de ter classificado a investigação sobre se houve ou não acordo entre a sua equipa de campanha das presidenciais de 2016 e a Rússia para influenciar os resultados das eleições como uma “iniciativa de demolição ilegal que fracassou”.

“Honestamente, é uma vergonha que o vosso Presidente tenha tido de submeter-se àquilo, que começou antes mesmo de eu ter sido eleito”, declarou ainda, antes de deixar a Florida para Washington a bordo do avião presidencial Air Force One.

Ao fim de dois anos de investigação, chega quase uma espécie de veredicto: a equipa do procurador especial Robert Mueller não encontrou nenhuma prova sólida de que a “algum representante ou colaborador da campanha de Trump tenha conspirado ou coordenado de forma consciente” qualquer ato com operacionais russos para interferir e manipular a campanha de 2016 que elegeu o milionário do imobiliário como Presidente dos Estados Unidos.

A equipa de Mueller estava também a investigar uma possível obstrução à justiça, um crime federal nos Estados Unidos, da parte do presidente norte-americano e de pessoas da sua equipa na Casa Branca. Mas também aqui não foram encontradas provas que fundamentassem uma acusação.

De acordo com uma carta de quatro páginas entregue pelo procurador-geral da República, William P. Barr, ao Congresso dos Estados Unidos, revelado pelo New York Times, Robert Mueller considera que não está em condições de concluir “num sentido ou noutro” sobre se o próprio Donald Trump ou alguém membro do gabinete da Casa Branca cometeu o crime de obstrução à justiça durante a investigação que começou em 2017.

“As investigações do procurador especial não determinaram que a equipa da campanha eleitoral de Trump ou qualquer pessoa a ela associada se tenha entendido ou coordenado com a Rússia nos seus esforços para influenciar a eleição presidencial norte-americana de 2016”, indicou Barr.

Na missiva do procurador-geral William P. Barr, que no sistema norte-americano equivale ao ministro da Justiça por ser um membro do Governo, pode ler-se ainda que “este relatório não conclui que o presidente cometeu algum crime mas também não o iliba”.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, também já reagiu, afirmando que o presidente dos EUA fica “totalmente ilibado” do caso com o relatório de Robert Mueller.

A carta de Barr surge dias depois da investigação do procurador especial nomeado por Donald Trump ter terminado a sua investigação. Fonte do Departamento de Justiça assegura que a equipa de Robert Mueller não vai produzir novas acusações.

Seis ex-colaboradores de Trump já foram acusados ou até mesmo condenados de diversos crimes — a maioria dos quais por obstrução à justiça ou falsas declarações à equipa de Mueller. Os casos mais conhecidos verificaram-se com Paul Manafort, ex-diretor de campanha de Trump, e com Michael Cohen, o ex-advogado do presidente norte-americano.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Banco de Fomento precisa da luz verde de Bruxelas e do Banco de Portugal

O primeiro-ministro anunciou a criação do Banco de Fomento e já tem um acordo prévio com a Comissão Europeia. No entanto, para que funcione como um banco, também precisa de luz verde do Banco de …

Procurador-geral admite que há uma separação entre polícia e afro-americanos

O procurador-geral norte-americano reconheceu, esta quinta-feira, a existência de uma separação entre afro-americanos e a polícia e prometeu uma investigação sem limites do Departamento da Justiça para saber se houve um crime federal no assassínio …

Ministério Público pede suspensão de funções de Mexia e Manso Neto na EDP

O Ministério Público pediu, esta sexta-feira, a suspensão de funções do presidente da EDP, António Mexia, e do administrador Manso Neto. A notícia é avançada pela SIC Notícias, que dá conta de que a promoção das …

Polícia australiana desmantela rede de pedofilia e resgata 14 vítimas

A polícia australiana anunciou esta sexta-feira que desmantelou uma rede de pedofilia que distribuía fotografias e vídeos de abuso sexual de crianças na Internet, tendo resgatado 14 das vítimas. De acordo com a agência Lusa, as …

Adiamento da reabertura em Lisboa pode levar centros comerciais à falência

A Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC) alertou, esta sexta-feira, para a possibilidade de falências e desemprego em resultado da decisão do Governo de adiar a reabertura dos centros comerciais em Lisboa para 15 de …

Polícia empurra manifestante idoso em Buffalo. Vídeo causa indignação, mas protestos acalmam

Um vídeo gravado na cidade norte-americana de Buffalo, que mostra aquilo que parece ser um polícia a empurrar um manifestante idoso e a deixá-lo no chão a sangrar, aumentou esta quinta-feira a contestação contra a …

Cartão do Cidadão pode ser renovado por SMS a partir de 6 Junho

A renovação simplificada do Cartão de Cidadão por SMS vai estar disponível a partir de dia 6 de Junho, segunda uma nota do Ministério da Justiça (MJ). A medida envolve apenas as pessoas que não …

Na Suécia, quem tem sintomas de covid-19 pode fazer o teste gratuitamente

A Suécia vai fornecer testes de diagnóstico à covid-19 gratuitos a todas as pessoas que apresentem sintomas e realizar o rastreamento de contactos de todos os que estão infetados.  O anúncio surgiu esta quinta-feira, no mesmo …

Índia regista recorde de infetados com covid-19. Quase dez mil num só dia

A Índia registou outro recorde de novos casos de coronavírus, mais de 9.800 nas últimas 24 horas, período em que se contabilizaram 270 mortes, informou esta sexta-feira o Ministério da Saúde. A Índia regista agora 226.770 …

Países Baixos vão abater mais de 10 mil visons após suspeita de transmissão

As autoridades holandesas ordenaram o abate, a partir desta sexta-feira, de mais de 10 mil visons em unidades que fazem criação, depois da suspeita de transmissão do novo coronavírus a pessoas. No passado dia 28 de …