Relatório de Mueller não encontrou provas sólidas que liguem Trump à Rússia

Oliver Contreras / EPA

O Presidente dos EUA, Donald J. Trump

O Presidente norte-americano, Donald Trump, declarou-se “totalmente ilibado” após a divulgação pelo secretário da Justiça das conclusões da investigação do procurador especial Robert Mueller sobre uma eventual conspiração com Moscovo, à qual considerou “vergonhoso” ter sido sujeito.

“Não houve conluio, não houve obstrução, EXONERAÇÃO total e completa. MANTENHAMOS A AMÉRICA GRANDE!”, escreveu Trump na sua conta da rede social Twitter, depois de ter classificado a investigação sobre se houve ou não acordo entre a sua equipa de campanha das presidenciais de 2016 e a Rússia para influenciar os resultados das eleições como uma “iniciativa de demolição ilegal que fracassou”.

“Honestamente, é uma vergonha que o vosso Presidente tenha tido de submeter-se àquilo, que começou antes mesmo de eu ter sido eleito”, declarou ainda, antes de deixar a Florida para Washington a bordo do avião presidencial Air Force One.

Ao fim de dois anos de investigação, chega quase uma espécie de veredicto: a equipa do procurador especial Robert Mueller não encontrou nenhuma prova sólida de que a “algum representante ou colaborador da campanha de Trump tenha conspirado ou coordenado de forma consciente” qualquer ato com operacionais russos para interferir e manipular a campanha de 2016 que elegeu o milionário do imobiliário como Presidente dos Estados Unidos.

A equipa de Mueller estava também a investigar uma possível obstrução à justiça, um crime federal nos Estados Unidos, da parte do presidente norte-americano e de pessoas da sua equipa na Casa Branca. Mas também aqui não foram encontradas provas que fundamentassem uma acusação.

De acordo com uma carta de quatro páginas entregue pelo procurador-geral da República, William P. Barr, ao Congresso dos Estados Unidos, revelado pelo New York Times, Robert Mueller considera que não está em condições de concluir “num sentido ou noutro” sobre se o próprio Donald Trump ou alguém membro do gabinete da Casa Branca cometeu o crime de obstrução à justiça durante a investigação que começou em 2017.

“As investigações do procurador especial não determinaram que a equipa da campanha eleitoral de Trump ou qualquer pessoa a ela associada se tenha entendido ou coordenado com a Rússia nos seus esforços para influenciar a eleição presidencial norte-americana de 2016”, indicou Barr.

Na missiva do procurador-geral William P. Barr, que no sistema norte-americano equivale ao ministro da Justiça por ser um membro do Governo, pode ler-se ainda que “este relatório não conclui que o presidente cometeu algum crime mas também não o iliba”.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, também já reagiu, afirmando que o presidente dos EUA fica “totalmente ilibado” do caso com o relatório de Robert Mueller.

A carta de Barr surge dias depois da investigação do procurador especial nomeado por Donald Trump ter terminado a sua investigação. Fonte do Departamento de Justiça assegura que a equipa de Robert Mueller não vai produzir novas acusações.

Seis ex-colaboradores de Trump já foram acusados ou até mesmo condenados de diversos crimes — a maioria dos quais por obstrução à justiça ou falsas declarações à equipa de Mueller. Os casos mais conhecidos verificaram-se com Paul Manafort, ex-diretor de campanha de Trump, e com Michael Cohen, o ex-advogado do presidente norte-americano.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Inscrição hebraica com 2.800 anos revela antigo nome bíblico

Uma equipa de arqueólogos encontrou um jarro com 2.8000 anos com a inscrição em hebraico "Benayo" no sítio arqueológico de Abel Beth Maacah, no norte de Israel, local várias vezes mencionado na Bíblia Hebraica.  De …

Braga vence FC Porto e conquista Taça da Liga. Sérgio coloca lugar à disposição

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 1-0 e conquistou a Taça da Liga, com Ricardo Horta a marcar o golo decisivo aos 90+5, garantindo um troféu que os bracarenses já tinham …

Rara moeda de ouro com a cara de Eduardo VIII vendida por preço recorde

Uma rara moeda de ouro com o perfil do rei britânico Edward VIII foi vendida a um comprador particular pelo valor recorde de 1,3 milhões de dólares. A informação é avançada pela Royal British Mint, a …

Depois dos incêndios, Austrália está prestes a experimentar uma "bonança" de aranhas mortais

Depois dos incêndios florestais que assolaram o país, os australianos começaram a implorar por chuva. O bónus de aranhas mortais não estava incluído no pedido, mas os especialistas do Australian Reptile Park acreditam que é …

Governo admite retirar cidadãos nacionais de Wuhan

As autoridades portuguesas estão a cooperar com outros países europeus para reforçar o apoio aos cidadãos nacionais que se encontram em Wuhan, onde ocorreram os primeiros casos do novo coronavírus, admitindo a possibilidade de retirá-los …

Os cogumelos podem ser muito mais antigos do que pensávamos

Os cogumelos podem ser mais antigos do que pensávamos, concluíram cientistas que dataram vestígios de micélio (constituinte dos cogumelos) com 800 milhões de anos, divulgou esta quarta-feira a Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica. Estudos anteriores …

Comer iogurte natural pode ajudar a reduzir o risco de cancro da mama

Uma das causas mais apontadas para o cancro da mama é a inflamação causada por bactérias nocivas. Esta tese ainda não foi provada, mas é apoiada pelas evidências até agora disponíveis de que a inflamação …

Primeiro caso suspeito de infeção por coronavírus detetado em Portugal

Foi detetado o primeiro caso suspeito de infeção infeção pelo novo coronavírus , em Portugal, anunciou este sábado a Direção-Geral de Saúde. “Este doente, regressado hoje [este sábado] da China, onde esteve na cidade de Wuhan …

Slava Semeniuta transforma chuva em atmosfera néon

O artista e fotógrafo russo Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, mistura elementos naturais e faz mágica com eles. Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, retoca fotografias de poças de água para criar composições …

Empresa quer vender dispositivos que extraiem água potável do ar

A empresa israelita Watergen está a planear começar a vender uma versão para o consumidor do seu aparelho que extrai água potável do ar ainda este ano. A tecnologia do gerador atmosférico da empresa está em …