Rio diz a estudantes que redução das propinas “não faz sentido nenhum”

PSD / Flickr

O presidente do PSD, Rui Rio

Esta quinta-feira, numa conversa com dirigentes associativos da academia do Porto, Rui Rio considerou que a redução das propinas no ensino superior “não faz sentido nenhum” e defendeu uma flexibilização do acesso à medicina.

“Muito claramente, eu sou contra a redução que se fez das propinas. Não acho que faça sentido nenhum a partir do dia 6 de outubro”, quando se disputam as eleições legislativas, afirmou Rui Rio, numa conversa que juntou representantes dos alunos das instituições de ensino superior do Porto, que decorreu no Polo Zero da Federação Académica do Porto.

Na ótica do líder social-democrata, esta “foi uma medida eleitoralista, sem sentido nenhum”, e foi posta em prática com o objetivo de “a denominada geringonça conseguir votos de esquerda” para domingo. “A partir de 6 de outubro nem sei se o próprio Partido Socialista gostará muito disto”, sustentou.

Assim, Rio defendeu que “nunca se deveria ter diminuído” a propina e, pelo contrário, “deveria subir“. “Agora não me pergunte se vão de um chuto só para onde estavam, é difícil depois de baixar muito também subir de repente, é um problema”, respondeu à aluna que introduziu o tema, assinalando que “o contraponto faz-se pela ação social, como é evidente, assim é que faz sentido”.

O social-democrata advogou, então, que o preço da propina deve ser “igual para todos” e mostrou-se contra descontos com base nos rendimentos dos alunos e das suas famílias.

Na iniciativa de campanha, Rui Rio defendeu também uma flexibilização do acesso ao curso de medicina, depois de questionado por um aluno dessa área.

Nós não podemos apertar tanto a entrada na faculdade porque não faz sentido depois haver falta de médicos e nós estarmos a importar, entre aspas, médicos de outros países, não dando oportunidade aos jovens portugueses de tirar o curso que querem tirar ou terem de ir, por exemplo, para a República Checa, como muitos vão tirar o curso de medicina”, explicou.

Notando que “demora uns anos a lá chegar”, o candidato a deputado na lista pelo círculo eleitoral do Porto disse que deveria ser dada “mais oportunidade” aos alunos, especialmente quando há “consciência de que há escassez de profissionais, designadamente na medicina”.

Na ocasião, o também antigo autarca da cidade do Porto admitiu ter conhecimento de que “há dificuldade em aceder à especialidade”.

Pedindo a palavra, o estudante contrapôs que “o problema não é a falta de médicos em Portugal”, mas sim as assimetrias entre aqueles que exercem no interior e os que estão localizados no litoral do país.

Outro problema apontado pelo estudante foi a distribuição destes profissionais entre o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e os hospitais privados, porque “não havendo médicos no SNS, não podem formar médicos especialistas”. “Portugal até tem formado médicos, não tem é formado especialistas”, vincou.

Mas ao longo da conversa, que durou mais de uma hora, moderada pelo presidente da Federação Académica do Porto, também se falou de descentralização.

O líder social-democrata comentou que “pegar num instituto público, tirá-lo de Lisboa e pô-lo não sei onde” é “muito difícil” : “Dá aquela borrada que o Governo fez com o Infarmed” quando quis passar a sede autoridade do medicamento para o Porto, porque a maioria dos trabalhadores moravam em Lisboa.

“Em nome desta ideia não posso pegar na vida daquelas pessoas e atirá-las para aqui, coisa que, no entanto, é feita todos os dias às pinguinhas para o resto do país”, uma vez que “todos os dias há quem vá do país todo para Lisboa e tenha de mudar a sua vida por causa da concentração”.

Em sua opinião, “é muito difícil resolver isto”. “Fomos para um patamar estúpido. Aliás, essa é a palavra que eu tenho utilizado relativamente à excessiva centralização do país e ao abandono do interior, eu acho que não temos de ser muito sofisticados na palavra porque existe esta palavra, a estupidez, e isso foi o que nós fizemos ao longo de todos estes anos”, vincou.

Hoje de manhã, tendo ao seu lado o cabeça de lista pelo Porto, Hugo Carvalho, Rui Rio recordou os tempos em que liderou a associação de estudantes da Faculdade de Economia do Porto e assinalou que o facto de os alunos presentes fazerem parte do associativismo estudantil é valorizado no mercado de trabalho.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Nova morte, saqueamentos e protestos. Minneapolis vive caos após homicídio de George Floyd

Um homem foi encontrado morto a tiro, na madrugada de hoje, suspeito de ter sido vítima dos protestos, em Minneapolis, contra a morte de um homem negro sob custódia policial. Durante a noite de quarta-feira, milhares …

Filho de Deeney tem problemas respiratórios. Jogador foi alvo de abusos por recusar treinar

O futebolista Troy Deeney, capitão do Watford, revelou que tem sido alvo de abusos e comentários depreciativos, por ter recusado voltar aos treinos, face aos problemas respiratórios do seu filho. “Vi comentários em relação ao meu …

Parlamento aprova alargamento de apoios a todos os sócios-gerentes afetados pela pandemia

O parlamento aprovou hoje, em votação final global, um texto final que alarga os apoios no âmbito do `layoff´ aos sócios-gerentes das micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia covid-19, independentemente do volume de faturação. Com …

Pandemia de covid-19 alimenta corrupção na América Latina

A propagação da Covid-19 na América Latina está a alimentar a corrupção nos vários países que a integram, que vai desde a inflação dos preços a situações de aproveitamento económico e de ligações entre políticos …

Mais de 500 católicos portugueses contra proibição de comunhão na boca

Mais de 500 católicos portugueses, entre leigos e sacerdotes, apelaram à Conferência Episcopal Portuguesa para revogar a proibição de os fiéis receberem a comunhão na boca, por causa da pandemia de covid-19, informou na quarta-feira …

Adeptos recusam devolução dos bilhetes. Bayern distribui dinheiro por clubes amadores

Os adeptos do Bayern renunciaram ao direito de serem reembolsados pelos bilhetes comprados para os jogos até ao final da temporada. O clube decidiu distribuir o dinheiro pelos emblemas amadores da região da Baviera. Tal como …

Trabalhadores acusam TAP de pagar abaixo do salário mínimo a tripulantes em lay-off

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) acusou hoje a TAP de não estar a pagar o previsto na lei do ‘lay-off’, indicando vários casos em que a remuneração é inferior …

Tesla baixa preço de quase todos os modelos nos Estados Unidos

A empresa de carros elétricos Tesla baixou o preço dos Modelos 3, S e X no mercado norte-americano, visando estimular as vendas que estão em declínio durante a pandemia, avança a agência Reuters. O semanário …

Assessor de Boris cometeu infração ao confinamento, conclui polícia

A polícia britânica concluiu que Dominic Cummings, assessor do primeiro-ministro, Boris Johnson, cometeu uma violação "menor" das regras de confinamento introduzidas para combater o novo coronavírus, mas não pretende abrir um processo. Cummings admitiu ter conduzido …

Infarmed suspende hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19

O Infarmed suspendeu o uso de hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19. Para além da OMS, outros países já tomaram a mesma decisão que Portugal. A decisão vem no mesmo sentido da Organização Mundial de …