Ricardo Salgado libertado por 3 milhões

Mário Cruz / Lusa

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES

O ex-presidente do Banco Espírito Santo, Ricardo Salgado, viu esta quarta-feiara as suas medidas de coação alteradas, podendo ficar em liberdade, mediante o pagamento de uma caução de três milhões de euros, revelou o Ministério Público.

O Tribunal de Instrução Criminal determinou que a prisão domiciliária de Ricardo Salgado fosse “substituída pela prestação de uma caução de 3 milhões de euros”.

“O arguido fica igualmente sujeito à proibição de contactos, designadamente com os restantes arguidos no processo, e à proibição de se ausentar para o estrangeiro”, refere uma nota à imprensa divulgada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

A alteração da medida de coação surge no momento em que legalmente tinha de ser feita uma reavaliação da medida em vigor.

Ricardo Salgado encontra-se em prisão domiciliária, desde 24 de julho, no âmbito do processo “Universo Espírito Santo”, situação em que se manterá “até ser proferido despacho que julgue válida a prestação de caução”.

O ex-banqueiro ficou “sujeito à obrigação de permanência na habitação”, sem vigilância eletrónica, mas com polícia à porta da sua moradia em Cascais, a pedido do Ministério Público, que considerava existir perigo de fuga.

Além de Ricardo Salgado, foram constituídos arguidos na investigação ao “Universo Espírito Santo” a ex-diretora diretora financeira do BES, Isabel Almeida, e António Soares, Pedro Luís Costa, José Castella e Cláudia Boal de Faria, antigos responsáveis de topo em diversas empresas do grupo.

Em causa no processo estão suspeitas da prática de crimes de falsificação, falsificação informática, burla qualificada, abuso de confiança, fraude fiscal, corrupção no sector privado e branqueamento de capitais.

Ricardo Salgado é também arguido no processo Monte Branco, por branqueamento de capitais.

Defesa admite contestar caução

A defesa do ex-presidente do Banco Espírito Santo admitiu hoje contestar a alteração das medidas de coação de Ricardo Salgado que incluem o pagamento de uma caução de três milhões de euros para ficar em liberdade.

Em declarações à entrada para o julgamento do caso das Secretas, onde é advogado do presidente da Ongoing, Nuno Vasconcelos, Francisco Proença de Carvalho disse que Ricardo Salgado, a quem tinha sido decretada a prisão domiciliária, vai reagir muito em breve à decisão do juiz Carlos Alexandre.

O advogado acrescentou que a reação da defesa será conhecida muito em breve, depois de comunicada ao juiz.

Lembrou, a propósito, que está ainda pendente um recurso relativo às medidas de coação que tinham sido aplicadas a Ricardo Salgado e que os fundamentos desse pedido se mantêm válidos.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Portugueses abram os olhos.. isto vai ser assim: pagou 3 milhões de outro processo, agora paga mais 3 deste, e está livre.. daqui a 2 anos é ilibado, e as cauções são devolvidas.. para quem roubou mais de 500 milhões, isto são trocos.. e é assim que o país vai seguindo.. corrupto, sujo, e pidesco!

  2. A pois é amigo Paulo era bom que os abrissem mas quando é altura de votos quem não vota é considerado uma pessoa que não liga ao Pais e não lhe quer bem,alias muitos que por aqui passam durante o ano só falam mal de um e de outro partido como se fossem a vida deles em vez de incentivarem a não votar pois isto só muda quando um dia nenhum Português o faça e ai sim os partidos de certeza absoluta que teriam de agir de outra forma, a quem diga pois é pior a ementa que o soneto mas o que é certo é que ao fim de tantos anos estamos cada vez pior por todos estes maus motivos.

RESPONDER

Ministério Público contratou ex-agente da PJ para analisar contas da Operação Tutti Frutti

As contas do caso Tutti-Frutti foram entregues a Edígio Cardoso, antigo diretor da Unidade de Perícia Financeira e Contabilística (UPFC) da Polícia Judiciária, reformado há mais de um ano. A investigação do caso Tutti-Frutti iniciou-se em …

Reconstruções em Pedrógão. Gulbenkian exige indemnização de meio milhão por suspeita de ilegalidades

A Fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de euros por ilegalidades na reconstrução de casas de Pedrógão. Estão em causa cinco habitações. A fundação Calouste Gulbenkian exige uma indemnização de meio milhão de …

Austrália. Depois dos incêndios, chega o granizo (e já está a provocar estragos)

A Austrália está a recuperar dos enormes incêndios dos últimos meses. No entanto, a costa oriental do país debate-se agora com chuvas intensas que tem provocado inúmeras inundações. As fortes chuvas que caíram esta segunda-feira proporcionaram …

Taxa sobre produtos poluentes rendeu 200 milhões em dois anos

A taxa aplicada sobre produtos poluentes - plástico, cartão, embalagens de vidro, entre outros -, rendeu ao Estado português 199,6 milhões de euros em dois anos, avança o Jornal de Notícias esta segunda-feira. O valor, arrecadado …

"Mito sem sentido". Santos Silva rejeita que Portugal seja "amigo especial" da China

O ministro dos Negócios Estrangeiros rejeitou, em entrevista ao Financial Times, que Portugal esteja a desenvolver uma dependência problemática relativamente à China. É um "mito sem sentido", defendeu Augusto Santos Silva. O governante falou ao …

Justiça espanhola liga ex-ministro a alegado caso de corrupção. António Vitorino nega

A Justiça espanhola diz que o ex-ministro socialista se terá apropriado de 35 milhões de euros da petrolífera estatal venezuelana PDVSA. António Vitorino nega. A justiça espanhola alega que uma sociedade de António Vitorino, antigo ministro …

Há um obstáculo que pode travar a primeira condenação de Salgado

Ricardo Salgado foi condenado a pagar 4 milhões de euros e proibido de ser banqueiro nos próximos dez anos. No entanto, ainda há um último obstáculo que pode travar a sua condenação. O Tribunal Constitucional rejeitou …

Diplomatas portugueses salvaram entre 60 mil e 80 mil vidas durante a II Guerra Mundial

Os diplomatas portugueses terão salvo entre 60 mil a 80 mil refugiados do regime nazi, maioritariamente judeus, durante o período da II Guerra Mundial, estimou a historiadora Irene Flunser Pimentel em entrevista à agência Lusa. Além …

"Absolutamente determinantes." Autárquicas de 2021 vão ser a prova de fogo de Rui Rio

Rui Rio foi reeleito presidente do PSD este sábado, mas tem pela frente vários desafios. O maior deles todos serão as autárquicas de 2021 que vão ditar muito do seu futuro político.  Rui Rio mostrou-se disponível …

Deputados do PS querem reabrir linha do Tâmega

Os deputados do PS do distrito do Porto querem que a linha do Tâmega, que fazia a ligação ferroviária entre Livração, em Marco de Canaveses, e Amarante, como existia até março de 2009, seja reaberta …