/

Uma réplica do Titanic vai mesmo fazer-se ao mar (e na rota original)

2

Teufelbeutel / Wikimedia

“Viagem inaugural do Titanic”, óleo de Karl Beutel

O Titanic II, a réplica do navio original, já tem a primeira viagem marcada. Em 2022, a construção chinesa vai deixar o Dubai em direção ao Reino Unido, de onde seguirá para os Estados Unidos, recriando o trajeto original.

O navio, que tem o valor de cerca de 438 milhões de euros, está a ser construído na China, ao contrário do original, que foi construído na Irlanda do Norte.

A réplica terá a mesma cabine de embarcação que naufragou em abril de 1912 depois de colidir com um iceberg. A quantidade de pessoas a bordo também será a mesma – 2400 pessoas e 900 tripulantes.

A embarcação vai funcionar a gasóleo e contará com equipamentos de navegação modernos e tecnologia de ponta.

De acordo com a CNN, estarão à venda bilhetes de primeira, segunda e terceira classe. Porém, ainda não se sabe que custo terão.

Os planos para a réplica foram revelados pela primeira vez em abril de 2012 pelo bilionário australiano Clive Palmer. Embora anteriormente previsto para partir no final de 2016, o trabalho no projeto foi interrompido em 2015 após uma disputa com um conglomerado chinês.

Em 2016, a construtora naval chinesa Wuchang Shipbuilding Industry Corporation anunciou que começou a ser construída uma réplica em tamanho real do Titanic. Esta, contudo, deverá ficar atracada permanentemente e fazer parte do resort turístico de luxo Seven Start International.

No naufrágio do Titanic original, em 1912, morreram cerca de 1500 pessoas, 700 das quais tripulantes. Os destroços do navio, que já tinha percorrido 2500 quilómetros, só seriam encontrados a 3800 metros de profundidade em 1985.

  ZAP //

2 Comments

  1. replica tem que ser replica, tudo tem que ser igual, mas gostava saber se o manda chuva do capitão vai ser o ultimo a fujir, se for assim, então tudo será igual

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.