Remodelação no Reino Unido. Johnson demite ministros da Educação, Justiça e Habitação

number10gov / Flickr

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson

Os ministros da Educação, Habitação e Justiça foram hoje demitidos do Governo britânico no âmbito da remodelação que o primeiro-ministro, Boris Johnson, iniciou, na sequência de várias crises, como a da pandemia ou a da retirada do Afeganistão.

O ministro da Educação, Gavin Williamson, foi, sem surpresas, o primeiro a confirmar a saída, afirmando ter sido “um privilégio servir como Ministro de Educação desde 2019”. “Apesar dos desafios da pandemia mundial, estou particularmente orgulhoso das reformas transformacionais que conduzi”, escreveu na rede social Twitter.

Bastante criticado pela forma como geriu o cancelamento dos exames do ensino secundário e o encerramento das escolas durante a pandemia covid-19, era um dos que mais tinha a continuidade em causa.

A “ministra sombra” do Partido Trabalhista, na oposição, Kate Green, disse que Williamson deixa um legado de “dois anos de caos nos exames e funcionários abandonados, sem apoio e desmoralizados”.

Também demitidos foram o ministro da Justiça, Robert Buckland, e o ministro da Habitação, Robert Jenrick.

Dominic Raab, que tem estado sob pressão desde que foi conhecido que continuou as férias na Grécia durante o pico da crise de retirada britânica do Afeganistão, perdeu a pasta do Ministério dos Negócios Estrangeiros, passando para a Justiça.

Designado por Johnson para o substituir na chefia do Governo enquanto esteve hospitalizado, em abril passado, Raab passa agora a ter o título oficial de vice-primeiro-ministro.

Para o seu lugar passa a atual ministra do Comércio Internacional, Liz Truss, que se tem destacado na negociação de acordos pós-Brexit, pelo que a transferência é considerada pelos analistas como uma promoção.

O secretário de Estado do Conselho de Ministros, Michael Gove, considerado um dos mais eficazes no executivo, passa a ser responsável pelo pelouro da Habitação.

Gove é um dos ministros mais experientes do Governo, tendo no passado liderado as pastas da Educação, Ambiente e Justiça, pelo que acumulará com as missões de concretizar o “nivelamento do país”, uma das promessas de Johnson, e de manter as relações com as províncias da Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

Intocáveis parecem ser a ministra do Interior, Priti Patel, e o ministro das Finanças, Rishi Sunak, duas figuras populares na ala direita do Partido Conservador.

Apesar de ter sido acusada e considerada culpada de intimidar funcionários públicos e criticada por não conseguir controlar as travessias de imigrantes ilegais do Canal da Mancha, Patel mantém-se nas funções que ocupa desde 2019.

Sunak, cuja popularidade subiu durante a pandemia devido às medidas de apoio à economia e trabalhadores, tornando-se um potencial sucessor de Johnson, continua responsável pelo orçamento e política fiscal.

Após semanas de especulação sobre a iminência de uma remodelação governamental, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, iniciou hoje uma renovação dos seus ministros e membros do executivo.

A última remodelação governamental teve lugar em fevereiro do ano passado, depois de o Reino Unido sair formalmente da União Europeia (UE), mas, mesmo nessa altura, Boris Johnson manteve a maioria dos ministros em funções desde 2019 nos seus lugares.

Fonte do Governo disse à BBC que a remodelação pretende formar “uma equipa forte e unida” focada na recuperação da pandemia e “na união e nivelamento de todo o país”.

A reconfiguração da equipa começou esta tarde, após o debate semanal do primeiro-ministro na Câmara dos Comuns com os deputados, e deverá prolongar-se nos próximos dias.

Na semana passada, o líder do Partido Conservador negou que uma mexida no executivo fosse prioritária, tendo respondido aos jornalistas que “a população do país está focada na recuperação da [pandemia] de covid-19”.

Na imprensa britânica, vários comentadores referiram que a hesitação se deve, sobretudo, a uma questão de caráter de Johnson.

“Um dos piores defeitos de um primeiro-ministro é a necessidade de ser apreciado e Boris Johnson tem isso em excesso. Ele fica chocado quando é confrontado por alguém que pensa que ele não é mais do que um adorável monte de diversão. É por isso que odeia remodelações. Significa que tem de fazer inimigos”, explicou Iain Dale, no jornal Daily Telegraph.

  LUSA //

PARTILHAR

RESPONDER

Dois caranguejos à beira-mar

Os caranguejos são "hipnotizados" pelos campos eletromagnéticos dos cabos submarinos

Um novo estudo mostrou que os cabos submarinos podem estar a ter um "efeito hipnotizante" nos caranguejos castanhos. Mais preocupante: o campo eletromagnético produzido pelos cabos pode causar alterações celulares nos caranguejos comestíveis, tornando-os mais …

Método usa "capa de invisibilidade sonora" para fazer desaparecer objetos

Uma equipa de investigadores do Instituto de Geofísica de Zurique, na Suíça, desenvolveu um método que usa a acústica para ocultar objetos.  Quando ouvimos música, não ouvimos apenas as notas produzidas pelos instrumentos: estamos também imersos …

O planeta Vénus

Vénus já teve oceanos? De maneira nenhuma, dizem astrofísicos

Vénus já teve oceanos? Não, segundo o novo estudo de uma equipa de astrofísicos da Universidade de Genebra e da NCCR PlanetS, na Suíça. Nos últimos anos, vários estudos têm sugerido que Vénus pode já ter …

Cientistas estão a plantar mesas de xadrez de corais para restaurar recifes - e contam com a ajuda de garrafas de Coca-Cola

Nas últimas três décadas, os recifes de coral têm sofrido uma grande tensão e consequente destruição, devido ao impacto das alterações climáticas. Agora, os cientistas querem minimizar os danos e já encontraram uma solução. O objetivo …

Belenenses 0-4 Sporting | Melhor o resultado que a lesão

O Sporting, da I Liga, venceu hoje o Belenenses, do Campeonato de Portugal, por 4-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, garantindo o apuramento para a próxima fase da competição. No …

Sintrense 0-5 FC Porto | Dragões goleiam e seguem em frente na Taça

O FC Porto, da I Liga, venceu hoje o Sintrense, do Campeonato de Portugal, por 5-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, e segue em frente na competição. A jogar em …

Nova tecnologia usa calor dos estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos

A startup Enerdrape, que funciona dentro da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, desenvolveu uma tecnologia que aproveita o calor emanado pelo solo no aquecimento de apartamentos. Quase 60% do aquecimento utilizado nos edifícios residenciais …

Pela primeira vez, um drone transportou os pulmões de um dador em segurança. Voo demorou seis minutos

Pela primeira vez na história da medicina, um drone aéreo transportou os pulmões de um dador com rapidez e segurança entre dois hospitais. O voo, que durou apenas seis minutos, ocorreu no passado dia 25 de …

Grupo de hackers clonou a voz de empresário para roubar 35 milhões de dólares do banco

Um grupo de hackers clonou a voz do diretor de uma empresa, conseguindo assim roubar mais de 35 milhões de dólares de um banco nos Emirados Árabes Unidos. No início do ano passado, o gerente de …

Portugueses comem duas vezes mais do que o recomendando

Os portugueses consumiram, em média, duas vezes mais calorias do que o recomendando para um adulto entre 2016 e 2020, ano em que a pandemia provocou uma redução do consumo de alimentos diário, mas ainda …