/

Reino Unido bane dois anúncios publicitários que promovem estereótipos de género

2

No Reino Unido, a Philadelphia e a Volkswagen foram as primeiras vítimas de uma lei que quer banir os preconceitos de género da publicidade.

As novas regras, introduzidas no início do ano, proíbem a representação de homens e mulheres em atividades estereotipadas. O objetivo é contribuir para parar de “limitar como as pessoas se vêem a si mesmas e como os outros as vêem e as decisões de vida que elas tomam”.

A Advertising Standards Authority (ASA) proibiu os dois anúncios, após reclamações do público, argumentando que aqueles perpetuam estereótipos de género.

No anúncio da Philadelphia, a marca norte-americana de queijo, dois pais de dois bebés estão num restaurante onde a comida circula num tapete rolante e, encantados com os pratos que passam, onde o queijo é rei, deixam as crianças esquecidas nesse mesmo tapete. Quando as recuperam, comprometem-se a não contar às mães o que se passou.

https://www.youtube.com/watch?v=avtzdOTbzbo

Para os queixosos, a ideia de que os homens não sabem tomar conta dos filhos é um estereótipo. No entanto, a marca, em resposta à ASA, declarou que não escolheu representar duas jovens mães que perdessem os filhos precisamente para não ser condenada, refere o jornal britânico The Guardian. Ainda assim, a ASA foi intransigente na sua proibição.

Já na campanha publicitária da Volkswagen, os homens fazem alpinismo, são astronautas, fazem desporto, mesmo com uma perna biónica. Já as mulheres que surgem, uma dorme e outra está sentada num banco de jardim a tomar conta do seu bebé, enquanto o Golf passa silencioso. O texto que surge no ecrã diz: “Quando aprendemos a adaptarmo-nos, podemos conquistar o que quisermos.”

Os queixosos apontam para o preconceito de que as mulheres são passivas e os homens ativos. Para a Volkswagen o anúncio não é sexista e sublinha que cuidar de um recém-nascido também é uma experiência de mudança de vida, de adaptação, como diz o slogan. Apesar disso, a ASA “concluiu que o anúncio apresentava estereótipos de género de uma forma que poderia causar danos”.

Não é a primeira vez que há campanhas publicitárias que são classificadas como sexistas. Em 2016, a Microsoft foi criticada por fazer um anúncio onde os homens constroem robôs e as mulheres fazem vídeos com gatos. No mesmo ano, o mayor londrino quis retirar um anúncio sexista dos transportes públicos porque promovia uma imagem irrealista do corpo feminino.

  ZAP //

2 Comments

  1. Para mim sexismo é haver provas ou testes para o mesmo emprego ou para o que quer se seja facilitadas para as mulheres, pois se o trabalho vai ser igual, salário igual, porque hão de as provas ser mais fáceis para as mulheres?! Será que o trabalho vai facilitar por serem mulheres.. Mas isso já não interessa.. Apenas o que é contra o homem importa, neste mundo misandrico!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.