Regulador russo ordena aos media que suprimam palavra “invasão”

O regulador russo dos media ordenou hoje aos órgãos de comunicação social do país que suprimam de todos os seus conteúdos as palavras “invasão”, “ofensiva” ou “declaração de guerra” da Rússia à Ucrânia.

Segundo a LUSA, os media russos estão também proibidos de fazer referências a civis mortos pelo exército enviado pelo regime de Moscovo para a Ucrânia.

“Nós sublinhamos que só as fontes oficiais russas dispõem de informações atuais e fiáveis”, indicou o regulador Roskomnadzor em comunicado.

O regime de Moscovo apela para que a sua intervenção na Ucrânia seja descrita com uma “operação militar especial” destinada à “manutenção da paz“.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já provocaram pelo menos mais de 120 mortos, incluindo civis, e centenas de feridos, em território ucraniano, segundo Kiev.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a “operação militar especial” na Ucrânia visa “desmilitarizar e desnazificar” o seu vizinho e que era a única maneira de o país se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário, dependendo de seus “resultados” e “relevância”.

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos, incluindo o português, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), União Europeia (UE) e Conselho de Segurança da ONU, tendo sido aprovadas sanções em massa contra a Rússia.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.