Referendo na Macedónia para mudança de nome sem efeito por fraca participação

Valdrin Xhemaj / EPA

Mais de 90% dos eleitores que participaram no referendo, realizado este domingo, aceitaram a mudança de nome do país. No entanto, a participação foi muito fraca, estando abaixo dos 50% necessários para que fosse vinculativa.

Mais de 90% dos eleitores que participaram no referendo aceitaram que o país passe a ser a “República da Macedónia do Norte”, segundo resultados da comissão eleitora, respondendo positivamente à pergunta: “Apoia a integração na União Europeia e na NATO ao aceitar o Acordo entre a República da Macedónia e a República da Grécia?”.

Segundo os últimos números disponíveis relativos à participação do eleitorado, a abstenção foi elevada e não permite que a mudança de nome se torne vinculativa. As previsões são de que a participação fique abaixo dos 50%. Segundo a Constituição, o resultado só seria válido se reunisse 50% do eleitorado, o que se traduz em cerca de 903 mil votos.

Apesar de a votação só ter um caráter consultivo, o Governo terá agora uma tarefa difícil para convencer o Parlamento a aprovar a emenda constitucional, para mudar o nome do país.

O principal partido da oposição, a aliança conservadora VMRO-DPMNE, informou que o seu líder, Hristijan Mickoski, se absteve de votar, porque considera a pergunta do referendo “manipuladora”.

A pergunta em consulta não aludia diretamente ao nome final que adotará esta antiga república jugoslava, ou seja, República da Macedónia do Norte, mas pedia aos votantes que digam se apoiam ou não a integração na UE e na NATO, assim como se aceitam o acordo entre a República da Macedónia e a Grécia.

O partido da oposição VMRO-DPMNE considera a integração na NATO e UE como “um objetivo estratégico”, mas insiste que o acordo com a Grécia é prejudicial para o país.

“Portas da NATO estão abertas”

Após quase 30 anos de diferendo com a Grécia, Atenas e Skopje assinaram em 17 de junho um acordo histórico para rebatizar o pequeno país, de 2,1 milhões de habitantes e maioria de população eslava, com o nome de “República da Macedónia do Norte”.

Desde a independência, em 1991, e devido ao prolongado litígio com Atenas, esta ex-república jugoslava foi admitida na ONU dois anos depois, sob a designação de Antiga República Jugoslava da Macedónia (FYROM, na sigla inglesa). No entanto, numerosos países, incluindo os EUA e a Rússia, reconheceram o pequeno país como “Macedónia”.

O acesso de Skopje a diversas instâncias internacionais (em particular UE e NATO) permanecia bloqueado pela Grécia, que considera o nome Macedónia como parte exclusiva do seu património histórico.

Alexandre o Grande nasceu em Pella, uma cidade da província fronteiriça grega também designada Macedónia. Atenas considerava que a utilização do mesmo nome por Skopje denunciava ambições territoriais.

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, o ministro da Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, a chanceler alemã, Angela Merkel, ou o comissário europeu para o Alargamento, Johannes Hahn, visitaram Skopje nas últimas semanas e envolveram-se na campanha para exortarem a população a votar numa perspetiva de “futuro”.

O secretário-geral da NATO afirmou que o referendo é “uma oportunidade histórica” para encerrar as disputas com a Grécia, acrescentando que “as portas da NATO estão abertas”.

“Peço a todos os líderes políticos e aos partidos que aproveitem esta oportunidade histórica de maneira construtiva e responsável. As portas da NATO estão abertas“, escreveu no Twitter.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …