Rangel arranca campanha às europeias com três desafios a Costa (e uma acusação)

António Cotrim / Lusa

Tal como a imprensa nacional vinha já a dar com certo, o eurodeputado Paulo Rangel vai voltar a ser o cabeça de lista do PSD às eleições europeias de 26 de maio, confirmou esta quinta-feira o presidente do partido, Rui Rio.

Em conferência de imprensa, na sede nacional do PSD, em Lisboa, já com o candidato na sala, Rui Rio anunciou que o nome de Rangel foi proposto por si à Comissão Política Nacional do partido e será aprovado posteriormente em Conselho Nacional.

Rui Rio apontou cinco características que considerou fundamentais para escolher o cabeça de lista do PSD: gosto pelos assuntos europeus, ter elevado potencial cultural, intelectual e profissional, ter experiência política, conhecimento dos dossiês europeus e ter peso político na União Europeia. “Em face deste perfil, propus à Comissão Política Nacional, que aceitou hoje por unanimidade, o nome do doutor Paulo Rangel para liderar a lista do PSD para as europeias de 26 de maio”, anunciou.

O líder do PSD invocou a experiência nacional de Rangel – que já foi deputado, líder parlamentar, membro do Governo e candidato a presidente do partido – e a experiência internacional que acumulou nos dois anteriores mandatos.

“Podia ser compreensível que mudássemos, podia vir uma outra pessoa. Mas face àquilo que são as características dele e às características que precisamos, ele simplesmente não é dispensável desse cargo e faz todo o sentido fazer mais um mandato”, salientou.

Rui Rio frisou ainda que as eleições europeias de maio “são as mais importantes” de sempre: “A Europa está confrontada com enormes desafios, que são determinantes para o futuro da Europa, de Portugal e de cada um de nós”, considerou.

Rangel e os “recados” a António Costa

Já anunciado como cabeça-de-lista do PSD, Paulo Rangel desafiou esta quinta-feira o primeiro-ministro a esclarecer se está a fazer o “aproveitamento de um cargo ministerial” para promover o seu candidato a Bruxelas.

“Neste momento, subsiste a legítima suspeita de que houve o aproveitamento de um cargo ministerial para engendrar, lançar e promover um candidato”, afirmou durante o seu discurso de apresentação, em que falou de questões europeias, mas também nacionais, lançando quatro desafios diretos ao primeiro-ministro.

E acrescentou: “Não nos compete fazer fé em especulações mediáticas, mas, diante do risco que temos tido, nos últimos dois meses um candidato disfarçado de ministro, e um ministro em campanha dissimulada, desafio o primeiro-ministro a fazer um esclarecimento”. Sem nunca se referir ao nome do ministro do Planeamento, Pedro Marques, – que tem sido apontado como o cabeça de lista pelo PS – Rangel desafiou o primeiro-ministro a esclarecer se “o Governo está a utilizar recursos públicos e aproveitar um cargo ministerial para promover um candidato”.

Na sua intervenção, Paulo Rangel, que será pela terceira vez cabeça de lista do PSD ao Parlamento Europeu, assumiu que está perante um desafio “árduo e difícil”, mas manifestou confiança na vitória. “Renovo a confiança que abriremos aqui um caminho para que o PSD possa ser o espaço em que os portugueses se reveem na União Europeia e em Portugal. Essa luta começa hoje e vai ser ganha, ao contrário do que muitos imaginam”, afirmou.

Afirmando o PSD como partido “europeísta e realista”, Paulo Rangel acusou o Governo de responsabilizar as regras europeias pelas suas escolhas.

“É verdade que não há dinheiro para tudo, há que fazer escolhas. Mas foi o Governo Costa que fez as suas escolhas. Foi o PS que escolheu não investir no Serviço Nacional de Saúde, não investir na Proteção Civil e na segurança das pessoas e dos bens, não apostar na mobilidade, nos transportes e nas infraestruturas”, criticou.

Neste ponto, o cabeça de lista social-democrata apelou a todos os que “sofrem com a degradação dos serviços públicos” que confiem no PSD e na sua candidatura, assegurando que o partido “acredita no Estado social e numa Europa social”.

Em matéria europeia, Rangel acusou o Governo e, em particular, o ministro Pedro Marques de “passividade, conformismo, a complacência” na negociação do próximo quadro comunitário. “Temos de lançar um primeiro desafio a António Costa: em sede de política de coesão, o Governo aceita ou veta a proposta da Comissão que tira fundos a Portugal para dar a países bem mais ricos?”, questionou.

Reafirmando a posição do PSD contra a criação de um exército único europeu, Rangel desafiou o primeiro-ministro a esclarecer se o Governo aceita a proposta da Comissão Europeia para que, em alguns domínios, se transite da regra da unanimidade para a regra da maioria qualificada. “O PSD é contra o fim da unanimidade na política externa. E o Governo do PS?”, perguntou.

O eurodeputado Paulo Rangel salientou ainda que o PSD rejeita, há mais de 20 anos, impostos europeus, e deixou uma crítica implícita nesta matéria ao CDS-PP. “São muitos os que agora falam – e bem alto – contra o imposto europeu, mas foi sempre o PSD, em 1999 contra Mário Soares, e depois em 2009 contra Vital Moreira, já comigo a cabeça de lista, que liderou a oposição à criação de impostos europeus, agora de novo defendida por António Costa”, salientou.

Neste ponto, o antigo líder parlamentar do PSD salientou que “ser contra um imposto europeu nada tem a ver com as novas receitas próprias”, provenientes de áreas como as transações financeiras, as plataformas digitais ou ambientais e climáticas.

“Estas não incidem sobre os contribuintes e, muito menos, sobre os contribuintes portugueses”, frisou, desafiando quem recusa estas receitas a explicar como vai pagar as contas da União Europeia sem aumentar impostos nacionais.

No início do seu discurso, Rangel agradeceu a Rio a sua indicação como cabeça de lista, recordando os dois antigos presidentes do PSD que já o tinham indicado: Manuela Ferreira Leite em 2009 e Passos Coelho em 2014.

Aos 50 anos, Paulo Rangel será pela terceira vez o cabeça de lista do PSD às eleições europeias, depois de se ter estreado como ‘número um’ em 2009 e repetido o lugar em 2014, então numa lista de coligação PSD/CDS-PP.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Na entrevista "mais reveladora" de sempre de Ronaldo, nem as lágrimas faltaram

O canal britânico ITV emite nesta terça-feira uma entrevista do jornalista Piers Morgan com Cristiano Ronaldo que está a ser anunciada como "explosiva". Nas imagens antecipadas é possível ver o avançado a chorar por causa …

Médicos sem especialização em cancro estão a avaliar medicamentos oncológicos

Há médicos que não são oncologistas a avaliar medicamentos para o cancro. O Infarmed defende que as avaliações são feitas por equipas que incluem sempre oncologistas. O presidente do Conselho Regional Norte da Ordem dos Médicos, …

"Que venha praga que limpe esta merda de gente." PAN repudia declarações de ex-dirigente

A publicação de uma ex-dirigente do PAN no Facebook está a gerar uma onda de revolta e já levou o Partido Pessoas Animais Natureza a "repudiar" o seu conteúdo. Em causa está o desabafo "que …

Há escolas fechadas neste início de ano letivo e o problema é o mesmo: falta de funcionários

No arranque do ano letivo, há escolas encerradas no país. O Governo garante que haverá novos funcionários nas escolas ainda durante o mês de setembro.  Segundo avança a Rádio Renascença na manhã desta segunda-feira, há escolas …

Maternidade Alfredo da Costa fechou Urgência este domingo. Faltam anestesistas

No dia em que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) faz 40 anos, a emblemática Maternidade Alfredo da Costa (MAC), em Lisboa, ficou com a porta da Urgência fechada durante a madrugada e toda a …

"Jojo Rabbit" vence prémio do público do Festival Internacional de Cinema de Toronto

O filme "Jojo Rabbit" venceu no domingo o prémio do público do Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF), tornando-se assim um forte candidato a vencedor dos Óscares deste ano. O filme do realizador neozelandês Taika …

Dívida da Assistência na Doença aos Militares ascende a quase 95 milhões de euros

A dívida da Assistência na Doença aos Militares (ADM), gerida pelo Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA), ascende a quase 95 milhões de euros, valor que representa um aumento de 5,5% face aos …

Portugal conquista três medalhas na Taça do Mundo de ginástica acrobática

Portugal conquistou no domingo três medalhas, uma de ouro e duas de prata, no último dia da Taça do Mundo de ginástica acrobática. Esta prova antecede o Europeu, que acontecerá entre 30 de Outubro e …

"Nesta legislatura, andámos a recuperar aquilo que tinha sido destruído"

O secretário-geral do PS, António Costa, promete que, na próxima legislatura, o partido vai "fazer o avanço de que o SNS precisa". O secretário-geral do PS, António Costa, defendeu este domingo que quem quer a …

De esquiador a vencedor da Vuelta, Roglic pedalou para entrar na história

O esloveno Primoz Roglic, da Jumbo-Visma, confirmou este domingo a vitória da Volta à Espanha na sua estreia na competição. O pódio ficou completo com Alejandro Valverde e Tadej Pogacar, respetivamente. O holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck-Quick …