Há um Reino muito pouco Unido na corda bamba. Rainha inicia semana decisiva para o Brexit

Depois do discurso real desta segunda-feira, as conversações entre Londres e Bruxelas deverão continuar e avançar pela cimeira da UE de quinta e sexta-feira. No sábado, o Parlamento britânico reúne-se excecionalmente para votar o que sair da cimeira.

Esta segunda-feira, a Câmara dos Comuns reabre para o discurso da rainha Isabel II e o Governo definirá a sua agenda legislativa. Faltam pouco mais de duas semanas para o prazo para a saída do Reino Unido da União Europeia, pelo que o Brexit constará das prioridades do Executivo.

Ao longo desta semana, os deputados irão debater as propostas enunciadas no discurso. Segundo o Expresso, na quinta-feira, começa uma cimeira europeia de dois dias em Bruxelas, o último encontro deste tipo agendado antes do prazo de saída.

A cimeira dos dias 17 e 18 é encarada como a última oportunidade que Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, tem para sair da capital belga com um acordo para o Brexit.

No dia 19, o Parlamento britânico irá reunir-se para votar um possível acordo que saia da cimeira europeia dos dois dias anteriores. No caso de o Parlamento não aprovar o acordo de saída e não concordar com um Brexit sem acordo, Johnson terá de pedir um novo adiamento da saída, à luz da Lei Benn, aprovada no mês passado.

Este domingo, o primeiro-ministro disse que consegue antever “um caminho” para um acordo com a UE “no interesse” do Reino Unido antes do prazo atual do Brexit. No entanto, Johnson avisou o Executivo que ainda há uma “quantidade significativa de trabalho” a fazer.

A Comissão Europeia também lançou o mesmo aviso, sublinhando que “ainda há muito trabalho a fazer”. Numa declaração aos embaixadores da UE, o principal negociador europeu para o Brexit, Michel Barnier, levantou a possibilidade de as negociações terem de continuar após a cimeira de quinta e sexta-feira.

À Sky News, Jacob Rees-Mogg, líder da Câmara dos Comuns, disse que um “compromisso” seria inevitável durante as negociações. “Acredito que Boris Johnson garantirá que a relação que o Reino Unido tem com a UE não seja uma em que nos tornamos um Estado vassalo.”

Além desta declaração, também reconheceu que Johnson poderia ter de “comer” as suas palavras e apoiar um acordo próximo daquele que foi apresentado pela anterior primeira-ministra, Theresa May, e que os deputados britânicos chumbaram três vezes.

As propostas revistas pelo primeiro-ministro britânico para encontrar uma alternativa ao backstop foram criticadas pelos líderes da UE. No entanto, na quinta-feira, após um encontro a dois, o primeiro-ministro britânico e o seu homólogo irlandês, Leo Varadkar, afirmaram conseguir vislumbrar “um caminho para um possível acordo”.

Ainda assim, para Barnier, as últimas propostas alfandegárias do Reino Unido para a fronteira irlandesa continuam a ser um risco “não testado” que o bloco não pode aceitar. Por isso, defende a necessidade um novo “impulso político” de Johnson para se chegar a um acordo esta semana.

Michel Barnier acrescentou que o Reino Unido teria “uma última oportunidade” para encontrar uma alternativa realista ao backstop irlandês, propondo negociações de última hora até à véspera da cimeira europeia.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Coloridos e selados. Descobertos no Egito sarcófagos com mais de 2.500 anos

As autoridades egípcias anunciaram esta segunda-feira a descoberta de uma coleção de sarcófagos datados de há mais de 2.500 anos, na zona arqueológica de Sakkara, a sul da cidade do Cairo. Em comunicado, citado pela agência …

Nokia vai criar para a NASA a primeira rede móvel operacional na Lua

O grupo finlandês Nokia vai fabricar para a NASA aquela que será a primeira rede móvel móvel na Lua, como parte de um projeto de base humana permanente da agência espacial norte-americana, foi esta segunda-feira …

Sarkozy acusado de "associação criminosa". Investigação sobre ligações à Líbia continua

Nicolas Sarkozy, o antigo Presidente francês, está a ser acusado de "associação criminosa" como parte de uma investigação sobre o financiamento da sua campanha presidencial de 2007, particularmente acerca dos seus alegados vínculos com o …

A última década foi a mais quente do Oceano Atlântico em três milénios

A última década foi a mais quente do Oceano Atlântico em quase três milénios, aponta uma nova investigação da Universidade de Massachusetts em Amherst, nos Estados Unidos, e da Universidade de Quebec, no Canadá. As …

NASA apresenta rover "transformer" que vai explorar os penhascos íngremes de Marte

A NASA acaba de apresentar um rover de quatro rodas, denominado DuAxel, que se pode dividir em dois rovers de duas rodas separados. O robô foi projetado para, um dia, explorar alguns dos terrenos mais …

Veneno de vespa pode ter muito "potencial" na composição de antibióticos

Com o passar dos anos, a população começa a ficar mais resistente a certos medicamentos e estes deixam de fazer efeito. Agora, uma equipa de investigadores desenvolveu novas moléculas anti-microbianas a partir do veneno de …

"Ou és infetado ou morres de fome". Trabalhadores da Amazon nas Filipinas denunciam condições precárias

Trabalhadores contratados pela empresa de segurança Ring da Amazon que trabalham em call centers nas Filipinas denunciam condições de trabalho que dizem ser precárias, mostrando-se ainda mais preocupados com a situação por causa da pandemia …

"Momento muito duro". André Almeida sofreu rotura de ligamentos e arrisca paragem longa

O futebolista internacional português André Almeida sofreu uma entorse do joelho direito, que resultou numa “rotura do ligamento cruzado anterior e do ligamento lateral interno”, informou esta segunda-feira o Benfica. O lateral dos encarnados saiu aos …

Apoio à retoma. Empresas com perdas de 25% podem reduzir horário até 33% já esta terça-feira

Empregadores com quebra de faturação igual ou superior a 25% vão poder reduzir até 33% o horário dos trabalhadores, entre outubro e dezembro, segundo a alteração ao regime de retoma progressiva de empresas em crise. O …

Chega quer tornar voto obrigatório e sanções para quem não cumprir

O deputado único do Chega entregou uma nova proposta no âmbito do projeto de revisão constitucional do partido para tornar o voto obrigatório para todos os cidadãos que o possam exercer e sanções para quem …