Quase 250 funcionários públicos fizeram as malas rumo ao interior

Quase duas centenas e meia de trabalhadores públicos já pediram para exercer as suas funções fora dos grandes centros urbanos.

Quase 250 funcionários públicos aceitaram o programa de incentivos ao teletrabalho no Interior para a Administração Pública, para exercer as funções fora dos grandes centros urbanos.

De acordo com o Jornal de Notícias, a maioria são técnicos superiores (143) e assistentes técnicos (76), que podem trabalhar em espaços de teletrabalho e coworking no interior.

Os espaços não se destinam a apenas funcionários públicos e já estão espalhados por 89 municípios, dos quais 65 estão já em pleno funcionamento, sendo que outros concelhos já manifestaram interesse em aderir.

O diário revela que existem 21 espaços na região Norte, 35 no Centro, 19 no Alentejo e 14 no Algarve, que disponibilizam, no total, 730 lugares.

Fonte do gabinete do anterior Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública adiantou ao JN que “um trabalhador em teletrabalho desempenha as mesmas funções que exercia em regime presencial”. Se estiver “em mobilidade desempenha as funções correspondentes ao seu conteúdo funcional no serviço de destino”.

Os trabalhadores com vínculo de emprego público das carreiras gerais que integram este programa têm direito a uma compensação pecuniária de 4,77 euros por dia que, com a nova proposta de Orçamento do Estado para 2022, estará isenta de IRS e de Segurança Social.

O incentivo é atribuído enquanto se verifiquem estas condições de trabalho e dura, no máximo, três anos.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.