PSD quer plano para o desconfinamento “gradual”

António Pedro Santos / Lusa

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio.

O presidente do PSD considerou hoje necessário preparar um plano para o desconfinamento do país, e nomeadamente para o regresso ao ensino presencial, estabelecendo uma abertura progressiva tendo em conta indicadores científicos.

“[O desconfinamento] deve ser gradual. Nós confinámos de forma gradual, e aí foi mal, devíamos ter entrado mais forte e mais à bruta. Já na saída, acho o contrário, que deve ser com gradualismo e não dever ser num dia estar tudo e no outro dia não estar nada”, defendeu Rui Rio, em declarações aos jornalistas, numa conferência de imprensa no Porto.

Ressalvando que esta é essencialmente uma questão científica, o social-democrata considerou que o poder político tem de ouvir e obedecer “à lógica científica” e só depois assumir as suas responsabilidades.

Nesse sentido, disse tender a concordar com o primeiro-ministro, António Costa, argumentando que, no seu entender, o desconfinamento só pode acontecer quando for atingido um determinado indicador.

Questionado pelos jornalistas, Rio admitiu, contudo, que esse indicador devia já ter sido definido pelo Governo, com base na opinião dos especialistas, ainda que concorde que neste momento não é possível apontar uma data para iniciar o desconfinamento.

“Não se pode exigir isso porque não sabemos quando esse número será atingido”, afirmou.

O líder social-democrata defendeu que o Governo tem também de preparar um plano para o regresso ao ensino presencial, definindo uma meta.

“Quando atingirmos um R de X ou um número de infetados de Y, aí abrimos até aos 12 anos, por exemplo. Não há nada como planear e pensar as coisas bem”, explicou, salientando que a questão da abertura das escolas é “determinante nas redes de contacto”.

Numa entrevista à Renascença, esta manhã, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou que as provas de aferição de Educação Física e de Expressões Artísticas foram canceladas e os exames nacionais adiados.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O PSD quer um desconfinamento gradual do País,nós queremos o desconfinamento senhor Rui Rio mas queremos saber o que propões ecomo fazer esse desconfinamento gradual só dizer que quer cheira a populismo baratucho, um responsável politico deve esclarecer como quer ou como propõe fazer tanto o desconfinamento como outra proposta qualquer, se for perguntar aos portugueses todos lhe dizem que querem o desconfinamento só não sabemos é o que deve ser primeiro desconfinado mas os políticos e então quando são responsáveis pelos seus partidos, quando o dizem devem ter uma ideia de como o fazer e por onde começar.

RESPONDER

"Contra tudo e contra todos". Moedas fez história em Lisboa

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, afirmou hoje ter vencido “contra tudo e contra todos”, porque “a democracia não tem dono”, agradeceu o “voto de confiança” e comprometeu-se …

Ventura admite que “vitória não foi total” ao falhar objetivo de ficar em terceiro

O líder do Chega admitiu hoje que a “vitória não foi total” nas autárquicas de domingo, ao falhar o objetivo de ser a terceira força política, mas defendeu que se “fez história” em Portugal, recusando …

Liveblog Autárquicas. Carlos Moedas ganha Lisboa

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Contra a "vigarice" das sondagens, "o PSD teve um excelente resultado"

O PSD conseguiu todos os objectivos a que se propôs nestas eleições autárquicas, segundo Rui Rio. O presidente do PSD considera que o partido teve "um excelente resultado" contra a "vigarice" das sondagens e "contra …

Medina assume derrota em Lisboa. "É uma indiscutível vitória de Carlos Moedas"

Fernando Medina acaba de assumir a derrota nas eleições autárquicas, felicitando Carlos Moedas pela vitória na Câmara de Lisboa. "É uma indiscutível vitória pessoal e política de Carlos Moedas", sublinha Medina. "Foi um privilégio servir esta …

Costa: "PS continua a ser o maior partido autárquico nacional"

António Costa canta vitória nas eleições autárquicas, apesar de ainda não se conhecerem os resultados finais de Lisboa, Sintra e Loures. Para o secretário-geral socialista, não há dúvida de que o "PS continua a ser …

O "primeiro amarelo" para Costa e o "CDS superou todos os objectivos"

"O CDS superou todos os objectivos a que se propôs nestas autárquicas". É assim que Francisco Rodrigues dos Santos, líder do CDS-PP, canta vitória, considerando que António Costa "viu o seu primeiro cartão amarelo". Na reacção …

Pegadas provam que as Américas foram povoadas milhares de anos antes do que pensávamos

Investigadores descobriram evidências da presença de humanos nas Américas: pegadas com, pelo menos, cerca de 23.000 anos. A nossa espécie começou a migrar para fora de África há cerca de 100.000 anos. Além da Antártida, as …

Jerónimo assume que CDU ficou "aquém", mas não é "determinante para a política nacional"

Jerónimo de Sousa reconhece que os resultados da CDU, nas eleições autárquicas, ficaram "aquém" dos objectivos, mas alerta que não são "determinantes para a política nacional" e rejeita a hipótese de deixar a liderança do …

Geringonça à direita... ou à esquerda? Com Moedas e Medina taco a taco, IL e Bloco entram em jogo

Freguesia a freguesia, eis como Fernando Medina e Carlos Moedas estão a disputar a eleição para a Câmara de Lisboa. As sondagens dão um empate técnico e a Iniciativa Liberal já manifestou que está disponível …