O PSD “não está refém” do Chega. Ventura representa “o pior na política portuguesa”, diz David Justino

ppdpsd / Flickr

David Justino, vice-presidente do PSD

David Justino, vice-presidente do PSD, afasta conversações com o Chega de André Ventura, considerando que o seu partido “não está refém”.

No seu discurso final da noite eleitoral, André Ventura, líder do Chega, mandou um recado claro ao PSD: depois de ter obtido um resultado de 11,9% nas presidenciais, Ventura avisou o partido de Rui Rio de que “não haverá Governo sem o Chega”.

À TSF, David Justino, vice-presidente do PSD, reagiu a estas declarações e afastou um cenário de dependência por parte dos sociais-democratas. “Não me sinto nada refém, nem o PSD está refém. André Ventura representa o pior do que há na política portuguesa.”

“Com este Chega é impossível conversar, entendermo-nos sobre seja o que for”, disse o social-democrata.

Justino realçou ainda que não se pode “diabolizar nem empolar” o Chega. Sobre o discurso de Ventura, disse que o candidato “prometeu ir à segunda volta e perdeu, prometeu ter mais votos do que a esquerda e perdeu, prometeu ter mais votos do que Ana Gomes e perdeu”. Ainda assim, no discurso, “parecia que tinha sido o eleito para Presidente”.

Francisco Rodrigues dos Santos também reagiu ao resultado obtido por André Ventura, afirmando que se trata de “uma questão séria” quer para o CDS-PP, quer para a direita. Nesse sentido, o líder centrista propôs uma “visão moderada e sensata” para problemas que preocupam os portugueses.

Paulo Portas tinha apontado, domingo à noite, o facto de haver um partido populista a obter “dois dígitos” numa eleição e que “não se deve desvalorizar e que representa para o PSD, e ainda mais para o CDS, uma questão séria”.

Para Francisco Rodrigues dos Santos, os 500 mil votos alcançados pelo líder do Chega mostram que “há muita gente que está descontente com a situação que o país vive e não se sente realizada com a vida que tem” e que não se sente representada ou ouvida nos seus medos e anseios.

“Um partido como o CDS tem que ter uma lupa para perceber que há um conjunto de temas que não estão a ser discutidos por nenhum outro partido em Portugal, e que deixam uma determinada parte do eleitorado órfão e sem voz”, atirou, dando como exemplos a corrupção, reforma do sistema político, coesão territorial, abandono do interior, falta de oportunidades, precariedade ou a segurança.

Alertando que “no silêncio dos moderados haverá o ruído dos fanáticos e dos extremistas”, o presidente do CDS-PP defendeu que o partido deve “centrar o discurso” nestas temáticas, apresentado “uma visão moderada, sensata e racional das coisas”, para “impedir que haja essa ascensão” do Chega.

Para o centrista, “todos os partidos têm que daqui retirar as suas ilações e dirigir o discurso para quem está órfão de uma voz que as represente”, devendo “abordar determinado tipo de assuntos com seriedade, com humanidade, com preocupação e apresentar soluções razoáveis”, por forma a evitar “entregar esses mesmos problemas a franjas radicais que, por muito estapafúrdias e absurdas que sejam as respostas que apresentam, são as únicas, portanto ficam com o monopólio de uma determinada parte do eleitorado”.

O dirigente defendeu que “a história ensina” que os resultados das “eleições presidenciais esgotam-se no próprio dia” e não podem ser transpostas para umas legislativas, por exemplo, e que “quem perdeu estas eleições verdadeiramente foi o Partido Socialista”, que não apoiou qualquer candidato.

“E o CDS fê-lo e o seu candidato ganhou” à primeira volta, destacou, apontando que “a vitória foi de Marcelo Rebelo de Sousa”, mas o CDS, tendo apoiado o atual Presidente da República e tendo contribuído “para a formação da maioria presidencial”, tem razões para celebrar a sua reeleição.

Questionado sobre as razões para o partido não ter apoiado um candidato próprio, o presidente do CDS disse que “todos os ex-presidentes” do partido acompanharam esta decisão, bem como os órgãos próprios, nomeadamente o Conselho Nacional (órgão máximo entre congressos).

Realçando que Marcelo Rebelo de Sousa é “a melhor pessoa” para exercer o cargo e “apresenta um programa no qual o CDS se revê”, Francisco Rodrigues dos Santos frisou que apoiar a recandidatura do antigo líder do PSD foi uma decisão “lúcida e racional” e considerou que “a esmagadora maioria” do eleitorado centrista “apostou em Marcelo Rebelo de Sousa nestas eleições”.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP // Lusa

PARTILHAR

15 COMENTÁRIOS

  1. O ventura é apenas oportunista. Este tipo de comentários vindo de políticos tendo em conta o nível de corrupção existente em Portugal é que lhe dão ainda mais força.

    • O Ventura não é oportunista. Antes pelo contrário, é um tipo inteligentíssimo. Ele vê que a classe política e governantes não dão respostas ao povo e que a corrupção anda descaradamente por aí. Ventura criou o partido Chega para capitalizar todos os descontentamentos do povo que não consegue melhorar a sua vida e que as promessas dos governantes foram só para ganhar eleições. Ventura, é a voz desse descontentamento de milhares e milhares de portugueses. É um fenómeno que carece de reflexão urgente e de tomada de um novo rumo para o país. Não sei até se não seria necessário mais do que um Ventura para abanar com este rumo de pobreza que o país leva, desde Sócrates até hoje.

  2. o PIOR que há em PT é a “Democracia” SOcialista, bem plasmada no Caso do Guerra.
    E, o PSD também faz parte do circulo de Vilões que se apoderaram do Estado de Direito, e cuspiram em cima!

  3. Quando é que certas pessoas aprendem que os dinossauros já desapareceram há 60 milhões de anos?? E quando é que aprendem a diferença entre SPD e PSD?? Vergonha!!

  4. O senhor Rui Rio estudou no Colégio Alemão sito na rua Guerra Junqueiro… Mas pelos vistos não aprendeu a língua dos Alemães… Será que ele sabe como se diz Alemanha em Alemão??

  5. Este David Justino diz que o Ventura é pior na política portuguesa, mas nos Açores o PPD aliou-se a ele, o quer dizer que quando nos convém são bons quando não nos convém passam a ser o diabo, assim se vê a qualidade de políticos que temos, não são políticos são oportunistas.

RESPONDER

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Nota artística: pouco Festival no FC Porto-Sporting

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/fc-porto-0-0-sporting-o-musical Está bem: Futebol Clube do Porto contra Sporting Clube de Portugal. Segundo classificado recebe o líder. Jogo que pode praticamente definir o novo campeão nacional de futebol. O encontro é naquele estádio junto ao centro …

Índia e Paquistão comprometem-se a respeitar cessar-fogo em Caxemira

Na quinta-feira, o Paquistão e a Índia alcançaram um acordo para fazer cumprir o cessar-fogo na região de Caxemira, reivindicada pelos dois países. A fronteira entre ambos é palco frequente de ataques que deixam soldados …

Governo quer rever norma da dádiva de sangue que exclui homossexuais

O Governo determinou, esta segunda-feira, a constituição de um grupo de trabalho para rever a norma que exclui dadores "por comportamento sexual". De acordo com o SAPO24, o Ministério da Saúde determinou a constituição de um …

Governador de Nova Iorque volta a ser acusado de assédio sexual

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, foi acusado por outra ex-assessora de assédio sexual, que foi sua assistente executiva e conselheira de políticas de saúde até novembro do ano passado. Segundo noticiou no sábado o New …

Francisco Assis alerta Governo para riscos das raspadinhas

O presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, vai promover um estudo sobre o impacto social do vício da raspadinha e informar o Governo, na esperança de que este repondere o lançamento da …

Mais de 75% dos refugiados sírios podem sofrer de stress pós-traumático

Mais de três quartos dos refugiados sírios podem estar a sofrer de distúrbios mentais, como transtorno de stress pós-traumático (TEPT), dez anos após o início da guerra civil no país. De acordo com um artigo do …

AVC foi a principal causa das 112.334 mortes em 2019

As doenças circulatórias foram as principais causas das 112.334 mortes verificadas em Portugal em 2019, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística, assinalando que a mais mortífera foi o acidente vascular cerebral (AVC). Em 2019, …

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …

"Um erro histórico". Tratado assinado em Portugal incentiva aquecimento global

Um tratado assinado em Lisboa concede um grande poder às empresas de energia para processar os Estados caso se sintam prejudicadas por políticas climáticas. O Tratado da Carta da Energia (TCE) é um acordo internacional assinado …

Jornalistas estrangeiros denunciam "declínio da liberdade" na China

A China utilizou as medidas para controlar o coronavírus, a intimidação e restrições de visto para limitar a cobertura jornalística estrangeira em 2020, dando início a um "rápido declínio da liberdade na media", denunciou o …