/

PSD volta a apoiar renovação do estado de emergência

PSD / Flickr

David Justino presidente do Conselho Estratégico Nacional do PSD.

O PSD vai apoiar a renovação, por oito dias, do estado de emergência para responder à pandemia de covid-19, proposto pelo Presidente da República, “porque é um inimigo comum” que “deve unir esforços e não dividir”.

“É uma questão que não deve suscitar debates e contraditórios partidários porque é um inimigo comum e como inimigo comum deve unir os esforços e não dividir”, afirmou David Justino, vice-presidente do PSD, após uma reunião com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, em Lisboa, e em que o líder do partido, Rui Rio, participou por videoconferência.

Na quarta-feira, quando for votado no parlamento, a bancada social-democrata voltará a votar ao lado do PS a renovação do estado de emergência por uma semana, de 08 a 15 de janeiro, e não duas semanas, como habitualmente, a exemplo do que tem acontecido desde março do ano passado.

”O Governo não pode queixar-se do maior partido da oposição”, disse.

Dado que não existem dados científicos, da parte dos epidemiologistas, que se reúnem ciclicamente com os políticos na sede do Infarmed, em Lisboa, e esse encontro só pode acontecer em 12 de janeiro, Marcelo optou por apenas renovar o estado de excepção por oito dias, uma opção com a qual os sociais-democratas também concordam.

Se os efeitos do “período de festas poderão ter num aumento” do número de infetados “só serão sentidos na próxima semana”, o partido liderado por Rui Rio está disponível para “analisar os resultados” na próxima semana e fazer “uma nova avaliação”, acrescentou.

O debate e votação da renovação do estado de emergência está previsto para quarta-feira, na Assembleia da República,

Durante a atual pandemia de covid-19, o estado de emergência foi decretado para permitir medidas para conter a propagação desta doença e vigorou por 45 dias, de 19 de março a 02 de maio, com duas renovações sucessivas.

Nesta segunda vaga da pandemia de covid-19, o estado de emergência foi decretado em 09 de novembro e vigora atualmente até 07 de janeiro, com recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Com aprovação garantida pelos dois maiores partidos, PSD e PS, esta será a oitava vez que é decretado o estado de emergência desde março.

Em 17 de dezembro, a Assembleia da República renovou, com os votos favoráveis de PS, PSD e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues, o estado de emergência para permitir medidas de contenção da covid-19. Votaram contra PCP, PEV, Chega, Iniciativa Liberal e a deputada Joacine Katar Moreira. Abstiveram-se Bloco de Esquerda, PAN e CDS-PP.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.