PS defende que este “é o momento histórico” para se olhar para as leis laborais

André Kosters / Lusa

A líder parlamentar do PS considera que se está num “momento histórico” para se olhar para o quadro de relações laborais e adianta que a bancada socialista apresentará em setembro iniciativas legislativas para regular o teletrabalho.

Esta posição foi assumida por Ana Catarina Mendes no podcast do PS “Política com Palavra”, em entrevista ao jornalista Filipe Santos Costa, depois de questionada se há disponibilidade do PS para revisitar as leis do trabalho, tal como reclama o Bloco de Esquerda como condição para negociar um acordo de médio prazo com o Governo.

Na perspetiva da presidente do Grupo Parlamentar do PS, no contexto da atual pandemia da covid-19, “este é um momento histórico e uma oportunidade para se olhar para as relações laborais e perceber-se o que vai mudar”.

“É o momento histórico para continuarmos o combate à precariedade, mas também é uma oportunidade para olharmos para as novas formas de nos relacionarmos no trabalho, como é exemplo o teletrabalho”, disse.

Segundo a líder da bancada socialista, a atual pandemia demonstrou “como a fragilidade dos contratos de trabalho coloca em causa a vida das pessoas e o posto de trabalho” e, nesse sentido, o seu Grupo Parlamentar, vai apresentar em setembro propostas na área do teletrabalho, tendo em vista regulá-lo.

No entanto, Ana Catarina Mendes fez questão de salientar que as mudanças na área laboral devem ser feitas em diálogo social – e o diálogo social faz-se na concertação social”.

“A legislação laboral constrói-se num triângulo: com o Governo, com a Assembleia da República e com a concertação social”, sustentou.

Interrogada sobre o alcance do convite feito pelo primeiro-ministro aos parceiros de esquerda da anterior legislatura, durante o último debate parlamentar sobre o estado da nação, em que pediu um acordo “sólido e duradouro” de médio prazo, Ana Catarina Mendes advertiu que António Costa não está necessariamente a propor um acordo escrito ao Bloco de Esquerda, PCP e PEV.

“O que António Costa está a propor neste momento é que continuemos a trilhar este caminho em conjunto, à esquerda, que reforce o Estado Social, a manutenção do emprego, a capacidade das empresas e que reforce o crescimento da economia. Estou absolutamente convencida de que o PCP, o PEV e o BE continuam a partilhar connosco a necessidade de reforçarmos o Estado social, reforçarmos o papel do Estado e reforçarmos a nossa economia”, defendeu.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Iémen. Escassez de alimentos empurra 16 milhões de pessoas para a fome, revela ONU

Pelo menos 5 milhões de pessoas no Iémen estão à beira da fome e outros 16 milhões estão "a caminhar para a fome", num país dilacerado pela guerra civil. O Programa Mundial de Alimentos (WFP, na …

Presidente da Tunísia governará por decreto, ignorando partes da constituição

O Presidente da Tunísia, Kais Saied, declarou que governará por decreto e ignorará partes da constituição, enquanto se prepara para mudar o sistema político, gerando críticas imediatas da oposição. Desde 25 de julho, dia em que …

Alemanha deixa de pagar quarentena a trabalhadores não vacinados

A Alemanha vai deixar de indemnizar trabalhadores não vacinados que forem forçados a quarentena devido ao coronavírus, por ser "injusto pedir aos contribuintes que subsidiem aqueles que se recusam a ser vacinados", disse na quarta-feira …

Governo acaba com recomendação do teletrabalho

O Conselho de Ministros decidiu acabar com a recomendação da opção pelo teletrabalho e eliminar a testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores. Estas medidas integram a terceira e última fase do plano …

Cansado de denúncias, Betis pede aos seus sócios: "Portem-se bem"

Clube onde jogam dois portugueses quer que os adeptos tenham um "comportamento adequado" durante os jogos no Benito Villamarín. O Betis de Sevilha jogou seis vezes até agora, nesta época. Quatro desses encontros foram disputados em …

Junta militar de Myanmar está a sequestrar familiares de pessoas que pretende deter, diz especialista da ONU

A junta militar de Myanmar está a sequestrar familiares de pessoas que pretende deter, incluindo crianças com 20 semanas de idade, segundo o relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) destacado para o país, …

Regiões portuguesas entre as que mais colocaram trabalhadores em teletrabalho

  Apesar dos números elevados registados em Portugal, futuro do modelo está ainda em aberto, face à preferência dos patrões em ter os funcionários a trabalhar em ambiente de escritório. De acordo com dados revelados pelo Eurostat, …

Reino Unido em choque. Sabina Nessa pode ter sido assassinada por um estranho ainda em liberdade

Sabina Nessa, de 28 anos, terá sido assassinada enquanto caminhava pelo Cator Park, no sudeste de Londres, na passada sexta-feira. O percurso da sua casa até a um bar ia demorar apenas cinco minutos, mas …

A corrida a secretário-geral da UGT terá dois candidatos

É a primeira vez que a corrida à liderança da UGT conta com dois candidatos: além de José Abraão, atual dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap), Mário Mourão, presidente do Sindicato dos …

Colapso da Evergrande. China pede a governos regionais que se "preparem para a possível tempestade"

As autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais para se prepararem para um possível colapso da Evergrande. O The Wall Street Journal noticia, esta quinta-feira, que as autoridades chinesas estão a pedir aos governos regionais …