PS está feliz com Rui Rio (mas é proibido murmurar “maioria absoluta”)

Manuel Araújo / Lusa

As primeiras semanas de Rui Rio à frente do PSD estão a alimentar no seio do PS a esperança de uma maioria absoluta. Mas a expressão está “proibida” entre os socialistas.

António Costa já afirmou publicamente que não quer reeditar um bloco central com o PSD, mas as primeiras semanas da liderança de Rui Rio no PSD até podem fazer com que a questão nem se coloque.

Segundo adianta este sábado o jornal Sol, os inúmeros casos e polémicas que rodearam a liderança do PSD após a eleição de Rio estão a alimentar a esperança entre os socialistas de que será possível ao PS conseguir uma maioria absoluta nas próximas legislativas.

A expressão maioria absoluta é ainda tabu entre os socialistas e ninguém se atreve a assumi-la como objectivo. “Pedi-la é meio caminho andado para a não ter”, diz um alto dirigente do PS citado pelo jornal, mas “começa a parecer possível chegar à maioria”.

O dirigente não afasta no entanto nenhum cenário para o pós-legislativas, admitindo a possibilidade de acordos com o PSD caso o PS não consiga a maioria absoluta. “Ainda falta muito tempo, mas não podemos afastar nenhuma hipótese”.

Embora oficialmente António Costa nem queira ouvir falar em bloco central, nas cúpulas do partido há quem encare a hipótese de entendimentos parlamentares com Rui Rio, repetindo a fórmula usada por António Guterres e Marcelo Rebelo de Sousa.

Este é um cenário que agrada principalmente à ala de centro-direita dos socialistas, mas que não convence os socialistas mais à esquerda, que apontam o sucesso da actual solução governativa baseada em negociações com Bloco de Esquerda e PCP.

“Há visões ideológicas e políticas que separam PS e PSD”, salienta ao Sol um destacado socialista, que vê nos partidos de esquerda os parceiros naturais do PS. “Estamos a trabalhar com os dois, BE e PCP”, diz o dirigente.

Esquerda mantém pressão sobre leis laborais

Parceiros do executivo socialista na actual legislatura, Bloco de Esquerda e PCP preparam-se para manter a pressão sobre o governo nas leis laborais, que ficam muito aquém do que pretendem.

Segundo adianta este sábado o DN, as 27 medidas de alteração à legislação do trabalho que o governo apresentou a semana à Concertação Social estão longe de mudar a agenda dos partidos à esquerda, que prometem insistir em mudanças mais profundas à lei.

Apesar de o plano de governo ter ido ao encontro de alguma das reivindicações do Bloco de Esquerda, terão ficado de fora medidas que os bloquistas querem negociar ainda nesta sessão legislativa – nomeadamente alterações nas compensações por despedimento e nos dias de férias, e a reposição dos 25 dias de férias.

O deputado e líder parlamentar do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, assegurou mesmo, em entrevista à RTP, que o seu partido não vai baixar a guarda nas próximas negociações do Orçamento do Estado.

Antevendo uma negociação difícil, o dirigente bloquista não quer que nenhum dos tópicos já negociados, nem o descongelamento das carreiras da Função pública já negociado, retrocedam do orçamento atual.

O PCP, por seu turno, aposta acima de tudo na conclusão de processos que já se encontram em discussão na especialidade, caso do combate à precariedade e dos direitos de maternidade e paternidade.

Muito embora o combate à precariedade esteja contemplado nas propostas do governo, a deputada comunista Rita Rato assegura ao DN que as propostas do PCP são “muito mais amplas”.

Os comunistas querem alargar o tempo da licença de maternidade obrigatória das seis para as oito semanas, passar a licença obrigatória do pai para os 30 dias e alargar a licença de maternidade para os 180 dias, pagos a 100%. Também, o trabalho por turnos e o alargamento ao sector privado da redução para 35 horas do horário semanal de trabalho são prioridades da bancada comunista.

Nos próximos meses, as 27 medidas de alteração à legislação do trabalho propostas pelo governo serão negociadas em sede de Concertação Social, debatidas no Parlamento, e provavelmente reclamadas nas ruas.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Sim, sim, junta-te ao rio, e vais ver o tombo que levas, talvez até te afogues, o que se calhar não seria mau de tido, era menos um a apoiar a porcaria da edeologia de género

  2. Estes podem matar às centenas, aumentar os impostos sem paralelo em Portugal, desaparecer com o armamento de tancos, nomear profundos incompetentes para cargos de responsabilidade, pôr meio país a trabalhar 35 horas enquanto outro meio trabalha 40 e paga os salários dos que só trabalham 35, que o povo, estúpido, vai sempre votar nestes artistas.
    Temos o que merecemos. O povo é mesmo estúpido.

RESPONDER

"Em Casa d’Amália": RTP comemora cententário da fadista

A Fundação Amália Rodrigues junta-se à RTP para assinalar o centenário da fadista. O programa Em Casa d’Amália tem estreia marcada para a próxima sexta-feira (10) e reúne várias figuras da música portuguesa da atualidade. O …

Desapareceram 21 milhões de números de telefone na China. Mas o mistério foi resolvido

O porta-voz de uma das três maiores operadoras chinesas confirmou o desaparecimento dos utilizadores, mas deu uma explicação para este mistério. Nos últimos dias, surgiram vários relatos de notícias que davam conta de que, entre janeiro …

Mercadona doa 20 mil quilos de chocolate aos profissionais de saúde e aos mais carenciados

A Mercadona anunciou, esta quarta-feira, a doação de 20 mil quilos de chocolate ao Banco Alimentar Contra a Fome do Porto. O objetivo é proporcionar uma Páscoa mais doce aos mais carenciados e aos que …

"Paciente 1" em Itália recupera (e dá as boas-vindas a Giulia, a sua filha recém-nascida)

Giulia, a filha recém-nascida do "paciente 1" de Itália, veio para trazer alguma esperança ao país, em plena pandemia de covid-19. Mattia, de 38 anos, foi internado no dia 20 de fevereiro no hospital de Codogno, …

Investigadores transformaram o coronavírus em música (e já o podemos ouvir)

Uma equipa de investigadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) conseguiu transformar em som a estrutura da proteína spike, que permite que o novo coronavírus adira às células para infetá-las. Até agora, já pudemos ver …

Autoeuropa quer recorrer ao lay-off (e retomar produção a 20 de abril)

A administração da Autoeuropa quer promover um regresso gradual ao trabalho a partir de 20 de abril, pretendendo recorrer ao lay-off simplificado para os trabalhadores que não regressem ao trabalho nessa data. “O regresso ao trabalho …

Ex-mulher de astronauta acusada de mentir sobre o "primeiro crime espacial"

A ex-mulher da astronauta da NASA Anne McClain, Summer Worden, foi acusada formalmente de mentir sobre o "crime espacial" que McClain terá cometido. Em agosto de 2019, o jornal norte-americano The New York Times noticiou que …

Em Singapura, os parques de estacionamento são agora quintas urbanas

A pandemia de covid-19 está a obrigar alguns países a adaptarem-se. É o caso de Singapura, que está a transformar os parques de estacionamento em quintas urbanas para aumentar a produção alimentar. Só 1% do território …

O empresário mais odiado do mundo quer sair da prisão (para desenvolver um medicamento para a covid-19)

Martin Shkreli, o empresário mais odiado do mundo, quer sair brevemente da prisão para ajudar a desenvolver um tratamento para a covid-19. Num artigo publicado no site da empresa de Shkreli, Prospero Pharmaceuticals, juntamente com outros …

Ceferin acusado de ganância. "Manter a Liga dos Campeões foi um ato criminoso irresponsável"

O primeiro-ministro da Eslovénia, Janz Jansa, teceu duras críticas à forma como a UEFA e o seu presidente, Aleksander Ceferin, lidaram com a fase inicial da pandemia de covid-19. "Manter a Liga dos Campeões foi um …