PRR tem 92 milhões de euros para inovar respostas e regularizar lares clandestinos

Pedro Sarmento Costa / Lusa

O Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) inclui uma parcela de 92 milhões para alargar as respostas sociais para idosos geridas pelas instituições de solidariedade social e comparticipadas pelo Estado.

“O contexto pandémico e a emergência de saúde pública, nomeadamente ao nível da proteção dos grupos mais vulneráveis à pandemia, levou à necessidade de um acompanhamento mais efetivo e permanente das respostas residenciais para pessoas idosas”, lê-se na componente do PRR, de acordo com o jornal Público.

“Tornou-se evidente a existência de uma realidade de equipamentos residenciais que estão fora da economia formal, implicando problemas acrescidos, do ponto de vista do acompanhamento e garantia de critérios legais (licenciamento) no seu funcionamento”.

Assim, o Governo quer “qualificar os cuidados prestados nas estruturas residenciais para idosos” e promover a regularização e o licenciamento das que “estão a operar fora do sistema, sempre que tal seja possível”.

O Executivo pretende ainda “rever o quadro legislativo para abrir a porta a novas tipologias, a respostas sociais inovadoras como é o caso das habitações colaborativas, das residências assistidas ou das aldeias sociais”.

A requalificação dos cuidados prestados pode passar, por exemplo, por aperfeiçoar a eficiência energética dos edifícios ou criar espaços de isolamento sanitário para situações de contingência.

Além disso, será necessário melhorar as condições de trabalho dos profissionais, recorrendo a equipamentos técnicos que facilitem tarefas, como cadeiras de banho ou sistemas para mudança de posição na cama, e obter wi-fi, material informático e capacitação digital para facilitar a comunicação.

Numa lógica de diversificação, antevê-se também um aumento de centros de dia e um alargamento e uma renovação do serviço de apoio domiciliário.

O serviço de apoio domiciliário tende a limitar-se a alimentação, cuidados de higiene pessoal, lavandaria, limpeza. A ideia é alargar para cuidados de enfermagem e de reabilitação e educação para a saúde.

Assim, segundo o mesmo jornal, distribuir tablets com acesso à Internet e equipamentos inteligentes/biossensores para monitorização do estado de saúde poderá ser possível beneficiar de serviços de telemedicina e plataformas que ajudam a manter capacidades físicas e cognitivas. Ao mesmo tempo, permitirá combater a inclusão social e evitar a solidão.

O PPR contempla ainda o aumento das hipóteses de colocar crianças em creches ou amas.  Os serviços para pessoas com deficiência também deverão ser reforçados.

Maria Campos, ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Um habitat demasiado perfeito pode ser pior para o acasalamento dos pandas

Apesar de serem necessários habitats para a sobrevivência dos pandas gigantes, estes animais têm uma maior tendência para reproduzir se não houver abundância de recursos. Este ano, as autoridades chinesas disseram que os pandas gigantes deixaram …

Computador quântico ajuda a criar um computador quântico melhor

Um computador quântico foi usado para projetar um qubit aprimorado que poderá alimentar a próxima geração de computadores quânticos mais pequenos, de alto desempenho e mais confiáveis. Da mesma forma que um bit binário é a …

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …