Programa de Estabilidade. Centeno não arrisca e mantém défice em 0,2%

O Governo envia esta segunda-feira para Bruxelas o Programa de Estabilidade. Tudo aponta para que 2019 seja o ano do défice zero, mas Mário Centeno prefere ser cauteloso e mantém défice em 0,2%.

O Programa de Estabilidade com as previsões orçamentais de medidas de política para o período de 2019 a 2023 (PE 2019-2023) será revelado esta segunda-feira pelo Ministério das Finanças. Mário Centeno deve apresentar o documento em conferência de imprensa esta tarde, em horário ainda a definir.

Os dados dos últimos anos apontam para que 2019 seja o ano do défice zero. No entanto, o Governo mantém-se cauteloso e prevê no programa de Estabilidade um défice de 0,2%.

No início do mês, ao jornal Público, Mário Centeno revelou que a meta do défice seria de 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB), uma semana depois de Marcelo Rebelo de Sousa afirmar que o défice orçamental de 0,5% em 2018 representava “uma base de partida muito boa” para se chegar ao défice zero.

Na altura, o resultado de 0,5% foi melhor do que a estimativa do Governo, que apontava para um défice de 0,7%. Na verdade, esta é uma tendência comum, já que nos últimos Programas de Estabilidade, o défice orçamental foi sempre melhor do que as estimativas do Governo.

No seguimento deste padrão, 2019 pode mesmo ser o ano de erradicação do défice ou até de excedentes orçamentais, um cenário que o Governo prevê apenas para 2020 desde o primeiro Programa de Estabilidade e que deverá ser reforçado no documento apresentado esta segunda-feira, avança o Jornal i.

O FMI mostra-se, contudo, um pouco mais pessimista que o Governo português. No relatório divulgado na semana passada, estimava que o défice iria chegar, este ano, aos 0,6% do PIB. Em relação aos excedentes orçamentais, o FMI prevê que o primeiro excedente, de 0,4% do PIB, aconteça apenas em 2021.

No que diz respeito à dívida pública, o cenário deverá ser semelhante, uma vez que só o primeiro Programa de Estabilidade teve um resultado final pior do que o previsto.

Em 2016, o Governo apontou para um dívida de 124,8% do PIB, mas esta acabou por chegar aos 129,2%. No ano seguinte, a estimativa foi de 127,9% e o resultado acabou por ser 124,8%, Em 2018, o Executivo tinha previsto uma dívida de 122,2% e acabou com 121,5%. No Orçamento do Estado para 2019, Centeno apontava para uma dívida pública de 118,5%. O FMI é mais pessimista e fala em 119,5%.

As estimativas de Centeno no que toca ao crescimento económico apresentaram uma tendência contrária: nos dois primeiros anos, os resultados foram melhores que as previsões, mas em 2018 a realidade foi mais dura do que as expectativas. Nesse ano, o Executivo apontou para um crescimento de 2,3%, mas este acabou por ficar nos 2,1%.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Arriscar o quê?
    Este senhor durante a sua governação arriscou e meteu o País na Miséria.
    Onde está a viragem da Página da Austeridade da Troika? com todos os reformados que falo nenhum diz que teve qualquer aumento de Pensão… Mentirosos

    • Ó meu caro, o que esperava? Milagres?
      Note-se que não sou socialista nem apreciador das ideias respectivas.
      Mas o homem não podia fazer diferente. O chefe dele é que aldrabou (com a conivência do Bloco, do PC e dos Melancias) a populaça.
      As contas não são difíceis de fazer. Não há dinheiro. As coisas melhoraram, é certo, mas se regressarmos aos hábitos do passado, estamos logo com a Troika de volta.
      A malta tem de perceber de uma vez: NÃO HÁ DINHEIRO. SERÁ ASSIM COM PS, PSD, CDS, PCP, BE, ou quaisquer outros. A isto acresce que já não temos soberania orçamental plena (e ainda bem, porque se assim não fosse, nem quero imaginar como estaríamos).
      A malta tem de perceber que vai ter de trabalhar mais anos e receber menos de reforma. É mau? Claro que é! Gosto? Não (especialmente porque, no meu caso, ainda nem a meio da carreira estou)!
      Bem sei que vieram aí uns idiotas criticar o estudo da FFMS que defendeu o aumento da idade da reforma para os 69 anos. O ministro veio logo dizer que nem pensar. Pois claro! Quando a bomba rebentar ele já estará reformado (os tais direitos adquiridos) e não irão mexer-lhe na pensão.
      Mas, a questão resume-se a aritmética simples. Se aumenta a esperança média de vida, isto é, o número de anos em que o pessoal recebe reforma (e admitindo que o sistema estava equilibrado antes), então terá de aumentar a idade média da reforma. Ou então diminuem-se as pensões. Ou, aumentam-se as contribuições. Ou matam-se os pensionistas! É só escolherem!
      O Sr. Costa mentiu e enganou os portugueses promentendo o que não podia cumprir. Professores, polícias, enfermeiros, já começaram a abrir os olhos. Falta o resto da populaça!

    • É… o país estava super-mega rico; o Cem-tino é que o pôs na miséria!…
      “com todos os reformados que falo nenhum diz que teve qualquer aumento de Pensão… Mentirosos”
      Exacto – se não dizem, esses reformados, ou tem uma reforma de luxo ou são mentirosos!!
      Quero ver um reformado com uma reforma baixa (abaixo de salário mínimo) que não tenha sido aumentada!

Responder a Eu! Cancelar resposta

Camorra, droga e a queda meteórica: Eis o novo documentário do mítico Maradona

O documentário "Diego Maradona", produzido pelo cineasta britânico Asif Kapadia, estreou-se esta semana no Festival de Cinema de Cannes, e promete trazer "imagens inéditas" sobre a vida atribulada do antigo futebolista argentino. Kapadia, que produziu já …

Mais de 90% dos portugueses reformam-se sem saber quanto vão receber

Nove em cada dez pensionistas não conhecia o valor que iria receber até seis meses antes da data da reforma. Cerca de 30% dizem que gostariam de se ter reformado mais tarde. A maioria dos portugueses …

PS quer aprovar já diploma do direito a desligar do trabalho (PSD está reticente)

O PS quer aprovar até 19 de julho uma proposta que defina quando é que os trabalhadores têm ou não direito a desligar do trabalho. PSD não revela, para já, o seu sentido de voto. Segundo …

Menino ou menina? Hong Kong é o centro do tráfico de teste proibido na China

Na China, o teste para saber o género dos bebés é proibido, lei criada para controlar o nascimento de crianças do sexo masculino. Contudo, nas redes sociais, tem aumentado o número de individuos que se …

Estivadores do Porto de Setúbal aprovam novo contrato coletivo de trabalho

Os estivadores do porto de Setúbal aprovaram esta quinta-feira, por unanimidade, o acordo do novo contrato coletivo de trabalho negociado entre o sindicato e as entidades patronais. Segundo o presidente do Sindicato dos Estivadores e Atividade …

Senado brasileiro aprova projeto que criminaliza a homofobia

O senado brasileiro aprovou um projeto que criminaliza a homofobia. Quem "impedir ou restringir a manifestação razoável de afetividade de qualquer pessoa em local público ou privado aberto ao público", excetuados os templos religiosos, poderá …

Magistrados europeus denunciam destruição do Estado de Direito na Turquia

Os magistrados europeus afirmam que há "sinais muito sombrios na área da justiça", dando o exemplo da Turquia onde há uma "campanha para destruir a independência do poder judicial e o Estado de Direito." A MEDEL …

Câmara de Lisboa terá gastado ilegalmente quatro milhões de euros em obras sem concurso

A Câmara de Lisboa terá gastado ilegalmente quase quatro milhões de euros em obras públicas feitas sem o respetivo concurso. A conclusão é de uma fiscalização do Tribunal de Contas que analisou três empreitadas e concluiu …

Juros da dívida portuguesa atingem mínimo histórico abaixo dos 1%

Os juros da dívida portuguesa atingiram, esta quinta-feira, o valor mais baixo de sempre. Pela primeira vez, ficou abaixo dos 1%, chegando aos 0,995% no prazo a dez anos. Às 9h30 desta quinta-feira, os juros da …

INEM foi chamado duas vezes por engano devido a obra de arte em Lisboa

A polícia, os bombeiros e o INEM foram chamados duas vezes à Calçada do Correio Velho, em Lisboa, por transeuntes que julgaram ver uma pessoa inanimada no chão, por detrás de uma vitrina. Na verdade, trata-se …