Professores e Governo voltam à mesa de negociações (mas sem garantias)

Mário Cruz / Lusa

Os sindicatos dos professores regressam esta segunda-feira ao Ministério da Educação para uma reunião negocial. O objetivo é discutir a recuperação do tempo de serviço congelado, como previsto no Orçamento do Estado para 2019. 

Professores e Governo voltam esta segunda-feira à mesa das negociações para discutir a recuperação do tempo de serviço congelado sem garantias de que o Ministério da Educação, que convocou os sindicatos, tenha propostas novas para apresentar.

No debate parlamentar de sexta-feira, dedicado ao investimento no setor e requerido pelo PSD, o ministro da Educação não garantiu que houvesse uma proposta nova do Governo para a recuperação do tempo de serviço dos professores a apresentar na reunião que decorre esta tarde, com início marcado para as 16h00, e para a qual foram chamadas as dez estruturas sindicais que têm negociado o tema com o executivo.

Tiago Brandão Rodrigues disse apenas que as propostas são “feitas em sede negocial”, garantindo que irá de “boa fé” para as negociações: “Entro naquelas negociações sem nenhum tipo de ameaça”, afirmou.

Os professores mantêm a exigência de ver recuperados os nove anos, quatro meses e dois dias de tempo de serviço congelado, à semelhança do que já foi garantido aos docentes das regiões autónomas da Madeira e dos Açores, mas o Governo ainda não mostrou qualquer sinal de que esteja disposto a ir além dos dois anos, nove meses e 18 dias que apresentou como proposta no decorrer do processo negocial.

Essa proposta acabou por ser a palavra final e unilateral do Governo, que deu por encerradas as negociações e aprovou um decreto-lei que o Presidente da República acabaria por vetar no final de dezembro, com base na lei do Orçamento do Estado para 2019, na qual os partidos acordaram voltar a colocar a exigência de negociação da matéria.

Depois de meses de silêncio do lado do Governo e de ameaças dos sindicatos de novas formas de luta contra a ausência de qualquer convocatória por parte do executivo para nova reunião negocial, o Ministério da Educação chamou na passada semana os sindicatos para nova ronda negocial.

Nesta nova ronda os professores levam um abaixo-assinado com mais de 60 mil assinaturas a exigir a contagem integral do tempo de serviço congelado e a insistência num modelo de recuperação semelhante ao que foi acordado na região autónoma da Madeira.

Na Madeira os professores vão recuperar o tempo de serviço a um ritmo de ano e meio de tempo congelado a cada ano civil, num processo que se prolonga até 2025.

Os professores do continente querem ainda que a recuperação dos mais de nove anos congelados possa permitir, por opção do docente, uma contagem desse tempo em favor do acesso aos 5.º e 7.º escalões da carreira, para os quais existem quotas, e para efeitos de aposentação.

Tanto a Federação Nacional de Educação (FNE) como a Federação Nacional dos Professores (Fenprof), as duas estruturas mais representativas dos professores com assento na mesa negocial, afirmaram em comunicado que esperam que o novo processo negocial sirva apenas para negociar “o prazo e o modo” a recuperação dos mais de nove anos e não quanto tempo será recuperado.

Para terça-feira está já agendada uma conferência de imprensa das dez estruturas sindicais, ao final da manhã, onde os professores farão a avaliação pública da reunião desta segunda-feira e anunciarão “as ações e formas de luta que, eventualmente, serão desenvolvidas pelos professores”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Jovem de 19 anos morre atingido por disparos durante protesto pela morte de George Floyd

Um jovem de 19 anos morreu depois de alguém que seguia num carro ter disparado sobre uma multidão de pessoas que protestavam contra o homicídio do afro-americano George Floyd, indicou uma porta-voz da polícia de …

O campo magnético da Terra está a enfraquecer misteriosamente

Novos dados de satélite da Agência Espacial Europeia (ESA) mostram que o campo magnético da Terra está a enfraquecer entre África e a América do Sul. O enfraquecimento do campo magnético da Terra está relacionado com …

Morreram os primeiros dois capacetes azuis vítimas da covid-19

Dois militares da força de manutenção da paz das Nações Unidas no Mali morreram devido à covid-19, os primeiros entre cerca de 100.000 soldados e polícias destacados em 15 missões no mundo. "Infelizmente, ontem [quinta-feira] e …

Asteróide que dizimou os dinossauros atingiu a Terra no "mais mortífero ângulo possível"

O asteróide que dizimou os asteróides e 75% de todas espécies à face da Terra há 65 milhões de anos atingiu a Terra no "mais mortífero ângulo possível", concluiu uma investigação do Imperial College de …

O Sol pode ser fruto de um acidente galáctico entre a Via Láctea e uma galáxia anã

Uma pequena galáxia, chamada Sagitário, moldou a Via Láctea há milhares de milhões de anos: cada vez que passou perto da nossa galáxia, causou fortes explosões de formação estelar que podem até ter originado o …

Se diplomacia falhar, China admite uso de força militar para controlar Taiwan

A China vai atacar Taiwan se não houver outra maneira de impedir que este Estado se torne independente, disse Li Zuocheng, um dos mais importantes generais do país, esta sexta-feira. Esta será uma opção de …

Encontrada canábis e incenso em templo bíblico de Israel. Foram usados em ritos religiosos antigos

A análise do material em dois altares da Idade do Ferro descobertos na entrada do santuário "santo dos santos" em Tel Arad, no vale de Beer-sheba, Israel, contém canábis e incenso. Escavações anteriores revelaram duas fortalezas …

Funerárias de Nova Iorque processadas por guardarem cadáveres em camiões

Devido ao elevado número de mortes causadas pela covid-19, as agências Andrew T. Cleckley, DeKalb e Armistead Burial armazenavam os corpos nos camiões frigoríficos até ser possível realizar os funerais. Três processos foram movidos por, pelo …

"Never again". Estudantes nos EUA vão aprender mais sobre o Holocausto

Estudantes norte-americanos vão passar a aprender mais coisas sobre o Holocausto, numa altura em que os Estados Unidos enfrentam níveis cada vez mais altos de antissemitismo. De acordo com a revista Newsweek, o Presidente norte-americano, Donald …

Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas

A Polónia vai ser o primeiro país a voltar a ter adeptos nas bancadas. Os estádios vão poder ter 25% da sua capacidade preenchida, anunciou o primeiro-ministro. De acordo com o jornal online Observador, a liga …