Pais revoltados com professor que deu aula com máscara no queixo — e que publica vídeos obscenos online

11

Rodrigo Antunes / Lusa

PSP foi chamada à Secundária Eça de Queirós, na Póvoa do Varzim, porque docente — que sugeriu aos alunos que seguissem o seu canal de YouTube onde tem vídeos em cuecas e nu — deu aula com máscara no queixo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

De acordo com o Jornal de Notícias, um docente da Secundária Eça de Queirós, na Póvoa do Varzim, deu aula com a máscara no queixo, ter-se-á gabado de não ser vacinado, e sugeriu aos alunos que o seguissem no YouTube, onde publica vídeos nu, a lavar-se num bidé, de cuecas, em frente ao espelho, e a dizer frases de cariz sexual.

Os encarregados de educação fizeram queixa do professor e exigem medidas, designadamente a substituição do professor, que leciona Economia e Direito ao 12.º ano, e que “não está em condições”.

Esta quarta-feira, a PSP foi chamada à escola, na sequência de uma denúncia segundo a qual o docente estaria a dar aulas sem máscara.

“Gabou-se na aula de apresentação de não ser vacinado, ‘que era tudo uma mentira’ e deu a aula com a máscara no queixo. Sugeriu aos alunos que o seguissem no seu canal de YouTube, onde aparece nu, em trajes menores e de biquíni. O estado da saúde mental deste professor é grave e é um perigo para os alunos e comunidade escolar”, explicou um dos pais, em declarações ao JN.

Até que seja substituído, os encarregados de educação querem que a escola trace um plano alternativo, que poderia passar por aulas com supervisão de outro professor ou atribuição de funções não docentes ao professor.

Contactado pelo JN, o diretor da escola, José Eduardo Lemos, garantiu que, caso as queixas dos pais sejam formalizadas, “a Direção da escola agirá em conformidade”.

Segundo José Eduardo Lemos, as autoridades estiveram na escola, mas “o professor apenas tinha a máscara mal colocada”. Quanto aos vídeos publicados no YouTube, diz que “são matérias da esfera da vida privada do docente”.

Esta tarde, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, confirmou que o professor foi afastado da escola enquanto decorre o processo disciplinar. “O docente foi suspenso, no seguimento do processo disciplinar, com pedido de suspensão preventiva, instruído esta quarta-feira pelo diretor da escola”, lê-se na resposta da tutela.

  ZAP //

11 Comments

    • A terra é plana. Nunca foram à lua e em Espanha não há um vulcão em erupção. Já agora junta-te ele no bidé e no youtube. É cada cabeça… Só lamento que pessoas como tu tenham apanhado o covid, tenham ido parar aos cuidados intensivos, tenham colocado o pessoal dos hostipais em risco e estivessem a gastar o dinheiro dos contribuintes. Vai para Marte!

  1. O problema aqui é a sua postura diante de jovens, que são bastante influenciáveis. A opinião que tem sobre a pandemia é pessoal, não é para ser debatida numa sala de aula. Quer ser do contra, que o faça na vida privada. Tem um dever para com os seus alunos, e não é o de por miúdos a vê-lo lavar os couratos no bidé. Se tem problemas de foro psicológico não deveria estar a lecionar…

    • Se o professor recusa a vacina devia ser proibido de dar aulas, está a pôr em risco os alunos. Quanto ao convite para os alunos verem os seus videos nú é uma forma de assédio sexual.

      • Desde quando a vacina é obrigatória? Está a por em risco podendo infetar como infetaria sem vacina e com máscara! ABRA OS OLHOS!

  2. O homem está doente, tem que se tratar! Ou aceita tratar-se, ou é expulso do ensino. Tem que ser assim! Não é obrigado a vacinar-se mas está obrigado a cumprir as regras de segurança sanitária em vigor. Não pode fazer propaganda anti-vacinas pois que nem propaganda político-partidária é permitida em serviços públicos. Pode fazer o que quiser na sua vida privada mas não pode escusar-se do dever de decoro. Alguém deveria explicar estas regras todas ao homem, embora não devesse ser necessário, visto que assinou um contrato com o Estado.

  3. Tudo isto é falta de respeito e resultado de uma decadência em que a sociedade portuguesa caiu onde tudo é permitido sem o mínimo respeito pelo próximo, como professor penso não ter mais condições para continuar e os pais dos alunos deveriam opor-se a tal.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.