Presidente turco pondera repor pena de morte. 8 mil polícias suspensos

Tolga Bozoglu / EPA

O presidente da Turquia, Recep Erdogan

O presidente da Turquia, Recep Erdogan

Cerca de oito mil polícias já foram suspensos de funções e as detenções não param de aumentar. Erdogan admite mesmo repor a pena de morte para castigar os culpados pela tentativa de golpe de Estado.

O presidente turco, Recep Erdogan, afirmou que vai considerar repor a pena de morte no país, na sequência da tentativa de golpe de Estado da última sexta-feira.

“Nas democracias, as decisões são baseadas naquilo que o povo diz. Eu penso que o nosso governo irá falar com a oposição e chegar a uma conclusão”, afirmou, reagindo ao pedido das multidões em Istambul.

A pena capital foi abolida na Turquia em 2004, no quadro da candidatura da adesão de Ancara à União Europeia.

“Não podemos continuar a adiar isto, porque, neste país, aqueles que lançam um atentado terão de pagar um preço por isso“, disse aos apoiantes, depois de participar em funerais de vítimas do golpe falhado.

O Governo turco conseguiu recuperar o controlo do país no passado sábado e, segundo a BBC, cerca de oito mil polícias já foram suspensos de funções.

Já foram detidas 7.543 pessoas, das quais 6.038 militares, 755 magistrados e 100 agentes da polícia, afirmou o chefe do Governo turco. O número total de mortos é de pelo menos 308.

Segundo a agência de notícias turca Anadolu, o diretor dos serviços de segurança de Istambul, Mustafa Caliskan, deu ordem para abater helicópteros não autorizados sem aviso prévio.

Entre os vários militares sob custódia policial estão 103 generais e almirantes, detidos em rusgas por todo o país, nomeadamente o adjunto militar do presidente turco Ali Yazici.

Erdogan prossegue assim a “grande limpeza” que pôs em marcha depois do golpe falhado e apela aos cidadãos para continuarem nas ruas a manifestar apoio ao regime.

“Vamos continuar a eliminar os vírus de todas as instituições do Estado. É um vírus, como um cancro, que se propaga a todo o Estado”, afirmou numa cerimónia na mesquita de Fatih, em Istambul, em memória das vítimas.

“Este golpe de Estado foi uma dádiva de Deus”, disse ainda Erdogan na noite em que ocorreu a tentativa falhada dos militares.

Esta segunda-feira, o comissário europeu responsável pelas negociações de alargamento da UE sugeriu que o Governo turco já estava preparado para deter milhares de pessoas mesmo antes da tentativa falhada de golpe militar.

O chefe de Estado turco tem repetido os apelos para que os EUA extraditem Fethullah Gulen, a quem responsabiliza pela autoria do golpe.

O imã muçulmano da oposição já negou qualquer envolvimento no golpe e sugere mesmo que poderá ter sido o próprio presidente turco a instigá-lo.

Bruxelas: Nenhum país com pena de morte pode ser membro da UE

A chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, avisou hoje, em Bruxelas, que nenhum país se tornará membro do espaço comunitário, se introduzir a pena de morte.

“Vou ser muito clara, nenhum país se tornará um estado-membro da UE se introduzir a pena de morte. É muito claro. É um ponto-chave“, afirmou a comissária, em resposta a uma questão, em conferência de imprensa, sobre eventuais impactos nas negociações de uma eventual reposição da pena de morte na Turquia.

Ao lado do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, Federica Mogherini lembrou que a Turquia é membro do Conselho da Europa, que, por seu lado, assenta na convenção dos Direitos Humanos que recusa a pena de morte.

A responsável indicou também a necessidade de as “legítimas instituições turcas sejam protegidas”, referindo que a ordem constitucional e o Estado de direito terão de continuar a ser observados, assim como a necessidade de serem respeitados os direitos humanos e as liberdades fundamentais.

“Uma tentativa de golpe de Estado não é desculpa”, avisou a italiana, garantindo que a UE será “extremamente vigilante”, não só “pelo bem da Europa, mas pelo bem também da Turquia e dos turcos”.

Em Bruxelas, onde participou num pequeno-almoço de trabalho com os seus homólogos dos 28, Kerry afirmou, por seu lado, que a NATO também acompanha, de forma muito próxima, a situação na Turquia.

“Como já foi dito, o nível de vigilância e de escrutínio vai ser muito alto”, rematou.

Os dois responsáveis notaram a proximidade e importância das relações entre os EUA e a UE, que se traduz, nomeadamente na cooperação contra o terrorismo e nos apoios à Síria, Líbia e Ucrânia.

Kerry manifestou a sua satisfação por ser o primeiro governante norte-americano a participar num Conselho de Ministros dos Negócios Estrangeiros da UE e lançou o desafio de estas reuniões decorrerem regularmente.

“Mas isso é uma decisão dos nossos amigos europeus“, indicou Kerry, ao que a sua homóloga europeia respondeu, prontamente, “acordado”.

ZAP / Lusa / BBC / ABr

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Espero que não…….. . Mas podemos ter desta vez um golpe mais violento e com muito sangue nas ruas, se Erdogan não tomar juízo. Estes 6.038 militares, 755 magistrados e 100 agentes da polícia pode ser o rastilho para a bomba.

  2. Quem fez cumprir os direitos humanos dos que morreram, …… na Turquia, ……. em França, …….. em Espanha, ……… na Tunisia, ……., nos Estados Unidos, …….. . …….. ,. …… ,,…… ,…….., …… ,,…….

RESPONDER

Após 20 anos de silêncio, sinos e carrilhões de Mafra voltam a tocar

Os sinos e os carrilhões do Palácio de Mafra vão tocar a partir de 1 de fevereiro, após obras de restauro, depois de os primeiros sinais de deterioração surgirem a 11 de setembro de 2001, …

Encontro secreto de bispos críticos do Papa Francisco em resort de luxo em Sintra

Uma centena de bispos de todo o mundo reuniu-se em Sintra, no resort de luxo Penha Longa, num encontro envolvido em secretismo que não contou com intervenientes portugueses. As razões ou o que se discutiu …

Quim Torra perde mandato de deputado. Catalunha arrisca ficar sem Governo

O presidente independentista da Catalunha perdeu o seu mandato como deputado regional, esta segunda-feira, o que levanta dúvidas sobre a sua continuação à frente do Governo regional. Quim Torra, do partido Juntos pela Catalunha de Carles …

Herdeiros e casais têm até hoje para pedir alteração no Adicional ao IMI

Os casais e os beneficiários de heranças indivisas têm até esta terça-feira para entregar no Portal das Finanças o pedido de alteração à forma como foram tributados no Adicional ao Imposto Municipal sobre os Imóveis …

Tribunal de Contas trava medicamento "essencial" no Hospital de Guimarães

O Tribunal de Contas (TdC) recusou o visto a um contrato, no valor de 2,9 milhões de euros, celebrado pelo Hospital de Guimarães para aquisição de um medicamento considerado “essencial” para a prestação de cuidados …

Francisco Rodrigues dos Santos não se quer eternizar "na cadeira de presidente do CDS"

"À medida que as pessoas se vão eternizando nos lugares, começam a confundir o interesse público com o interesse particular". Por isso, Francisco Rodrigues dos Santos não se quer eternizar no CDS-PP. Em entrevista à TVI, …

Menos 115 deputados. Itália realiza referendo para reduzir Parlamento

A Itália organiza em 29 de março um referendo sobre a alteração da Constituição e a redução do número de deputados, uma data esta proposta pelo Governo de coligação entre o Movimento Cinco Estrelas (M5S) …

Flamengo chega a acordo com o Inter por Gabigol

Flamengo e Inter de Milão já chegaram a acordo para a transferência definitiva de Gabigol, jogador que esteve durante a última temporada na equipa brasileira por empréstimo. Segundo o portal brasileiro Globo Esporte, os dirigentes do …

Espanha quer "assaltar" o lugar de Centeno no Eurogrupo

Nadia Calviño, a número dois do Governo Espanhol, assume-se como favorita para assumir a presidência do Eurogrupo, caso o ministro das Finanças português, Mário Centeno, decida não entrar na corrida. A notícia é avançada esta terça-feira …

Dívidas de hospital de Lisboa travam compra de dois medicamentos para cancro

As dívidas do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte, que inclui os hospitais de Santa Maria e Pulido Valente, levaram o Tribunal de Contas (TdC) a chumbar a compra de dois medicamentos para um cancro …