Presidente da Renault nomeado para o conselho de administração da Nissan

fondapol / Flickr

O presidente da Renault, Jean-Dominique Senard

Jean-Dominique Senard, que detém 43% da Nissan, vai ocupar o lugar no conselho de administração que pertencia a Carlos Ghosn.

Os acionistas da Nissan nomearam este domingo o presidente da Renault para o conselho de administração da fabricante nipónica e formalizaram a saída do ex-presidente Carlos Ghosn, detido por má conduta financeira.

Durante a assembleia-geral extraordinária, que decorreu em Tóquio, com mais de 4.000 acionistas presentes, foi ainda aprovada a demissão de Greg Kelly, membro do conselho de administração e assessor de Carlos Ghosn, e considerado figura central nas irregularidades financeiras que a empresa sofreu nos últimos anos.

O presidente da Renault, Jean-Dominique Senard, que detém 43% da Nissan, vai ocupar o lugar no conselho de administração que pertencia ainda formalmente a Carlos Ghosn. A administração tinha dispensado Ghosn da presidência, logo após a primeira detenção, em 19 de novembro, contudo, era necessário a aprovação formal da medida pelos acionistas.

O atual presidente executivo, Hiroto Saikawa, pediu desculpa aos acionistas e admitiu que este é um “momento crítico” para a empresa. “Peço imensas desculpas por todas as preocupações e problemas que causámos”, disse Hiroto Saikawa, durante a assembleia-geral extraordinária, que decorreu em Tóquio.

Saikawa sublinhou ainda que esta foi “uma má conduta impensável e sem precedentes para um executivo de topo”. “Já se passaram quatro meses desde o evento de novembro. A Nissan está num momento crítico”, mas quer “dar um novo passo na reforma da gestão”, disse Saikawa.

O responsável admitiu ter ficado “em choque” quando soube dos resultados da investigação interna da empresa, que mostrou supostas práticas ilícitas. Criticado por não ter conseguido impedir tais ações durante vários anos, Saikawa reconheceu “sérios problemas” de gestão e prometeu “colocar a empresa de volta no caminho do crescimento”.

Na quinta-feira, Carlos Ghosn foi detido novamente por suspeita de ter desviado cinco milhões de dólares (4,4 milhões de euros)., Os procuradores do Ministério Público japonês adiantaram que o dinheiro terá sido desviado de uma subsidiária da Nissan para uma concessionária fora do Japão.

A detenção aconteceu cerca de um mês depois de Ghosn ter sido libertado sob fiança, quando se encontrava sob custódia das autoridades, suspeito de má conduta financeira enquanto liderava o fabricante japonês.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Nem senhoras, nem senhores. Japan Airlines vai abolir expressões de género

A habitual saudação "senhoras e senhores" da companhia aérea japonesa vai ser substituída por saudações neutras relativamente ao género como, por exemplo, "bom dia" e "boa noite". Segundo o jornal The Telegraph, a Japan Airlines vai …

Centeno pediu e Marcelo recebeu o governador do Banco de Portugal

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu o governador do Banco de Portugal (BdP), Mário Centeno, esta segunda-feira à tarde, a pedido deste. O chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, recebeu esta segunda-feira à tarde, no Palácio …

Vila romena reelege autarca que morreu de covid-19 dez dias antes

Os moradores de Deveselu, na Roménia, decidiram prestar uma última homenagem ao presidente da Câmara, nas eleições locais deste domingo, que morreu devido a complicações provocadas pela covid-19 dez dias antes. De acordo com a agência …

Jogador do Rio Ave recusou jogar

Matheus Reis não quis defrontar o Vitória de Guimarães porque quer sair rapidamente de Vila do Conde. Presidente anunciou suspensão do atleta. O Rio Ave apareceu no duelo com o Vitória de Guimarães (0-0) sem Matheus …

António Joaquim entrega recurso no Supremo no caso do homicídio do triatleta

O advogado de António Joaquim, condenado pelo Tribunal da Relação pelo homicídio do triatleta Luís Grilo, entregou, esta segunda-feira, no Supremo Tribunal de Justiça um recurso sobre essa decisão, defendendo a sua revogação e a …

57% dos portugueses diz que a pandemia dificultou acesso à saúde (e mais de 600 mil perderem consultas)

Mais de metade dos portugueses (cerca de 57%) considera que a pandemia dificultou o seu acesso aos cuidados de saúde, sendo a população mais idosa (69%) e os doentes crónicos (70%) quem mais manifesta esta …

“Negacionista e bem raivosa”. Livro de ex-ministro da Saúde revela reação de Bolsonaro à pandemia

O primeiro ministro da Saúde do mandato de Jair Bolsonaro, Luiz Henrique Mandetta, publicou um livro sobre o combate à pandemia no Brasil e revelou que o Presidente teve uma reação “negacionista” e “raivosa”. De acordo …

"É um génio". Futre acredita que João Félix lutará pela Bola de Ouro dentro de pouco tempo

O antigo internacional português e antigo jogador do Atlético de Madrid Paulo Futre acredita que João Felix lutará pela Bola de Ouro dentro de pouco tempo. "É um génio. Cada vez que a bola passa pelos …

Seis novos sauditas indiciados na Turquia pela morte de Khashoggi

Os seis sauditas, indiciados a alguns dias do segundo aniversário do homicídio, não se encontram na Turquia e devem ser julgados à revelia. O procurador de Istambul indiciou, esta segunda-feira, seis novos sauditas suspeitos de …

Expressões neutras e imagens de homens e mulheres. Governo quer militares a usar linguagem inclusiva

O Ministério da Defesa quer que os militares comecem a usar uma linguagem mais inclusiva e menos discriminatória nos documentos e comunicações oficiais, de acordo com uma diretiva enviada Estado-Maior-General das Forças Armadas e aos …