Polícia israelita tem “provas suficientes” para acusar Netanyahu de corrupção

A polícia israelita recomendou hoje à justiça que acuse de corrupção e fraude o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que por seu turno confirmou a indicação policial numa declaração à televisão pública, mas declarou-se inocente.

A polícia divulgou um comunicado sustentando que “existem provas suficientes contra o primeiro-ministro para acusá-lo de receber subornos, fraude e abuso de confiança”.

A recomendação, que surge ao fim de dois anos de inquérito, precisa de uma decisão oficial para avançar com o processo, ficando agora nas mãos do procurador-geral Avishaï Mandelblit, e pode demorar várias semanas.

Depois de os media israelitas noticiarem a posição da polícia, Benjamin Netanyahu, de 68 anos, refutou todas as acusações em declarações transmitida pela televisão israelita: “Estas recomendações não têm nenhum valor jurídico num país democrático”.

Segundo o Expresso, o governante falou aos eleitores para garantir que as alegações são “infundadas” e prometeu continuar nas lides do país.

De acordo com os media, no primeiro caso, o Caso 1000, Netanyahu é acusado de receber presentes – nomeadamente cigarros de luxo – de personalidades ricas como James Packer, milionário australiano, ou Arnon Milchan, produtor israelita em Hollywood, que somam um valor de dezenas de milhares de dólares.

O segundo caso, o Caso 2000, também envolve suspeitas de “suborno, fraude e quebra de confiança pelo primeiro-ministro” e por Arnon Mozes, dono do jornal israelita de maior tiragem, o “Yedioth Ahronoth”. Os dois homens, aponta a polícia, são suspeitos de discutirem formas de desacelerar as vendas de um jornal rival, o “Israel Hayom”, “através de legislação e outros meios”.

Netanyahu cumpriu um primeiro mandato entre 1996 e 1999, e lidera agora de novo o governo israelita desde 2009.

Sem rival aparente, irá bater o recorde de longevidade no poder em Israel, pertencente ao histórico David Ben Gourion, fundador do Estado de Israel, se conseguir chegar ao final da atual legislatura, que vai até novembro de 2019.

“Vou continuar a liderar Israel de forma responsável e fiel enquanto vós, cidadãos de Israel, me escolherem para vos liderar”, declarou Netanyahu. “Estou certo de que, nas próximas eleições, que serão organizadas no seu devido tempo , irei reconquistar a vossa confiança com a ajuda de Deus”.

O ministro israelita da Justiça, Ayelet Shaked, já disse que um primeiro-ministro acusado oficialmente não é obrigado a demitir-se.

“Quando um primeiro-ministro é acusado, não é obrigado a demitir-se sem que tenha esgotado todos os recursos para se defender”, indicou também à agência France Presse o analista Ofer Kenig, do Instituto de Democracia de Israel.

No entanto, a lei permite ao parlamento desencadear um processo especial se o chefe do Governo for colocado em causa por obscenidade moral, acrescentou.

Abir Sultan / EPA

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

Na área política, os comentadores sublinharam que o destino de Benjamin Netanyahu vai depender em grande parte do ministro das Finanças, Moshé Khalon, líder do partido de centro-direita Koulanou.

Se esta formação política com dez deputados – em 120 – o abandonar, Netanyahu deixa de ter maioria parlamentar. “Vão surgir pressões intensas sobre Moshé Kahlon”, prevê Hanan Cristal, comentador político da rádio pública de Israel.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Casa de animais". Escândalo sexual nos Dallas Mavericks abala NBA

O ex-presidente executivo da equipa da NBA foi acusado por várias funcionárias de assédio sexual, assim como o responsável pelo site da organização. Uma investigação levada a cabo pela Sports Illustrated revelou, esta quarta-feira, as práticas de …

Sporting vs Astana | Leão empata mas segue em frente

O Sporting cumpriu o esperado e apurou-se para os oitavos-de-final da Liga Europa, apesar de empatar com o Astana, em casa, por 3-3. Após uma primeira parte de alguns sustos, Bruno Fernandes “abriu o livro” após …

REN pode vir a pagar metade da fatura da tarifa social do gás

Esta quinta-feira, o jornal Público avança que o Governo quer que, em vez dos consumidores, sejam as "transportadoras" e "comercializadoras" a financiar a tarifa social do gás. A ERSE terá de adaptar as tarifas à …

Proteína BolA torna bactéria salmonela mais resistente

Uma equipa de cientistas portugueses está a estudar a proteína BolA, de forma a tentar combater o facto de a salmonela ser um dos grandes problemas existentes na atualidade, já que esta bactéria pode contaminar …

Presidente da Ford nos EUA demite-se por comportamento inadequado

Uma investigação interna concluiu que Raj Nair levou a cabo comportamento "inconsistente com o código de conduta da empresa". O Presidente da Ford nos EUA, Raj Nair, demitiu-se "com efeitos imediatos" depois de uma investigação interna …

PJ investiga contas bancárias de Bruno de Carvalho e de familiares

As contas bancárias de Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, estão a ser passadas a pente fino por investigadores da Polícia Judiciária, no âmbito das suspeitas em torno de eventuais "luvas" nas transferências de jogadores. A …

Rúben Semedo em prisão preventiva acusado de tentativa de homicídio

O futebolista português Rúben Semedo, internacional sub-21 que joga no clube espanhol Villarreal, vai ficar em prisão preventiva, a aguardar julgamento, depois de ter sido acusado de tentativa de homicídio. Um juiz do tribunal de Líria, …

Opositor russo Alexei Navalny detido um mês antes das presidenciais

O líder da oposição russa Alexei Navalny anunciou ter sido detido pela polícia em Moscovo, a menos de um mês das eleições presidenciais, para as quais apelou ao boicote. Através do Twitter, Navalny disse ter sido …

Com 13 anos, Jack não conseguiu jogar na lotaria (mas comprou uma arma)

Jack, um rapaz norte-americano de 13 anos, tentou, sem sucesso, comprar cerveja, cigarros, revistas para adultos ou até jogar na lotaria. Mas quando se tratou de comprar uma arma, conseguiu-o em menos de dez minutos. O …

PCP sozinho na luta contra o Acordo Ortográfico

PSD, PS, CDS e BE demarcaram-se, esta quarta-feira, do projeto de resolução do PCP, que pretende a desvinculação de Portugal do Acordo Ortográfico de 1990, ainda que admitam a necessidade de o aperfeiçoar. Na defesa do …