PSOE cai para terceiro nas sondagens em Espanha

partyofeuropeansocialists / Flickr

Pedro Sánchez, líder do PSOE

Pedro Sánchez, líder do PSOE

Segundo uma sondagem publicada na quinta-feira em Espanha, o partido no governo, Partido Popular, continua à frente e a aliança de esquerda, Unidos Podemos, ultrapassou o PSOE, ocupando o segundo lugar.

Os quatro principais partidos espanhóis iniciaram à meia-noite desta sexta-feira a campanha eleitoral para as legislativas de 26 de junho com as tradicionais sessões de colagem de cartazes em Madrid.

Trata-se das primeiras eleições gerais na história de Espanha que se repetem por falta de acordo para formar governo entre os partidos políticos que se apresentaram às eleições em 20 de dezembro último.

O PP, PSOE, Unidos Podemos e Ciudadanos vão nas próximas duas semanas tentar influenciar o sentido de voto dos eleitores desanimados com o estado da situação política do país.

O PSOE, Partido Socialista Operário Espanhol, parece estar numa situação difícil depois de a última sondagem publicada na quinta-feira ter indicado que terá passado do segundo para o terceiro lugar, com 21,2 por cento de intenções de voto e com 78 a 80 lugares no Congresso espanhol.

O seu líder, Pedro Sanchez, já elegeu a luta contra a abstenção como uma das principais prioridades do partido para estas eleições.

Uma aliança entre os partidos de esquerda, Podemos e Esquerda Unida (Unidos Podemos) e outros pequenos partidos, liderada por Pablo Iglesias, poderá tirar o segundo lugar ao PSOE, obtendo 25,6% dos votos e um máximo de 92 deputados.

De acordo com a mesma sondagem, a direita tradicional, o PP (Partido Popular) liderado pelo presidente do governo de gestão, Mariano Rajoy, manteria o primeiro lugar, se as eleições se realizassem hoje, com 29,2% dos votos e entre 118 e 121 deputados.

O partido liberal centrista Ciudadanos teria 14,6% dos votos, 38 a 39 lugares no parlamento.

Estes resultados representam uma subida do PP em relação às últimas sondagens, mas ainda muito longe da maioria absoluta – mais longe do que em dezembro.

Em dezembro, o Partido Popular venceu as eleições legislativas em Espanha, mas ficou longe da maioria absoluta, obtendo 123 dos 350 lugares do parlamento espanhol. O PSOE – Partido Socialista Operário Espanhol conseguiu 90, o partido de esquerda radical e anti-austeridade Podemos chegou aos 69, e o centrista Ciudadanos,

Com estes resultados, nenhuma eventual alianças apenas entre dois partidos alcança a soma necessária de 176 deputados que dão a maioria absoluta.

As negociações para formar um governo a 3 entre PSOE, Ciudadanos e Podemos fracassaram.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

UE tem de libertar-se da "má vontade" e negociar entre iguais, diz Reino Unido

A União Europeia (UE) deve libertar-se da sua má vontade e construir uma boa relação com o Reino Unido como soberanias iguais, disse no domingo o conselheiro do Governo britânico David Frost, prometendo defender os …

Acordo com Groundforce falha por acionista maioritário ter ações penhoradas

O acordo entre a TAP e a Pasogal, acionista da Groundforce, falhou, porque as ações do acionista já estão penhoradas e, assim, não podem ser dadas como garantia, disse à Lusa fonte oficial do Ministério …

Apenas 24 países têm mulheres no poder. Igualdade de género alcançado somente "em 130 anos"

Menos de 500 milhões de pessoas dos cerca de 7,8 mil milhões que constituem a população mundial têm atualmente uma mulher Presidente ou chefe de governo, avançou a ONU Mulher. "Ao ritmo atual, a igualdade de …

Império de Cristiano Ronaldo mudou-se para Portugal (na pista dos benefícios fiscais)

Após ter dissolvido a CRS Holding no Luxemburgo, Cristiano Ronaldo passou a sede de uma das suas principais empresas para Lisboa renomeando-a CR7 Lifestyle Unipessoal. Nesta altura, o craque já tem seis empresas instaladas em …

Coro de crianças na Alemanha compõe música de apoio a Portugal

Um coro com cerca de quatro dezenas de crianças, da cidade de Tecklenburg, na Alemanha, criou uma música para "dar conforto" aos portugueses durante a pandemia de covid-19. "Quando eu li nas notícias sobre a situação …

Pelo menos 6% das portuguesas já foram vítimas de agressão física ou sexual

No dia em que se assinala o Dia Internacional da Mulher, a Pordata compilou um conjunto de indicadores que retratam a situação da mulher, em Portugal e na União Europeia.  Segundo o Eurostat e a Agência …

PS exige "demissão imediata" de Pedro Machado da presidência da Turismo Centro

As federações do PS de Aveiro, Coimbra, Guarda, Leiria, Oeste, Santarém e Viseu exigiram este domingo a "demissão imediata" de Pedro Machado da presidência da Turismo Centro de Portugal (TCP) e a convocação de eleições …

“Opaco” e “mal estruturado”. Pilotos criticam plano de adesão voluntária da TAP

Esta segunda-feira, o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) definiu o programa de medidas voluntárias da TAP como “mal estruturado”, “absolutamente opaco” e com “deficiências de informação”. A direção de recursos humanos da companhia “revela-se …

"Bolsonaro pode estar a preparar guerra civil", temem politólogos

Politólogos ouvidos pelo DN temem que o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, possa estar a preparar uma guerra civil. "Deseja armar a população, confia em poderes paralelos e estimula a indisciplina dos escalões mais baixos …

PRR: PSD quer que Governo conheça todos os contributos entregues na consulta pública

O PSD pediu acesso esta segunda-feira, através do parlamento, à documentação relativa a todos os contributos decorrentes da consulta pública do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Num requerimento entregue segunda-feira no parlamento e dirigido ao …