Portugal já não deve ao FMI. Pagamento antecipado poupa 100 milhões de euros

Rodrigo Antunes / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno, anunciou que Portugal concretiza esta segunda-feira o pagamento do total da dívida ao Fundo Monetário Internacional (FMI), com a liquidação de 4,7 mil milhões de euros.

Numa conferência de imprensa no Ministério das Finanças, em Lisboa, Mário Centeno disse que “é concretizado hoje” o pagamento total do empréstimo ao FMI, que ascende a 28 mil milhões de euros, salientando que as poupanças estimadas com o pagamento antecipado do que faltava, de 4,7 mil milhões, totalizam cerca de 100 milhões de euros.

No total, as poupanças acumuladas ao longo dos últimos dois anos serão de 1,16 mil milhões de euros, adiantou Mário Centeno. O ministro afirmou ainda que o Governo mantém os objetivos para 2018 e 2019 de redução do rácio da dívida no PIB para 121,2% e 118,5%, respetivamente.

De forma a liquidar a dívida ao FMI, Portugal foi ao mercado financiar-se a taxas de juro mais baixas do que aquelas que são cobradas pelo Fundo Internacional. Este processo de pagamentos antecipados surgiu em 2015, como uma estratégia desenhada pelo Governo (PSD/CDS) do então primeiro-ministro Pedro Passos Coelhos, tendo como objetivo travar os custos associados à divida.

O FMI não é mais um credor de Portugal, mas restam ainda dívidas por pagar a instituições como o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira e o Mecanismo Europeu de Estabilidade, tal como recorda o Notícias ao Minuto.

No âmbito do resgate financeiro, Portugal recebeu 78 mil milhões, dos quais 26,3 milhões foram emprestados pelo FMI e os restantes mais de 50 milhões pelas outras duas instituições, segundo dados relativos ao mês de novembro divulgados pela Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, sendo este o valor que ainda falta liquidar.

Centeno frisou que o reembolso desta segunda-feira “melhora a sustentabilidade da dívida portuguesa, aumenta a confiança dos investidores em Portugal e otimiza a gestão da dívida pública”, adiantando que continuará a haver uma “importante almofada de liquidez para enfrentar eventuais turbulências no mercado”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. É bem, mas assim o Cem-tino não vai certamente ter um lugar no FMI, como teve o seu antecessor (Gasparzinho), pelo excelente serviço prestado (ao FMI, claro)!!

  2. Mais outra manchete para enganar papalvos…
    Quem não ler com atenção ficará com a ideia que a dívida pública portuguesa desceu. Os mais ingénuos até pensarão que foi paga na totalidade!

    É, por isso, preciso dizer e repetir até à exaustão: isto não foi pagar a dívida, foi substituir dívida por outra!

    A dívida soberana de Portugal não desceu. Na verdade, é agora aproximadamente 20 mil milhões de euros mais elevada do que quando este governo tomou posse há 3 anos (vinte mil milhões!)
    Os números não são secretos. São públicos, estão no site do Banco de Portugal.

  3. Todo este tempo tem sido usado para esmagar ainda mais o sector privado para dar benesses ao sector publico que o privado nao tem. Veremos quando parar a descida de juros e do turismo como vão continuar a pagar essas benesses

  4. O que eles fizeram foi substituir divida. A verdadeira razão é que a partir daqui não têm os chatos do FMI a chatear e passam a poder esbanjar à vontade!

RESPONDER

Estados Unidos confirmam rara infeção provocada por parasita que destrói o cérebro

Foi detetada, no cérebro de uma pessoa no condado de Hillsborough, uma ameba rara que destrói o cérebro. O parasita chama-se Naegleria Fowleri. Uma ameba rara que destrói o cérebro, conhecida como Naegleria Fowleri, foi detetada numa …

IKEA devolve a Portugal 500 mil euros em apoios do lay-off

A IKEA já reuniu com o Governo e diz estar a estudar a melhor forma de proceder à devolução do montante recebido pelo Estado.  Segundo o Dinheiro Vivo, a IKEA Portugal vai devolver cerca de 500 …

Isabel dos Santos diz-se "contactável e disponível" para colaborar com a justiça

Isabel dos Santos negou, esta segunda-feira, que a justiça desconheça o seu paradeiro e que não a consiga contactar, depois de o procurador-geral de Angola ter vindo a público denunciar a ausência de respostas da …

"Não estamos a dar a resposta suficientemente eficaz nesta fase", diz bastonário dos médicos

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM), Miguel Guimarães, defendeu esta segunda-feira que enquanto faltar uma "resposta suficientemente eficaz" à covid-19 na fase de desconfinamento, a recuperação económica também será mais lenta. O responsável falava aos …

Bolsonaro alarga veto para uso de máscaras no Brasil

Jair Bolsonaro vetou, esta segunda-feira, a obrigatoriedade do uso de máscaras em prisões durante a pandemia, segundo informações divulgadas no Diário Oficial da União. A decisão do Presidente brasileiro incluiu também o fim da obrigatoriedade de …

Carruagens compradas pela CP à espanhola Renfe vão ter espaço para bicicletas

As 51 carruagens que a CP - Comboios de Portugal vai comprar à espanhola Renfe por 1,6 milhões de euros permitirão o transporte de bicicletas, revelou o ministro Pedro Nuno Santos, garantindo que serão gastos …

Crescimento "preocupante" de casos de covid-19 no Luxemburgo (e a "culpa" pode ser de portugueses e cabo-verdianos)

O Luxemburgo está a assistir, nas últimas semanas, a um crescimento significativo no número de novas infecções por covid-19. A ministra da Saúde fala numa subida "preocupante". Muitas destas novas infecções são entre portugueses e …

Conselho das Finanças Públicas "muito preocupado" com impacto de despesas como a TAP

Nazaré Costa Cabral, presidente do Conselho das Finanças Públicas, está convicta de que a recuperação "não vai permitir ter nos próximos anos o que tínhamos em 2019". A presidente do Conselho das Finanças Públicas, Nazaré Costa Cabral, …

Agência de rating espanhola baixa perspetiva de Portugal de "estável" para "negativa"

A agência de notação financeira espanhola Axesor manteve a classificação não solicitada de Portugal em "BBB+", mas baixou a perspetiva de "estável" para "negativa". A agência de notação financeira espanhola Axesor manteve, esta segunda-feira, a classificação …

BE diz que orientações para próximo ano letivo "não são suficientes"

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) considerou nesta segunda-feira que as orientações do Governo para o funcionamento das escolas no próximo ano letivo "não são suficientes" e apelou a que sejam encontradas "alternativas para …