/

Portugal já foi o “eldorado”, mas agora falta mão-de-obra

27

Contratar em Portugal está cada vez mais “complicado” devido à falta de mão-de-obra e à pressão salarial, confessa o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa, Fabrice Lachize, que lembra que o nosso país já foi o “eldorado” para as empresas estrangeiras.

“Portugal tem a vantagem de ter competências e a administração está mais simplificada, mas os empresários estão a ser confrontados com a falta de mão de obra”, nota o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Francesa (CCILF) em entrevista ao Jornal de Negócios.

Fabrice Lachize repara “quando uma empresa está a chegar [a Portugal] e quer empregar 200 ou 300 pessoas”, “é muito complicado”.

“Em 2016, dizia-se que Portugal era o “eldorado” porque tinha mão de obra qualificada e um custo salarial mais baixo. A mão de obra continua a ser qualificada. Mas mais barata, hoje, tenho dúvidas”, realça ainda o responsável da CCILF.

Lachize dá o exemplo do sector das tecnologias da informação, onde “a competição” pelos recursos humanos se faz “com uma oferta de salário mais alto”.

“Há sectores em que a diferença que tínhamos antes está muito reduzida”, nota ainda, frisando que “se falarmos de empresas de metalomecânica ou têxtil, em que a mão-de-obra é menos qualificada, o que acontece é que é muito mais complicado encontrar”.

No turismo também é muito complicado“, acrescenta.

“Ou desistir ou repensar o modelo da empresa”

O presidente da CCILF refere que “o custo para implementar uma empresa em Portugal, com o valor das rendas dos armazéns e uma maior pressão salarial, deve ser bem calculado antes de chegar”.

Mas como resolver o problema? “Ou desistir ou repensar o modelo da empresa“, aconselha Lachize, sublinhando que “as tecnologias da informação e a inteligência artificial estão a crescer muito em Portugal” e que “este desenvolvimento poderia levar a criar uma empresa mais moderna, mais independente e autónoma“.

“Antes, num armazém, tínhamos 50 pessoas a trabalhar, a descarregar os camiões, mas hoje pode ser quase 100% automático“, repara Lachize. E “não estamos a retirar o trabalho a ninguém porque não há ninguém para trabalhar”, acrescenta.

Outra solução para este problema da falta de mão de obra pode ser “a requalificação de trabalhadores“, de acordo com o mesmo responsável.

Mas também pode haver “a possibilidade de trazer pessoas para Portugal”, nota Lachize, revelando que “há empresas têxteis que estão a procurar no Paquistão e no Bangladesh quadros para os trazer para cá, pessoas que já sabem trabalhar na área, o que torna mais fácil a integração”.

  ZAP //

27 Comments

      • Mais um “distraído”…
        Segundo esse teu brilhante raciocínio, tu devias trabalhar por metade do teu salário atual, para baixar os preços dos bens…
        Entretanto:
        “Riqueza dos dez mais ricos duplicou durante a pandemia”
        “As dez pessoas mais ricas do mundo mais que duplicaram as suas fortunas para 1,5 biliões de dólares (1,3 biliões de euros) durante a pandemia, à medida que as taxas de pobreza dispararam”
        Jan 2022

        • Vai aí à mercearia mais próxima e pergunta se o senhor que lá está pode praticar os preços livremente! Ele bem queria, mas se os aumentar, chapéu, os clientes fogem todos. Pois é, do lado dos custos ele vê tudo a subir (salário mínimo da funcionária que lá tem, eletricidade para a iluminação e arcas, combustível para ir ao mercado buscar hortaliças e frutas, etc), Para acrescer ainda deve pagar uma renda monstruosa. Impostos, taxas e taxinhas para tudo. Sim, o reclame que ele tem à porta, também paga taxa. Se tiver uma viatura com decoração da empresa, paga mais uma taxa.
          Do lado das receitas, e com a concorrência existente, ele tem de estabelecer um preço minimamente atrativo. Caso contrário, vai-se tudo embora. Diz lá a este homem como é que ele vai esmagar a margem que tem? Fico à espera, obviamente sentado.

          • Ah?!
            Vai lá ler novamente tudo que eu escrevi e depois anda cá para tentares explicar o que tem isso a ver com o que eu escrevi…

            • Eh, eh, eh, O Eu! foi-se.
              Ó “Então diz lá” arrumaste-o totalmente. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • E quê?!!! Estás a comparar as 10 pessoas mais ricas do mundo com os empresários nacionais, dos quais 99% são proprietários de micros e pequenas empresas?!!! Tu és mesmo um toleirão!

          • Por desenhos talvez fosses capaz de chegar lá mas, eu não sei desenhar (e aqui também não dá para colocar desenhos) portanto…
            Além disso, 99% dos empresários mundiais tem micro e pequenas empresas!…

            • Tens mesmo de tentar os desenhos já que argumentos não tens mesmo nenhuns. Ficaste mesmo sem argumentos. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Com os ordenados miseráveis pagos pelos patrões tugas, só posso pagar metade do que pago por tudo aquilo que compro no dia a dia! Ou então continuem a pagar a miséria que pagam e baixem os preços dos produtos, deixando de fazer especulação e baixando as margens de lucro… Isso já não querem, pois não? E pagar os impostos todos? E cumprir as leis laborais e ambientais? Tá quieto…

        • O amigo por acaso sabe quais são as margens de lucro líquidas na generalidade dos nossos setores? Pelo seu comentário, diria que nem sonha. Vá aos quadros setoriais do banco de portugal, faça meia dúzia de contas e verá essas belas margens. Por que motivo acha que as empresas portuguesas estão todas endividadas?

            • E quê?!!! Alguém aqui falou do peso das remunerações no total dos encargos?!!!! E já lhe ocorreu que pode ser porque em Portugal as empresas têm uma maior percentagem de custos financeiros (resultante de um endividamento muito superior) e custos energéticos no total dos seus custos do que as suas congéneres europeias?!!! Ou que pode resultar da menor capacidade de acrescentar valor (isso seria difícil explicar-te aqui agora, mas tem a ver com marcas, conhecimento, investigação, inovação…) e desse modo não conseguriem pagar salários mais altos?!!
              Se parasse para pensar antes de escrever, podia ser que se poupasse a disparates.

    • Também ia sugerir isso mas após ler o artigo vejo que mão de obra não falta, as empresas não querem é pagar os salários. Dizem que são caros.

      Bem, senhores CEO, ide vocês mesmos para a linha de produção. Problema resolvido.

  1. A nova geração é mais instruída. Os pseudo-empresários já têm mais dificuldade em encontrar escravos. Só se forem refugiados.

  2. O que falta é melhores condições para os trabalhadores,do que adianta dar treinamento aos que vão iniciar, enquanto os que já estão nas fábricas há tanto tempo não tem um treinamento adequado para receber estes novos colegas de trabalho, tem muito chefe, deveriam dar formações de líderes.

  3. A restauração queixa-se muito mas não dizem que não há feriados ( em 7 dias trabalha-se sempre 5), não há fins de semana ( semana rotativa), não há prémios, ganha-se 25€ acima do mínimo e não há subsídio de alimentação (tem de se comer lá). Com o custo da deslocação aproveitam-se 500€ ao fim de um mês. Isso não dizem. Apenas dizem que há falta de mão de obra como se fosse tudo um bando de preguiçosos que não quer trabalhar.

  4. Qualquer empresa que pague mais prevalece para mim. Simplesmente não quero saber se a empresa fica pobre de trabalhadores. Vida só temos uma pelo menos até prova encontrar e não podemos perder tempo como fantoches

  5. Isto é uma hipocrisia tremenda.
    Eu sou polivalente: serralheiro /soldador e carpinteiro. Há bastante tempo que envio CV s para estas empresas e nunca tive uma resposta. Olha, emigrei. E enquanto em Portugal só sabem pedir carnudos para tudo, oferecem ordenados vergonhosos e duvidam como é que alguém pode saber fazer mais que uma coisa (na realidade faço ainda muito mais), aqui onde estou(Holanda) pagam 4 vezes mais, valorizam o nosso conhecimento e experiência. E são gratos por isso.
    Não acredito patavina do conteúdo desta notícia.
    A meu ver esses empresários estão a mentir com quantos dentes têm. Se pagassem ordenados dignos e dessem oportunidade às pessoas teriam mão de obra de certeza. Mas o que eles querem é mão de obra barata, e isto é só uma desculpa esfarrapada para terem uma justificativa para irem buscar mão de obra barata a outros países.

  6. A minha Geraçao Emigrou e havia Trabalho, mal pago ,entao se formos para a Hotelaria ,encontramos verdadeiros vermes como patroes ,nao pagam ,querem que façamos horas sem fim etc e depois vem Chorar que nao tem pessoal ,ainda lembro de a muitos anos responder a um anuncio na net de um fulano que pedia alguem para trabalhar em um hostel ,entao aquele escroque queria uma pessoa para trabalhar !5 horas por dia ,5 dias por semana,por 400 euros mensais e se contatos recibos e tudo ilegal desde atender ao balcao ate limpar casas de banho etc,quando lhe disse que nem pensar, ele respondeu que eu tambem nao tinha o perfil que ele procurava ,pois este senhor que passa os dias no cafe a ler o jornal e beber minis ,disse que procurava um reformado para com os seus miseraveis 400 euros Ajudar ! e andam estes Vermes A explorar um desgraçado qualquer que chegou ao fim de vida com uma reforma que nem chega para os medicamentos

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE