Portas quer praxes estúpidas e perigosas banidas das universidades, Grilo recusa humilhações

José Goulão / wikimedia

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, vincou hoje que praxes “estúpidas, perigosas, coercivas e violentas” devem ser banidas das universidades, atribuindo a estas instituições “a primeira responsabilidade pela civilidade”.

A polémica sobre as praxes académicas reacendeu-se após a morte, em dezembro, na praia do Meco, em Sesimbra, de seis estudantes universitários, engolidos pelo mar, muito embora o ministro da Educação e Ciência e o secretário de Estado do Desporto e Juventude não tenham associado o incidente a uma praxe.

“Acho que praxes estúpidas, perigosas, coercivas, violentas não devem ter lugar no ambiente universitário”, sustentou aos jornalistas Paulo Portas, em Lisboa, depois de ter participado na sessão de encerramento de uma conferência sobre ensino privado, organizada pela Confederação Nacional da Educação e Formação.

Ao ser confrontado com o assunto das praxes, Paulo Portas sustentou, ainda, que “a primeira responsabilidade pela civilidade do espaço de uma universidade é, evidentemente, de quem a dirige, a universidade, que tem licença para isso”.

O vice-primeiro-ministro disse também esperar que “o trabalho” do ministro da Educação e Ciência, com as universidades e os estudantes, “dê resultados”.

Na quinta-feira, Nuno Crato recebeu representantes das associações académicas e das universidades, com o intuito de discutir e recolher propostas que visem “evitar que se repitam praxes absurdas e atentatórias da dignidade humana e da dignidade dos estudantes”.

Crato frisou que o Ministério da Educação não rejeita responsabilidades nos abusos cometidos nas praxes, mas lembrou que há responsabilidade de toda a sociedade e que, com as reuniões convocadas, pretendeu manifestar “uma preocupação continuada e reforçada, por ter vindo a lume uma série de informações sobre estas práticas atentatórias da dignidade dos estudantes”.

Ex-ministro da Educação Marçal Grilo recusa humilhações em praxes

O antigo ministro da Educação Marçal Grilo disse hoje não aceitar que jovens sejam maltratados e humilhados em praxes, mas advertiu que não se deve misturar “casos de praxe com casos de polícia”.

“A sociedade não aceita este tipo de comportamento, eu como cidadão recuso-me a aceitar tratamentos de jovens que entram nas universidades e que são maltratados, humilhados e a quem lhes é retirada a sua dignidade”, afirmou o antigo ministro da Educação, em declarações aos jornalistas à margem de uma homenagem realizada esta tarde na Fundação Calouste Gulbenkian ao escritor Vasco Graça Moura.

Sublinhando que não se pode permitir que “nas instituições mais sofisticadas do conhecimento em Portugal se pratiquem atos que são verdadeiros atos de vandalismo”, Marçal Grilo considerou existirem várias maneiras para resolver o problema, sendo necessário antes de mais dialogar, conversar e negociar.

Questionado sobre o caso do Meco, onde a 15 de dezembro morreram seis estudantes universitários que tinham alugado uma casa na zona para passar o fim de semana, o antigo ministro da Educação escusou-se a fazer comentários alegando que “ninguém conhece pormenores sobre o caso”.

“Ninguém tem ideia nenhuma se aquilo se passou com praxe ou sem praxe, depois de praxe ou antes da praxe. Portanto não vale a pensa estar a misturar umas coisas com as outras, como também não vale a pena misturar casos de praxe com casos de polícia”, declarou.

Porém, acrescentou, o caso do Meco “é uma tragédia que importa clarificar”.

O debate sobre a questão das praxes surgiu na sequência da morte de seis jovens na praia do Meco, Sesimbra, a 15 de dezembro. Faziam parte de um grupo de sete estudantes universitários que tinham alugado uma casa na zona, para passar o fim de semana. Segundo as autoridades, uma onda arrastou-os na madrugada de 15 de dezembro, mas um dos universitários conseguiu sobreviver.

A investigação dos acontecimentos está entregue às autoridades judiciais e a Universidade Lusófona, na qual estudavam as vítimas, abriu um inquérito interno para apurar o que se passou.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. PRAXES NA ULHT.
    A ignorância muitas vezes sobrepõe-se á realidade. A praxe académica surgiu na Universidade de Coimbra e é claro que muitas vezes era violenta tendo sido proibida por João V por causa da morte de um aluno. Mais tarde esta tradição foi retomada. Actualmente na ULHT a praxe não é obrigatória e pode haver desistência da mesma em qualquer altura. O praxado (Caloiro também tem direito, desde que comunique aos veteranos, a negar-se a rituais que não aceita (alergias e outros) desde que informe antecipadamente. Os alunos não praxados, na ULHT não são” escorraçados” e confraternizam com os praxados com amizade, executando com os mesmos os respectivos trabalhos de grupo sem qualquer problema. Na ULHT é o que se passa na actualidade. Repito que a ignorância se sobrepõe á realidade. Não generalizem! Já dizia Napoleão que pior que a crueldade é a ignorância. Sabemos de antemão que querem acabar com as tradições deste nosso Portugal. Acrescento que nesta nossa Universidade existem estrangeiros que querem ser praxados. E são por livre iniciativa, não me lembrando ter existido nenhuma queixa de abuso em qualquer Embaixada. Acrescento que na Lusófona não existe bullying, na medida em que os caloiros têm padrinhos que os protegem com amizade. PERGUNTEM AOS CALOIROS! Os abusos não são Praxe! Mas situações passivas de ser punidas judicialmente. Não misturem, sejam coerentes. Não acabem com as tradições. Há muito tempo houve a tentativa.de alguns “fanáticos religiosos” de acabar com o Fado em virtude do grosseirismo; diriam “eles “que se ouvia nos locais onde era cantado. Hoje o Fado é património imaterial da humanidade. As opiniões negativas sobre as Praxes tentando operar como factores de fractura e destruição propositada desta secular tradição somente contribuem para a cimentação das mesmas e possivelmente uma maior união entre os estudantes praxados e colegas amigos não praxados de todas as Escolas e Universidades portuguesas que vão manter esta tradição! A união faz força. (KRUPP).

RESPONDER

Cientistas explicam porque trabalhar à noite faz mal aos intestinos

As pessoas que trabalham à noite têm mais probabilidades de desenvolver inflamações intestinais, porque há células que contribuem para a saúde intestinal que deixam de receber informações vitais do cérebro, indica um estudo divulgado esta …

Marinha dos EUA admite que vídeos de OVNI's são verdadeiros (e não era suposto ninguém saber)

A Marinha dos EUA confirmou que imagens de OVNIs que surgiram nos últimos anos são reais e que nunca pretenderam que o vídeo fosse visto pelo público. As imagens que apareceram pela primeira vez online em …

O Pólo Norte vai ter um hotel de luxo (iluminado pelas auroras boreais)

https://vimeo.com/360873720 O hotel "mais a norte do mundo" só existirá durante um mês e o glamping de luxo será para muito poucos: o custo é de 95 mil euros por pessoa por três dias. Em 2020, o …

Whitney Houston vai regressar aos palcos (em holograma)

Whitney Houston vai "regressar" aos palcos, em formato holograma. Foi anunciada uma digressão da cantora por várias salas do Reino Unido, em 2020. Os planos para uma digressão de holograma de Whitney Houston têm sido discutidos …

Victor Vescovo diz que chegou ao ponto mais profundo dos oceanos. James Cameron não concorda

James Cameron levantou dúvidas sobre as recentes declarações de Victor Vescovo sobre ter quebrado o recorde do mergulho mais profundo no oceano, dizendo que o empresário não pode ter descido mais, uma vez que não …

Par de patinadores no gelo mais medalhado de sempre anuncia fim da carreira

Os canadianos Tessa Virtue e Scott Moir, o par de patinadores no gelo mais medalhado da história do olimpismo, anunciaram esta quarta-feira o fim da carreira. “Olá a todos. Temos novidades para todos os que nos …

Elon Musk é o líder mais inspirador da tecnologia da atualidade

Elon Musk foi nomeado o líder mais inspirador no setor da tecnologia, de acordo com um estudo publicado pela Hired, uma plataforma para contratação de pessoal em 14 cidades em todo o mundo. O estudo, chamado …

De portas abertas para quem precisa. Frigoríficos solidários crescem em Paris

A Cantina do 18.º bairro parisiense foi o primeiro espaço deste projeto solidário, inaugurado há dois anos. Atualmente existem 38 restaurantes em França que acolhem os frigoríficos solidários. Em dois anos, o projeto dos frigoríficos solidários …

Imigrante do Bangladesh em Itália encontra e devolve carteira com 2 mil euros

Mossan Rasal, um bangladeshiano de 23 anos que vive em Roma, encontrou na rua uma carteira com dois mil euros, documentos de identificação, cartões de crédito, carta de condução. Em vez de retirar o dinheiro e …

Austrália conclui que China foi responsável por ciberataque ao parlamento

A agência de inteligência cibernética da Austrália (ASD) concluiu que a China foi a responsável por um ataque informático, no início deste ano, contra o parlamento nacional. Os serviços de inteligência australianos (Australian Signals Directorate) concluíram …