Portas quer praxes estúpidas e perigosas banidas das universidades, Grilo recusa humilhações

José Goulão / wikimedia

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, vincou hoje que praxes “estúpidas, perigosas, coercivas e violentas” devem ser banidas das universidades, atribuindo a estas instituições “a primeira responsabilidade pela civilidade”.

A polémica sobre as praxes académicas reacendeu-se após a morte, em dezembro, na praia do Meco, em Sesimbra, de seis estudantes universitários, engolidos pelo mar, muito embora o ministro da Educação e Ciência e o secretário de Estado do Desporto e Juventude não tenham associado o incidente a uma praxe.

“Acho que praxes estúpidas, perigosas, coercivas, violentas não devem ter lugar no ambiente universitário”, sustentou aos jornalistas Paulo Portas, em Lisboa, depois de ter participado na sessão de encerramento de uma conferência sobre ensino privado, organizada pela Confederação Nacional da Educação e Formação.

Ao ser confrontado com o assunto das praxes, Paulo Portas sustentou, ainda, que “a primeira responsabilidade pela civilidade do espaço de uma universidade é, evidentemente, de quem a dirige, a universidade, que tem licença para isso”.

O vice-primeiro-ministro disse também esperar que “o trabalho” do ministro da Educação e Ciência, com as universidades e os estudantes, “dê resultados”.

Na quinta-feira, Nuno Crato recebeu representantes das associações académicas e das universidades, com o intuito de discutir e recolher propostas que visem “evitar que se repitam praxes absurdas e atentatórias da dignidade humana e da dignidade dos estudantes”.

Crato frisou que o Ministério da Educação não rejeita responsabilidades nos abusos cometidos nas praxes, mas lembrou que há responsabilidade de toda a sociedade e que, com as reuniões convocadas, pretendeu manifestar “uma preocupação continuada e reforçada, por ter vindo a lume uma série de informações sobre estas práticas atentatórias da dignidade dos estudantes”.

Ex-ministro da Educação Marçal Grilo recusa humilhações em praxes

O antigo ministro da Educação Marçal Grilo disse hoje não aceitar que jovens sejam maltratados e humilhados em praxes, mas advertiu que não se deve misturar “casos de praxe com casos de polícia”.

“A sociedade não aceita este tipo de comportamento, eu como cidadão recuso-me a aceitar tratamentos de jovens que entram nas universidades e que são maltratados, humilhados e a quem lhes é retirada a sua dignidade”, afirmou o antigo ministro da Educação, em declarações aos jornalistas à margem de uma homenagem realizada esta tarde na Fundação Calouste Gulbenkian ao escritor Vasco Graça Moura.

Sublinhando que não se pode permitir que “nas instituições mais sofisticadas do conhecimento em Portugal se pratiquem atos que são verdadeiros atos de vandalismo”, Marçal Grilo considerou existirem várias maneiras para resolver o problema, sendo necessário antes de mais dialogar, conversar e negociar.

Questionado sobre o caso do Meco, onde a 15 de dezembro morreram seis estudantes universitários que tinham alugado uma casa na zona para passar o fim de semana, o antigo ministro da Educação escusou-se a fazer comentários alegando que “ninguém conhece pormenores sobre o caso”.

“Ninguém tem ideia nenhuma se aquilo se passou com praxe ou sem praxe, depois de praxe ou antes da praxe. Portanto não vale a pensa estar a misturar umas coisas com as outras, como também não vale a pena misturar casos de praxe com casos de polícia”, declarou.

Porém, acrescentou, o caso do Meco “é uma tragédia que importa clarificar”.

O debate sobre a questão das praxes surgiu na sequência da morte de seis jovens na praia do Meco, Sesimbra, a 15 de dezembro. Faziam parte de um grupo de sete estudantes universitários que tinham alugado uma casa na zona, para passar o fim de semana. Segundo as autoridades, uma onda arrastou-os na madrugada de 15 de dezembro, mas um dos universitários conseguiu sobreviver.

A investigação dos acontecimentos está entregue às autoridades judiciais e a Universidade Lusófona, na qual estudavam as vítimas, abriu um inquérito interno para apurar o que se passou.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. PRAXES NA ULHT.
    A ignorância muitas vezes sobrepõe-se á realidade. A praxe académica surgiu na Universidade de Coimbra e é claro que muitas vezes era violenta tendo sido proibida por João V por causa da morte de um aluno. Mais tarde esta tradição foi retomada. Actualmente na ULHT a praxe não é obrigatória e pode haver desistência da mesma em qualquer altura. O praxado (Caloiro também tem direito, desde que comunique aos veteranos, a negar-se a rituais que não aceita (alergias e outros) desde que informe antecipadamente. Os alunos não praxados, na ULHT não são” escorraçados” e confraternizam com os praxados com amizade, executando com os mesmos os respectivos trabalhos de grupo sem qualquer problema. Na ULHT é o que se passa na actualidade. Repito que a ignorância se sobrepõe á realidade. Não generalizem! Já dizia Napoleão que pior que a crueldade é a ignorância. Sabemos de antemão que querem acabar com as tradições deste nosso Portugal. Acrescento que nesta nossa Universidade existem estrangeiros que querem ser praxados. E são por livre iniciativa, não me lembrando ter existido nenhuma queixa de abuso em qualquer Embaixada. Acrescento que na Lusófona não existe bullying, na medida em que os caloiros têm padrinhos que os protegem com amizade. PERGUNTEM AOS CALOIROS! Os abusos não são Praxe! Mas situações passivas de ser punidas judicialmente. Não misturem, sejam coerentes. Não acabem com as tradições. Há muito tempo houve a tentativa.de alguns “fanáticos religiosos” de acabar com o Fado em virtude do grosseirismo; diriam “eles “que se ouvia nos locais onde era cantado. Hoje o Fado é património imaterial da humanidade. As opiniões negativas sobre as Praxes tentando operar como factores de fractura e destruição propositada desta secular tradição somente contribuem para a cimentação das mesmas e possivelmente uma maior união entre os estudantes praxados e colegas amigos não praxados de todas as Escolas e Universidades portuguesas que vão manter esta tradição! A união faz força. (KRUPP).

RESPONDER

Faca feita de fezes entre os vencedores deste ano dos prémios Ig Nobel

Uma faca feita com fezes congeladas e um jacaré a arrotar são alguns dos vencedores dos prémis Ig Nobel, que distinguem as invenções mais incomuns. Os prémios Ig Nobel – uma paródia dos prémios atribuídos pelas …

O hemisfério norte teve o verão mais quente de que há registo (e isso é um sinal de alerta para a Terra)

O hemisfério teve em 2020 o verão mais quente de que há registo. No geral, o Planeta Terra teve três dos meses mais quentes, e o mês de agosto foi o segundo mais quente que …

Há uma nova explicação para o naufrágio do Titanic: Uma fantástica Aurora Boreal

Todos conhecemos a história do Titanic. Também todos sabemos que o seu naufrágio aconteceu após o grande navio ter embatido num iceberg. Contudo, um investigador americano põe novas hipóteses em cima da mesa. E se …

Famalicão 1-5 Benfica | "Águia" faminta com nota artística

Após a desilusão de Salónica, que ditou um adeus precoce dos milhões da fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica goleou na noite desta sexta-feira o Famalicão por 5-1, numa espécie de redenção. Neste …

O anonimato de Banksy teve um custo. Perdeu os direitos sobre uma das suas obras mais icónicas

O famoso artista de rua britânico Banksy perdeu uma longa batalha judicial pelos direitos autorais da obra "The Flower Thrower", contra a Full Colour Black, empresa que produz postais de felicitações. Banksy, o misterioso artista que, …

Reino Unido e Espanha aumentam restrições. Itália e Alemanha com quase dois mil casos

Madrid restringe movimentos de 850 mil pessoas, Itália regista um aumento dos casos de infeção nas últimas 24 horas, britânicos enfrentam novas restrições no país e Alemanha com dois mil novos casos de covid-19. A região …

Trump novamente acusado de assédio sexual. "Enfiou a língua na minha garganta", disse Amy Doris

O Presidente dos EUA, Donald Trump, foi acusado esta quinta-feira de agressão sexual por uma ex-modelo, num episódio que alegadamente terá ocorrido num torneio de ténis, em 1997. A ex-modelo Amy Dorris relatou ao jornal britânico …

Ventura pondera suspender mandato para se dedicar à campanha presidencial

O presidente do Chega afirmou hoje que o seu partido "está a analisar" no plano jurídico a questão da suspensão temporária do seu mandato de deputado para se dedicar às campanhas dos Açores e presidenciais. Em …

Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recupera, avisa neurologista

Um neurologista ouvido num documentário da RMC Sport diz que o ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recuperará. Já passaram quase sete anos desde que Michael Schumacher sofreu um acidente …

Processos com acórdãos a meias entre Rangel e Galante estão em risco

Durante dez anos, centenas de acórdãos do Tribunal da Relação de Lisboa foram feitos a meias entre Rui Rangel e Fátima Galante. Agora, esses processos estão em risco. A Procuradoria-Geral da República anunciou esta sexta-feira a …