/

Encontrado porta-aviões dos Estados Unidos afundado na II Guerra Mundial

O porta-aviões norte-americano Wasp, afundado numa batalha da Segunda Guerra Mundial em 1942, foi encontrado a cerca de 4270 metros de profundidade no Mar de Coral, a nordeste da Austrália.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Pela primeira vez em 76 anos, o navio foi visto a 14 de janeiro de 2019 por uma equipa de investigadores da The Research Vessel Petrel constituída por exploradores, historiadores, mergulhadores e pilotos submersíveis, a bordo de uma embarcação chamada Petrel, originalmente construída para a manutenção de campos de petróleo.

O grupo de investigadores tem estado a procurar destroços de navios de guerra norte-americanos como o Wasp desde 2017, por ordem de Paul Allen, cofundador da Microsoft que morreu em outubro e que queria encontrar esses navios como forma de homenagear o serviço militar do seu pai na Segunda Guerra Mundial.

O Petrel, que fica na superfície, tem uma equipa de 10 pessoas, que monitoriza os últimos locais conhecidos de antigos navios de guerra e envia robôs para as profundezas para redescobri-los.

Em consonância com a política da Marinha dos EUA de deixar intactos os seus naufrágios – túmulos sagrados dos marinheiros – Wasp permanecerá nas profundezas escuras. Mas a sua redescoberta está a dar uma nova vida a uma história heróica, conta a CNN.

Por quase um século e meio, os britânicos controlaram a pequena ilha de Malta, ao sul da Itália, usando seu porto para atracar navios de guerra e projetar o poder britânico em todo o Mediterrâneo. Durante a II Guerra Mundial, aviões alemães e italianos dominaram os céus e atacaram a ilha. O primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, estava determinado a salvar a preciosa fortaleza.

Em abril de 1942, o Wasp chegou para fornecer um contingente extremamente necessário de dezenas de aviões de guerra para as forças aliadas sitiadas em Malta, de acordo com a Marinha dos EUA. Sob fogo, a Vespa recuou para um porto seguro em Gibraltar, já que muitos dos aviões que tinham sido entregues foram destruídos no solo.

Determinado, Churchill perguntou ao presidente dos EUA, Franklin D. Roosevelt, se o Wasp poderia dar “outro bom golpe”. Roosevelt concordou. Wasp partiu com outro navio britânico e dezenas de aviões de combate, chegando no início de maio a Malta. O reabastecimento continuou e os Aliados continuaram.

Ainda assim, a sua vida seria curta. Após a Batalha de Midway, os EUA precisaram de mais ajuda no Pacífico, enquanto as forças aliadas lutavam para expulsar as forças japonesas, ilha por ilha. Wsasp recebeu ordens para escoltar um contingente de navios de transporte que transportavam reforços da Marinha para lutar em Guadalcanal.

Em 15 de setembro de 1942, um submarino japonês disparou uma barragem de torpedos. Dois atingiram outros navios, o USS O’Brien e o USS North Carolina. Outros provocaram um enorme incêndio a bordo do Wasp, que afundou não muito tempo depois. Entre os mais de 2.000 homens na tripulação, 176 morreram no ataque.

PUBLICIDADE

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.