Poluição do ar causada pelos incêndios na Indonésia já chegou aos países vizinhos

A Indonésia está a tentar que o cenário devastador que se viveu em 2015 não se repita este ano, mas pode não conseguir. Os fogos florestais, que consomem o país e espalham uma nuvem de fumo, já se fazem sentir nos países vizinhos.

Os incêndios têm atingido principalmente partes das ilhas de Sumatra (a sexta maior ilha do mundo) e de Bornéu desde o final de Julho, altura em que o Governo enviou nove mil militares e policias (além de bombeiros) para combater as chamas. Até agora, mais de 930 mil hectares de floresta tropical arderam e centenas de moradores tiveram de ser evacuados de zonas próximas.

Na manhã de quarta-feira, segundo a agência de notícias estatal Antara, foram detetados cerca de cinco mil “pontos quentes” de incêndio em seis províncias da Indonésia. Algumas comunidades têm-se reunido em locais públicos, normalmente em frente a edifícios do Estado, para rezar em conjunto por chuva que acabe com a seca, com os incêndios e com a neblina de fumo que se tem espalhado pela Indonésia e países vizinhos.

O problema da seca é comum em países asiáticos, mas o padrão climático do fenómeno El Niño fez com que, este ano, caísse ainda menos chuva na Indonésia, o que só veio piorar o problema dos incêndios.

À semelhança do que acontece na Amazónia, também na Indonésia, os agricultores e criadores de gado utilizam o fogo como forma de limpeza dos terrenos, geralmente utilizados para plantar palmeiras ou para produção de celulose, composto que serve de matéria-prima para diversos tipos de papel, fraldas descartáveis, tecidos, biocombustíveis, materiais de construção, entre outros.

Se não forem controladas, as queimadas podem tornar-se em incêndios florestais de grandes dimensões. De acordo com a CNN, ao longo dos últimos anos as autoridades têm tentado acabar com o problema das queimadas: tornaram-nas ilegais, aplicando multas que podem chegar aos 635 mil euros e passaram a controlar de forma mais próxima agricultores ou grandes empresas que utilizam este método de limpeza de terrenos. Mas as queimadas continuaram.

A Malásia e Singapura têm sido os países mais afetados pelo fumo dos incêndios das últimas semanas na Indonésia. As autoridades da Malásia já distribuíram mais de meio milhão de máscaras de proteção respiratória e pelo menos 400 escolas fecharam devido aos níveis perigosos de poluição do ar que fazem com que também seja difícil ver a partir de uma certa distância.

Os meios de comunicação locais afirmam que o fumo está afetar a circulação aérea, mas nenhum dado oficial foi para já avançado por fonte do Governo.

Os incêndios aumentaram o grau de contribuição da Indonésia para as alterações climáticas, uma vez que boa parte do território ardido era floresta tropical. Além disso, o país abriga entre 10% a 15% das espécies de plantas, mamíferos e pássaros conhecidos no mundo. Ainda assim, nos últimos 50 anos, mais de 74 milhões de hectares de floresta tropical da Indonésia foram cortados, queimados ou deixados ao abandono.

Várias organizações ambientais já se manifestaram contra as queimadas e pediram ações do Governo para preservar aqueles terrenos.

  ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. e pelo colorido que venho a observar nos mapas, o próximo continente a arder forte e feio, será a África….
    Depois digam-nos que são descuidos das habituais “queimadas”…
    Porque estão – apressadamente!! – a queimar as Florestas do Planeta??
    Na sequência da “Guerra Fria”, encontramo-nos em plena “Guerra Quente”…
    Assinado: Maria da Maia

RESPONDER

Primeiro-ministro da Polónia acusa UE de ter "arma apontada à cabeça" do país

O primeiro-ministro polaco acusou a União Europeia (UE), esta segunda-feira, de "ter uma arma pontada à cabeça" da Polónia, ao exigir que Varsóvia reveja as reformas judiciais, ameaçando-a com sanções. Numa entrevista publicada pelo Financial Times, …

Carlos César acusa BE e PCP de terem preferido "jogos de poder"

O presidente do PS acusou, esta segunda-feira, os partidos de esquerda de terem preferido "os jogos de poder", no seguimento do anúncio de ambos do voto contra o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). "BE e …

O dirigente do PSD Paulo Mota Pinto

Mota Pinto aponta "irresponsabilidade" de marcar diretas. Rangel reforça importância de ter líder "fortemente legitimado"

O dirigente do PSD defendeu, esta segunda-feira, que o partido "está preparado" para legislativas antecipadas, defendendo que estas devem ocorrer "o mais rapidamente possível". Em declarações à agência Lusa, o presidente da Mesa do Congresso e …

EMA aprova terceira dose da vacina da Moderna a partir dos 18 anos

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) deu luz verde, esta segunda-feira, à administração da terceira dose da vacina da Moderna a partir dos 18 anos. Em comunicado, a agência refere que os dados apontam que uma …

Câmara do Porto aprova sistema de videovigilância no centro histórico

Esta segunda-feira, na reunião do Executivo portuense, foi aprovado, com o voto contra da CDU e do BE, o protocolo a celebrar com a PSP para implementação da videovigilância na Baixa do Porto. O presidente da …

Conselho das Finanças Públicas alerta para riscos na TAP e falta de orçamentação para Novo Banco

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) alertou esta segunda-feira, numa análise à proposta do Governo para o Orçamento do Estado de 2022 (OE2022), para a possibilidade de se injetar mais dinheiro na TAP e no …

O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho

Novo Banco apresenta nova imagem. "Agora é o renascimento", diz Ramalho

O presidente do Novo Banco disse, esta segunda-feira, que a nova imagem representa o "renascimento" da instituição financeira, que está numa "rota de lucro e rendibilidade". Na apresentação da nova imagem de marca do Novo Banco, …

Governo disponível para suspender caducidade de convenções coletivas "sem limite de tempo"

O Governo está disponível para avançar com a suspensão dos prazos da caducidade das convenções coletivas "sem limite de tempo", disse, esta segunda-feira, no Parlamento a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. A medida foi …

PEV também vota contra o Orçamento do Estado para 2022

O partido ecologista "Os Verdes" (PEV) anunciou, esta segunda-feira, que também vai votar contra o Orçamento do Estado para 2022. Em conferência de imprensa, na Assembleia da República, José Luís Ferreira disse que "o grupo parlamentar …

Governo lamenta decisão do PCP. "Nunca tínhamos ido tão longe como fomos este ano"

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares reagiu, esta segunda-feira à tarde, na Assembleia da República, ao anúncio de voto contra do PCP ao Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). Na Assembleia da República, Duarte Cordeiro …